EM SÃO LUIZ
Moradores reclamam do gosto da água distribuída pela Caerr
População relata que reservatório da Companhia de Águas e Esgotos no município parece um “chiqueiro”
Por Erik Mota
Em 18/01/2018 às 01:53
Moradores estão preocupados com a qualidade da água que chega às torneiras de seus lares (Foto: Arquivo/Folha)

A água, quando não é tratada corretamente, pode trazer riscos à saúde do ser humano. Segundo relatos de moradores do município de São Luiz do Anauá, na região sul do Estado, a água fornecida à população pela Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caerr) que tem chegado às torneiras é de qualidade duvidosa.

Ontem, 17, um morador de São Luiz, que optou por não ser identificado, disse que o reservatório da Companhia está em situações precárias e distribuindo água imprópria para o consumo. “De umas semanas pra cá, a água tem chegado com o gosto forte e diferente”, contou.

O morador disse que já entrou em contato com a Caerr para informar sobre a qualidade da água que está chegando às torneiras, no entanto, os funcionários dizem que não há nada de errado. Devido à incerteza em ter que utilizar o líquido, tanto para beber ou preparar refeições, ele disse que está gastando a mais do orçamento comprando galões de água. “É uma das alternativas que temos, fazemos isso ou corremos o risco de ficar doentes”, disse o denunciante.

Na cidade, de acordo com o residente, o galão de água custa de R$ 6,00 a R$ 10,00. “É complicado, além de gastar com a conta d’água, ter que tirar mais do bolso pra comprar água potável”, comentou.

Optando por não ser identificada, uma moradora disse que o reservatório da Caerr tem muita semelhança com um ‘chiqueiro’ e, por conta da precariedade, teme ser esse o motivo de muitos moradores ficarem doentes. “Tem muita gente na cidade sendo acometida por infecção. A suspeita dos moradores é a qualidade da água. Estamos preocupados”, relatou.

OUTRO LADO – Em nota, a Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caerr) informou que não recebeu nenhuma reclamação sobre o abastecimento de água no município de São Luiz. A Companhia ressaltou que o abastecimento está sendo feito normalmente, e que não há nenhuma restrição em relação ao reservatório de água utilizado no município.

“Reforçamos que mantemos, de forma contínua, o controle de qualidade da água, o que inclui a coleta de amostras e análise no laboratório localizado no município e ainda a análise pelo NCQ (Núcleo de Controle de Qualidade), na capital, atendendo à portaria 2914/11 do Ministério da Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade”, informou.

Além disso, a Companhia envia os relatórios com as informações sobre as análises realizadas, na capital e no interior, para os órgãos de controle e de saúde locais e para o Ministério da Saúde. “O objetivo é manter a transparência no processo e atender às normas estabelecidas pelos órgãos de controle, confirmando a responsabilidade e o compromisso da empresa na prestação do serviço”, frisou.

Para qualquer dúvida, os usuários podem entrar em contato direto com a empresa por meio dos canais de comunicação, entre eles a Central de Atendimento 0800-280-9520, o aplicativo Caer Mobile (disponível para Android) ou por meio do portal da Companhia, www.caer.com.br. (E.M)

DANIEL ROBSON disse: Em 18/01/2018 às 08:16:03

"É possível sentir o mau cheiro só de passar ao lado do reservatório pela BR 210."