ASSISTÊNCIA A MIGRANTES
ONU e Diocese firmam acordo de assistência a migrantes em Roraima
A iniciativa conjunta da União Europeia e do Escritório das Nações Unidas sobre drogas e crimes prevê investimentos de 11 milhões de euros em quatro anos
Por Folha Web
Em 30/09/2017 às 01:52
O acordo prevê ações desde orientação e de capacitação profissional, até o fornecimento de assistência material para migrantes em situação de maior vulnerabilidade (Foto: Arquivo/ Folha)

Representantes da Organização Internacional para as Migrações (OIM) e do Centro de Migrações e Direitos Humanos (CMDH) da Diocese de Roraima assinaram um acordo de subvenção para a execução de serviços de assistência direta a migrantes em situação de vulnerabilidade em Roraima.

O acordo faz parte do projeto financiado pela União Europeia denominado Ação Global para Prevenir e Combater o Tráfico de Pessoas e o Contrabando de Migrantes (GLO.ACT), e visa auxiliar organizações da sociedade civil a desenvolver programas de assistência e proteção a migrantes em situação de vulnerabilidade.

O acordo vai possibilitar a realização de sessões de capacitação profissional, workshops e sessões sobre os direitos dos migrantes, bem como o fortalecimento da capacidade do centro em prover assistência, orientação jurídica e administrativa e encaminhamento para os serviços públicos relevantes. O acordo também prevê o fornecimento de assistência material (roupas, alimentos, entre outros) para migrantes em situação de maior vulnerabilidade.

A GLO.ACT é uma iniciativa conjunta da União Europeia e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) que prevê investimentos de 11 milhões de euros em quatro anos (2015-2019). O projeto é implementado em parceria com a OIM e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

A iniciativa tem como meta apoiar autoridades governamentais e organizações da sociedade civil em 13 países estrategicamente selecionados: Belarus, Brasil, Colômbia, Egito, Quirguistão, Laos, Mali, Marrocos, Nepal, Niger, Paquistão, África do Sul e Ucrânia.

O projeto apoia o desenvolvimento de respostas mais efetivas de enfrentamento ao tráfico de pessoas e ao contrabando de migrantes, incluindo a assistência a vítimas e migrantes em situação de vulnerabilidade, por meio do fortalecimento dos mecanismos de identificação, encaminhamento e assistência direta.

Castro disse: Em 30/09/2017 às 11:41:40

"Porque essa ONU organização covarde ao invés de estragar o nosso Roraima num derrubar aquele imbecil que se diz presidente dá Venezuela e monta um plano de governo que recupere a Venezuela afinal quando lá está alinhado é bem mais barato viver e progredir do que no Brasil o país dos criminosos"

misael carvalhedo disse: Em 30/09/2017 às 08:30:28

"Se a Igreja Católica fosse a favor de planejamento familiar, não estaríamos vivendo essa crise migratória mundial!"

Christhian Rodolfo Torres Dominguez disse: Em 30/09/2017 às 07:40:34

" 11 milhões de euros em quatro anos (2015-2019) ....... 13 países , então fazendo contas quase um milhão por páis e ainda dividido em 4 anos da 211,000 euros ( 600,000 reais ) .......mais uma besteira"