CHEQUE
Secretária garante apuração rápida e isenta
A titular da Sesp afirmou que o laboratório de perícia da Polícia Civil é equipado e tem renome pela qualidade
Por Folha Web
Em 29/01/2018 às 01:11
A titular da Sesp, Giuliana Castro: “perícia vai determinar a veracidade e se houve rasuras” (Foto: Secom-RR)

Em entrevista ao programa Agenda da Semana, na Rádio Folha AM 1020, no domingo, dia 28, a titular da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), Giuliana Castro afirmou que o laboratório de perícia da Polícia Civil irá investigar com rapidez e de forma isenta, os objetos apreendidos durante vistoria no prédio da vice-governadoria do Estado. 

Entre os itens apreendidos está um cheque ao portador, com valor de R$ 500 mil, assinado supostamente pelo presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), o deputado estadual Jalser Renier (SD).

A titular da Sesp afirmou que o laboratório de perícia da Polícia Civil é bem equipado e possui renome. “O trabalho feito aqui é reconhecido em todo o país, inclusive internacionalmente. Não tenho dúvidas que essa investigação ocorrerá da maneira mais correta possível. Eles vão verificar a assinatura do cheque, se houve rasuras e a veracidade dele. O mesmo procedimento será feito nos demais manuscritos”, detalhou.

Quanto a vistoria no prédio da vice-governadoria, Giuliana afirmou que ocorreu devido a renúncia do vice-governador, Paulo César Quartiero (sem partido). Ela disse que a partir do momento em que ele entregou o cargo, deveria ter feito a devolução dos bens.

“Recebemos um pedido da Casa Civil para acompanhar a vistoria de retomada do patrimônio. Eles pediram o apoio na segurança devido ao histórico de violência para com agentes públicos, do ex-vice-governador”, comentou.
Entre os bens pertencentes ao Governo do Estado havia carros, móveis, impressoras e computadores. “Durante o levantamento encontramos uma sala com processos oriundos da Prefeitura de Pacaraima. Filmamos tudo para garantir a lisura da ação. Havia processos de licitação, originais, da época em que ele era prefeito”, disse.

Ainda durante a vistoria, foi encontrado em um dos cômodos documentos manuscritos com anotações de quantias em dinheiro e nomes de políticos, além de uma mochila onde estavam: a carta de renúncia, o cheque e um cartão de crédito, dentro de um envelope de cor vermelha. “Foi tudo muito surpreendente, jamais esperávamos encontrar tal documento. Acionamos a Polícia Civil, que fez apreensão de tudo”, detalhou.

Ela lembrou que durante a ação, representantes legais de Quartiero tentaram acompanhar a visita e questionaram se havia uma ordem judicial permitindo a entrada no local. “Havia representantes da Ordem dos Advogados do Brasil em Roraima (OAB-RR) e permitimos que ele acompanhasse tudo. Não havia motivos para solicitar uma ordem judicial, o prédio e tudo dentro dele pertence ao Governo do Estado. Além disso, Quartiero já havia renunciado ao cargo e não tinha mais autonomia para isso”, explicou.

Quartiero nega existência de cheque e reafirma entendimento com ALE

O ex-vice-governador, Paulo César Quartiero (sem partido) negou a existência de cheque assinado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), Jalser Renier (SD) entre os pertences apreendidos pela Polícia Civil na sexta-feira, dia 26, no prédio da vice-governadoria. 

Em entrevista ao programa Agenda da Semana, na Rádio Folha AM 1020, ele afirmou que o ocorrido não passa de uma medida desesperada de um governo sem preparo e reafirmou ter entendimento com o Poder Legislativo para o impeachment de Suely Campos (PP).

Quartiero afirmou que após o isolamento do prédio da vice-governadoria e da apreensão de objetos pessoais, ele registrou um Boletim de Ocorrência. “Eles invadiram o prédio. Trocaram fechaduras e levaram minha mochila onde guardava documentos, remédios, R$ 2,5 mil, cartão de crédito, talão de cheques, roupas e chaves. Alegaram que teriam encontrado um cheque com valor de R$ 500 mil assinado pelo presidente da ALE-RR. Afirmo com total certeza que nunca vi aquele cheque”, declarou.

Segundo o ex-vice-governador, a governadora Suely Campos utilizou da máquina pública para fazer perseguição política. “Usaram a polícia para fazer repressão. Quando meu advogado tentou entrar no prédio para acompanhar o procedimento, ele foi impedido pela titular da Sesp, que estava acompanhada de homens armados. Prontamente ele acionou a Ordem dos Advogados do Brasil em Roraima (OAB-RR) e o Ministério Público Estadual”, esclareceu.

Com o prédio isolado, Quartiero fica impedido de prestar contas dos bens do Governo do Estado que estavam sob Cautela à Vice-Governadoria. “Como o meu pronunciamento foi na tarde de uma sexta-feira, deixei para fazer isso na segunda, mas fui pego de surpresa. O que consegui foi apenas devolver os carros que ficavam à minha disposição. Vou recorrer na Justiça, pois essa ação não tem o menor cabimento. Espero que me devolvam os objetos que me pertencem, pois entre eles tem documentos que necessito”, disse.

IMPEACHMENT – Quanto à renúncia ao cargo de vice-governador, Quartiero afirmou que tomou a decisão para que a ALE-RR inicie o processo de impeachment da governadora Suely Campos. “Não nego em momento algum que essa era a minha intenção. Sei que muitos deputados não queriam tirá-la do poder temendo que eu assumisse o cargo. Estou deixando o caminho livre para que eles resolvam essa situação. Esse governo incompetente precisa acabar e acredito que o poder legislativo encontrará a solução para colocar Roraima nos eixos novamente”, concluiu.

Mário Jorge Colares Farias disse: Em 29/01/2018 às 08:58:31

"Em Roraima tudo é possível mesmo. Lembra do avião que caiu com o Mimi. Já tinha um oficial bombeiro no local onde o avião caiu. E com um laudo pronto dizendo que o cadáver era da Mimi. Assim como no caso do indígena Aldo que aqui deram um lado de morte natural. Lá em Brasília; a UNB deu outro. Ele havia levado um tiro de espingarda no peito. "

Pessoa disse: Em 29/01/2018 às 08:17:14

"o que é estranho é o governo do Estado ser tao organizado e rápido para realizar uma inspeção deste tipo, pois esta é administração mais tapada que já passou pelo palácio do governo!!"

Carlos evandro pereira de menezes disse: Em 29/01/2018 às 07:36:24

"Politica Podre, Fora a todos que estão hoje nela, vamos renovar, vamos mudar tudo, tirar esses corruptos do poder."