FORMAÇÃO
Seed promove curso de Magistério Yarapiari para professores indígenas
Criado em 2001 pela Hutukara, o projeto já concluiu a formação de 18 profissionais no Estado
Por Folha Web
Em 20/11/2017 às 16:45
O curso prossegue até o dia 16 de dezembro, contabilizando 30 dias de formação (Foto: Secom RR)

Vinte e cinco professores da etnia Yanomami começaram nesta segunda-feira, 20, a primeira fase do curso de Magistério Yarapiari. A formação é resultante de parceira entre a Secretaria Estadual de Educação e Desporto (Seed) e a Hutukara Associação Yanomami.

O curso prossegue até o dia 16 de dezembro, contabilizando 30 dias de formação, com aulas de domingo a domingo, das 8h às 12h e das 14 às 18h, nas dependências do Centro de Formação dos Profissionais da Educação de Roraima (Ceforr). Além do oferecimento das aulas, o Governo do Estado é responsável pela hospedagem dos índios no Centro e pelo fornecimento das três refeições diárias, conforme explica a diretora do Centro, Stella Damas.

“O Governo do Estado conseguiu trazer esses professores e vamos dar continuidade ao projeto. Eles farão o curso em três etapas. Essa primeira fase é de 30 dias. Depois, no próximo ano, faremos mais duas etapas também de 30 dias, para concluir o processo de formação deles”, disse.

Criado em 2001 pela Hutukara, o projeto Magistério Yarapiari concluiu a formação de 18 professores Yanomami, em 2009, por meio do Instituto Socioambiental. Em 2010, houve o processo de transição do curso para o Ceforr, mas as atividades estavam paralisadas desde 2011.

Segundo Stella, nesse primeiro momento, os professores indígenas receberão aulas de Língua Portuguesa, para dar maior segurança aos professores que deixarem suas localidades de origem.

“Eles só falam a língua materna, então teremos aqui uma estrutura com professores e intérpretes para atendê-los. O desafio é grande para nós e para eles, que deixam suas comunidades e passam a lidar com situações culturais totalmente diferentes”.

O presidente da Associação Hutukara, Davi Kopenawa Yanomami, falou da relevância da retomada do projeto. “Estava parado desde 2011, conversamos com autoridades do governo e conseguimos dar continuidade. Peço que eles aproveitem as oportunidades para aprender Português e Matemática, porque as comunidades são distantes, a hora do voo é muito cara. Aprendi apanhando por causa deles, por causa dos nossos direitos”, afirmou.

Segundo o secretário estadual de Educação, José Gomes, esta é uma entre várias ações efetuadas para qualificação dos professores indígenas. “Tivemos em setembro sete etnias fazendo Magistério Indígena e agora estamos retomando um projeto que estava adormecido há seis anos. Isso é de grande importância para os profissionais da educação e para os alunos”, ressaltou.

Informação reforçada pela diretora do Ceforr. “Cerca de 50% dos professores indígenas, número correspondente a aproximadamente 450 profissionais, já fizeram capacitação no Estado em 2017. Isso é um feito que há anos não acontece”, complementou.

Com informações do Governo de Roraima.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!