FILOMENA E DIÓGENES
Na alegria e na tristeza, casal celebra 73 anos de união
Gostei (7) Não gostei (0)
Para Diógenes e Filomena, cumplicidade e diálogo são segredos de um casamento feliz
Por Raisa Carvalho
Em 24/12/2017 às 00:19
Todos os dias, o casal senta um do lado do outro para segurar as mãos e agradecer (Fotos Diane Sampaio)

“Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, por todos os dias de nossas vidas.” Os tradicionais votos de casamento foram seguidos à risca por Filomena Saldanha Pimentel e Diógenes Mesquita Pimentel que se casaram em 1944. Na época, ela tinha 19 anos e ele 28. O aniversário será comemorado com uma grande festa em uma fazenda na comunidade Olho d’água, Município de Normandia, com a presença de amigos e família.

Esbanjando saúde, Diógenes com cem anos e Filomena aos 91, relembram as melhores lembranças de todos esses 73 anos juntos. Eles dizem que a forma que um tem de olhar o outro permanece com a mesma admiração e paixão de quando disseram sim no altar e se tornaram marido e mulher. O casamento rendeu um filho, João Batista, além dos filhos de criação e netos.

Segundo Filomena, o segredo é o amor. Todos os dias, o casal senta um do lado do outro para segurar as mãos e agradecer em sua residência, em um dos bairros mais antigos da Capital, Aparecida. Na casa do casal, ainda a simplicidade e conforto que remete a lembranças da época em que as pessoas saíam de suas casas para visitar uns aos outros, tomar um café e ter uma prosa.

A gratidão também parece ser marca registrada do casal. Filomena reforçou a necessidade de agradecer pela saúde dos dois. “Temos que agradecer muito a Deus, que nos deu vida para completarmos esses 73 anos juntos, vivendo tudo que vivemos. Minha mãe também viveu muitos anos, chegou aos 86 anos, e conversava com ela e pensava. “Mamãe, será que vou viver tanto tempo? E cheguei até aqui ao lado do meu marido”, contou emocionada.

Diógenes ressaltou a importância de saber filtrar os problemas e estar sempre disposto a ajudar um ao outro. As dificuldades nunca os fizeram sofrer e ele acredita que o principal desafio dos casais de hoje está em superar a falta de paciência.

“Sempre nos ajudamos muito, eu trabalhei na roça todos os dias, ela cuidava de casa, agora com a nossa velhice estamos sempre em casa, cuidando um do outro. Lembro com carinho do dia do nosso casamento, aqui em Boa Vista, quase não tinha casas na época, era tudo muito calmo e tranquilo”, disse.

O casal acredita que seu casamento pode ser um exemplo para os mais jovens. “Queremos ser um exemplo de amor e união para todos”, disse Filomena.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!