RISCOS AOS TURISTAS
Principais pontos turísticos do Estado não têm sinalização de rota e alerta
Acidente em cachoeira, no fim de semana, chamou a atenção para os cuidados com a segurança dos turistas
Por Berto Batalha Machado Carvalho
Em 12/01/2017 às 01:13
Diretor do Departamento de Turismo do Estado, Ricardo Peixoto (Foto: Arquivo/Folha)

A maioria dos pontos turísticos de Roraima não possui sinalização de alerta ou que indique as rotas para os turistas, o que representa insegurança e riscos a quem visita esses locais. A questão foi levantada depois que uma adolescente sofreu um acidente em uma das cachoeiras da Serra de Tepequém, no Município do Amajari, Norte do Estado, no domingo passado, quando ela escorregou e caiu de uma altura de 15 metros.

Conforme o diretor do Departamento de Turismo do Estado, Ricardo Peixoto, alguns projetos estão sendo desenvolvidos para que os problemas de sinalização sejam resolvidos. “Com relação à sinalização turística, o único projeto que temos consolidado está aguardando liberação de recurso do Governo Federal, o ‘Rota 174’, que prevê a sinalização da BR-174 de Manaus até o Caribe. A iniciativa comtempla as divisas do Estado do Amazonas e vai até Pacaraima [fronteira com a Venezuela], a Norte de Roraima”, informou Peixoto.

Atualmente, ele disse que o Estado está fazendo o levantamento dos pontos turísticos de Roraima para desenvolver outros projetos. “Os trabalhos estão sendo feitos de maneira individual para facilitar as ações, de acordo com cada região. A demanda requer uma quantia de recurso considerável e o Estado ainda não tem condições, por isso, precisamos da ajuda da União e dos municípios”, explicou.

O Departamento de Turismo afirma que está dialogando com as prefeituras para que seja feito um trabalho em conjunto. “Já começamos as negociações e acredito que, até junho deste ano, firmaremos a parceria entre União, governo e municípios. No momento, apenas cinco cidades de Roraima estão inseridas no mapa do turismo brasileiro. Mas buscaremos reverter esta situação convocando os prefeitos, nos próximos meses, para consolidar o trabalho integrado”, frisou.

Outro projeto destacado pelo diretor é o “Tepequém”, que prevê a implantação da sinalização turística e o ordenamento da região. “A iniciativa pretende criar uma entrada no Platô do Tepequém, onde haverá controle de acesso, de fluxo e de carga, de modo que a gente contenha invasões e ordene a questão do turismo naquela região. Além de ser uma maneira de evitar problemas e acidentes”, explicou Peixoto.

Segundo ele, o projeto “Tepequém”, assim como o “Rota 174”, está sendo analisado pelo Ministério do Turismo e o governo está aguardando liberação de recursos para dar início aos trabalhos. “Acredito que, até o final de deste ano, possamos finalizar os processos burocráticos dos dois projetos, que são prioridades em relação ao turismo no Estado”, complementou.

Além da segurança, a instalação da sinalização turística é um passo importante para a economia de Roraima. “O Tepequém, assim como outras regiões turísticas, é uma área privilegiada. Em um futuro próximo, iremos divulgar estes pontos para atrair mais turistas daqui e de outros estados, a exemplo do que fazem em outras regiões do país, como em Gramado, no Sul do Brasil”, disse. (B.B)

RIPA NA XULIPA disse: Em 12/01/2017 às 11:45:58

"Ela se machucou por não respeitar a natureza, vi na rede social a mesma tirando fotos na parte de cima da cachoeira, agua não tem cabelo... ninguém é retardado ao ponto de não saber os riscos de uma cachoeira... por acaso se vc observa uma corredeira você pula no meio pra saber se é raso?? claro que não! infelizmente ela se acidentou gravemente, porém cabe a cada um verificar os pontos perigosos antes de tentar algo."

Rodrigo Colares da Costa disse: Em 12/01/2017 às 09:04:08

"Quanta burocracia ! - Uma providência tão simples, barata, que ajuda no turismo, pois concebe a ideia de que o poder público está preocupado com a segurança das pessoas, porém, infelizmente a falta de visão de algumas autoridades não consegue antever esse benefício. "