JATAPU
Usina vai atender demanda de municípios ao Sul de Roraima
A princípio, Usina Hidrelétrica de Jatapu terá quatro turbinas em fase de testes, gerando energia com capacidade total de 10 megawatts
Por Erik Mota
Em 20/12/2017 às 00:53
Presidente da CERR, Francisco Fernandes de Oliveira: “Esta obra está sendo concretizada com recursos próprios do Governo do Estado” (Foto: Hione Nunes)

Desde ontem, 19, a Usina Hidrelétrica de Jatapu, localizada no Município de Caroebe, região Sul do Estado, está funcionando em fase de teste com quatro turbinas, gerando energia com capacidade total de 10 megawatts para suprir a demanda de municípios ao Sul e Sudeste de Roraima.

Em maio deste ano, a Companhia Energética de Roraima (CERR) iniciou o processo com a aquisição de duas novas turbinas e revitalização de duas antigas - que geram 2,5 megawhatts cada uma, além do reequipamento da subestação elevadora de 69 kV, sendo interligada ao Linhão de Guri, na Venezuela.

O processo de revitalização da usina se deu por conta da alta demanda dos municípios conforme o passar dos anos e do desgaste das duas turbinas antigas geradoras de energia. Hoje os municípios atendidos pela Usina são São Luiz, São João da Baliza e Caroebe, vilas e vicinais, com aproximadamente 30 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A estimativa de recursos investidos na manutenção da usina é de aproximadamente R$ 100 milhões, segundo o presidente da CERR, Francisco Fernandes de Oliveira. Os gastos mensais com manutenção e pagamento de funcionários chegam perto de R$ 100 mil.

Em entrevista à Folha, o diretor técnico da CERR, Antônio Carramilo, explicou que, a princípio, a fase de testes na usina, na subestação e nas redes de transmissão deverá durar aproximadamente 45 dias. “Essa usina incorporada ao Linhão de Guri vai dar mais confiabilidade ao sistema e uma energia de melhor qualidade”, disse.

Carramilo explicou também que, quando houver um desligamento do Linhão de Guri, as turbinas da Usina de Jatapu manterão o fornecimento de energia de 69 kV e os municípios não ficarão desabastecidos.

TARIFA – Apesar da Usina Hidrelétrica de Jatapu ser três vezes mais econômica que uma termoelétrica, os consumidores pagam o valor da tarifa conforme preço estipulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que determina valores no âmbito nacional.

“É uma energia produzida pela CERR, porém é colocada num sistema operado pela Eletrobras, que repassa ao consumidor uma tarifa, conforme determina a Aneel, como para qualquer Estado do País”, explicou o diretor técnico. “Por outro lado, é um importante avanço ao Estado, por gerar energia de qualidade e mais economia”, completou. (E.M)

ADNIL BARROS CAVALCANTE disse: Em 20/12/2017 às 11:27:10

"O que acho estranho é que quando reajusta ou aumenta o óleo diesel se torna uma variável para aumentar a tarifa aos consumidores. Agora com a hidrelétrica, cujo custo de geração ou produção é bem inferior, não há redução da tarifa. Não é preciso explicar, eu só queria entender."