OCORRÊNCIA
Procurador do município é preso em flagrante por embriaguez
Gostei (1) Não gostei (0)
Por João Barros
Em 20/02/2018 às 00:39

Enquanto realizavam patrulhamento pelas ruas do Centro de Boa Vista, guardas municipais depararam-se com um acidente de trânsito no cruzamento das avenidas Getúlio Vargas e Sílvio Botelho. Eles só não imaginavam que um dos envolvidos na ocorrência era um procurador do município, de 32 anos. Os dois veículos envolvidos no acidente são do modelo Toyota/Corolla.

Assim que chegaram ao local da colisão, os guardas pediram a documentação dos dois homens, ambos eram habilitados, os veículos estavam com a documentação em dia e sem qualquer restrição. Depois que descobriram que o procurador tinha confessado ter bebido no balneário onde estava, os guardas pediram apoio de uma viatura, com etilômetro, conhecido popularmente como “bafômetro”.

Além disso, a equipe da Guarda informou que o procurador estava em visível estado de embriaguez, gritando e proferindo palavras de baixo calão contra a condutora do outro veículo. Ele foi orientado a se conter. Com a chegada de uma viatura do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), os agentes instruíram os envolvidos no acidente a fazer o teste. A condutora do automóvel submeteu-se ao exame que resultou em 0,00 mg/l (miligramas por litro de ar), mas o homem negou-se a fazer o teste.

Os agentes do Detran tiveram que sair do local porque precisavam integrar a equipe de uma blitz e uma viatura da Superintendência Municipal de Trânsito (Smtran) foi acionada para fazer a constatação de embriaguez. Uma viatura da Ronda Municipal foi acionada para conduzir o homem até a DP, mas ele se recusou a entrar no veículo, alegando que não poderia ser levado à Delegacia por ser procurador do município.

Ele alegou ainda que só entraria na viatura se fosse acompanhado pela condutora do outro veículo e com a ciência do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Foram realizadas revistas e dentro do carro do procurador estavam quatro latas de cervejas, sendo que duas estavam vazias e duas lacradas.

O homem foi colocado na viatura e levado à Central de Flagrantes do 5º DP. Conforme o relato dos guardas, ele estava bastante alterado e a todo momento pedia para ser algemado, no entanto, o pedido foi negado. Na Delegacia, o Auto de Prisão em Flagrante (APF) foi lavrado pela autoridade policial que arbitrou fiança de R$ 5 mil, sendo paga pelo conduzido, motivo pelo qual foi liberado.

PREFEITURA – A Folha entrou em contato com a Administração Municipal para se manifestar a respeito da ocorrência, mas a Secretaria respondeu que, nesse caso, por se tratar de um assunto particular e fora do horário de serviço, não cabe à Prefeitura de Boa Vista se pronunciar sobre o assunto.

A Associação dos Procuradores também respondeu que não se manifestaria sobre o fato. (J.B)

HYHL disse: Em 20/02/2018 às 08:09:40

"uma vergonha,depois de ter participado de um acidente de transito e constatado embriaguez no volante, ainda quer ser uma autoridade de respeito...."