NO EQUATORIAL
Três são presos por organização criminosa, roubo e receptação
Militar do Exército foi apontado como um dos líderes de uma facção criminosa pelos outros dois presos.
Por João Barros
Em 11/07/2018 às 07:35
Eduardo Beckman dos Santos, Enilson Oliveira de Castro e Rodrigo Sousa dos Santos foram presos em flagrante (Foto: Divulgação)

Os desempregados Eduardo Beckman dos Santos, de 21 anos, e Enilson Oliveira de Castro, de 24 anos, e o militar do Exército Rodrigo Sousa dos Santos, de 20 anos, foram presos em flagrante pela Polícia Militar na noite da segunda-feira, dia 9, por volta 21h50. Dois deles na rua Expedito Francisco da Silva, no bairro Equatorial, zona oeste, e o militar numa Vila que fica no mesmo bairro. Os três são suspeitos de envolvimento com os crimes de roubo, organização criminosa e receptação.

Enquanto fazia patrulhamento de rotina, a guarnição avistou indivíduos correndo em via pública e desconfiou que poderia se tratar de um roubo em um ponto comercial especializado na venda de açaí e, assim que chegou ao endereço, encontrou Eduardo e Enilson tentando esconder as armas de fogo.

Para impedir qualquer ação dos abordados, tendo em vista que estavam com armas em punho, os policiais agiram com rapidez, mas disseram que foi preciso manter a calma para que a ocorrência não ganhasse proporções trágicas. Um revólver calibre 32, alimentado com quatro munições intactas estava em posse de

Eduardo, enquanto Enilson portava um revólver calibre 38 com cinco munições também intactas. Enilson tentou apontar a arma em direção à equipe policial, mas foi contido.

Assim que o apoio de outras viaturas chegou, os indivíduos foram revistados e algemados. Ambos confessaram que estavam a serviço da facção criminosa à qual fazem parte e que todo o material roubado deveria ser entregue ao líder do setor, o militar Rodrigo Sousa, que teria disponibilizado as armas de fogo. A ordem é de que, se fossem presos, deveriam assumir toda a responsabilidade sem entregar os comparsas.

Ao chegar à residência de Eduardo, a mãe dele informou que o rapaz não morava mais com ela e que ele, de fato, pertencia a uma facção. A mulher explicou que o filho estava abrigado no apartamento de uma Vila que havia sido alugado, local onde todos os “irmãos” se reuniam para tratar da ação criminosa. A dupla também relatou que poderiam correr risco de morte por terem entregue Rodrigo.

Os policiais conseguiram arrombar o apartamento do militar que tentou dificultar o trabalho, jogando seu aparelho celular para baixo da cama. Ele disse que compra materiais roubados da dupla de assaltantes (Eduardo e Enilson) e que naquele momento tinha receptado um notebook, de cor preta.

Em conversa com os moradores da Vila, as guarnições descobriram que a dupla presa vai constantemente ao apartamento de Rodrigo, além da saída e entrada de outros suspeitos. As buscas no apartamento resultaram na apreensão de sete munições calibre 32; 40 munições calibre 22; e mais sete cápsulas deflagradas calibre 38. Na casa de Eduardo foi encontrada uma trouxinha de substância aparentando ser pasta-base de cocaína. 

Funcionários do estabelecimento assaltado informaram que momentos antes Rodrigo foi ao local para fazer um estudo, inclusive foi reconhecido por eles. Os criminosos relataram que há dois dias estavam praticando roubos pela cidade.

Todos foram conduzidos à Delegacia para serem ouvidos pela autoridade policial. As armas, munições e demais produtos apreendidos também foram entregues para compor a prova material dos crimes. Um oficial do Exército compareceu à Central de Flagrantes do 5º  DP (Distrito Policial) para acompanhar o desenrolar da ocorrência, tendo em vista que Rodrigo é soldado da corporação.

O trio foi encaminhado para audiência de custódia com a justiça, que foi realizada ontem, dia 10. Nos celulares deles havia fotos de placas de veículos que ainda serão investigadas para saber quem são os donos.

Segundo informações da Assessoria de Comunicação da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, os fatos estão sendo apurados e, caso se confirmem as suspeitas do envolvimento do militar com ilícitos de qualquer natureza, ele será excluído do Exército, a bem da disciplina. (J.B)

Rildo Lopes disse: Em 11/07/2018 às 14:16:01

"Macho bom te capinar um quintal! fica sendo escravo de facção, nasce na miséria e morre na miséria. "

???? disse: Em 11/07/2018 às 10:20:29

"Tadinho do rapaz da foto do meio, ta todo machucado, levem ele para fazer um curativo."

José disse: Em 11/07/2018 às 08:57:32

"Achei foi pouco para esses irmãozinhos kkkkkkkkkk... O crime não compensa. Parece que não apendem!! "