ORÇAMENTO 2018
Vereadores rejeitam 28 emendas para aprovar a LOA
Da forma como o Orçamento foi aprovado pelos vereadores, o Urbanismo e a Administração Municipal receberão mais recursos que Agricultura e Habitação
Por Cyneida Correia
Em 13/12/2017 às 01:52
Fotos: Alef Barros/Secom CMBV

Em uma sessão que durou quase 12 horas, os vereadores de Boa Vista aprovaram nesta terça-feira (12), em turno único, por 13 votos favoráveis e duas abstenções, a Lei Orçamentária Anual (LOA). 

A LOA estima a receita e fixa a despesa do orçamento municipal para 2018. Segundo o texto, o município prevê receber receitas de fontes, como arrecadação de tributos, contribuições e transferências federais e estaduais, que devem totalizar R$ 1,253 bilhão, somando os orçamentos Fiscal e da Seguridade Social.

Na despesa fixada pela Prefeitura na LOA, baseada na estimativa de recursos previstos, consta distribuição para 20 áreas. Além de Educação (R$ 276,2 milhões) e Saúde (R$ 234,7 milhões) que receberam os tetos previstos em lei, os setores que mais receberam recursos são Urbanismo (R$ 256,3 milhões) e Administração (R$ 179,5 milhões) e os que vão ter menos investimentos são Agricultura (R$ 18 milhões) e habitação (R$ 5 milhões).

Os vereadores Idazio da Perfil, Ítalo Otávio, Rômulo Amorim e Tayla Peres não compareceram a sessão de votação do Orçamento e nem mesmo o presidente da Comissão de Orçamento Wagner Feitosa esteve no local.

Com o orçamento aprovado, a Câmara Municipal de Boa Vista entra no recesso parlamentar e retorna a apreciar matérias legislativas em fevereiro de 2018.


Emendas são rejeitadas em sua maioria pelos vereadores

Ao todo na LOA, o plenário da Câmara apreciou 29 emendas, sendo 27 do vereador Professor Linoberg Almeida (Rede) uma de Pastor Jorge e uma do Júlio Medeiros.

Apenas uma emenda foi aprovada por 15 votos favoráveis. A emenda do Júlio Medeiros destinou R$ 500 mil do orçamento da Secretaria Municipal de Gestão Social (Semges) para as associações ou Organizações Não-Governamentais (ONGs) que tratem de dependentes químicos.

O presidente Mauricélio Fernandes (PMDB) disse que foi exercida a democracia. “Os vereadores discutiram amplamente todas as emendas, aprovamos as que achavam que eram devidas e rejeitamos as indevidas. Vale ressaltar que o Executivo Municipal tem trabalhado em prol da população e tem atuado em todas as áreas do Município, então, por esse motivo, foram rejeitadas algumas emendas”, declarou Fernandes.

Vereador diz que colegas não quiseram tirar dinheiro das florzinhas

Durante a discussão da LOA, vereadores propuseram a Linoberg, autor de mais de 50 emendas, que as retirasse de votação, justificando que com a rejeição no Plano Plurianual (PPA) na votação anterior, as ações sugeridas já não estariam contempladas no orçamento para 2018.

Mas, para Linoberg a rejeição das emendas prejudica a população.

“ Passei 12 horas ouvindo 50 vezes ‘não’ para uma ideia que não era pra ser contra ninguém, era pra ser favorável a população. Toda vez que no sinal eu ver uma criança vou saber que me cortaram a possibilidade de remanejar dinheiro da florzinha para ajudar o próximo” disse o parlamentar, citando ainda como exemplo, que uma emenda que seria destinada a um ano de feira de ciências nas escolas no valor de 100 mil, foi menos importante para os vereadores que o recurso destinado ao show de Oswaldo Montenegro no mesmo valor. “Isso está me doendo porque as pessoas não pensam nas pessoas, elas pensam em seus projetos de poder”

 

jaime campos disse: Em 13/12/2017 às 12:17:51

"QUERO FAZER UM PERGUNTA A QUEM POSSA RESPONDER , O QUE O VEREADOR GENIVAL DA ENFERMAGEM ESTA FAZENDO PELA CLASSE QUE ELEGEU ELE,OU EM PROL DA ENFERMAGEM DE RORAIMA?"

antonio carlos de lima prado disse: Em 13/12/2017 às 07:46:06

"Aposto que quem vai receber os R$ 500.000,00 será uma ONG com vínculos com o nobre vereador."

williams monteiro disse: Em 13/12/2017 às 09:44:48

"concordo,ele faz esse joguinho e depois recebe."