ESTRADAS PRECÁRIAS
Moradores do Anzol querem recuperação de vicinais
Gostei (1) Não gostei (1)
Por Paola Carvalho
Em 05/02/2018 às 01:10
O vereador afirma que mais de 55 famílias podem ter seu sustento prejudicado, se não houver uma forma de escoar a produção (Fotos: Diane Sampaio)

Moradores da Vicinal do Anzol, zona Rural de Boa Vista, acionaram a Câmara para expor preocupações quanto a precariedade das estradas que dão acesso ao local. Os agricultores temem que as chuvas piorem a situação prejudicando o escoamento da produção.

Em entrevista ao programa Agenda Parlamentar, na Rádio Folha AM 1020, no sábado, dia 3, o vereador Ítalo Otávio (PR) informou que foi um dos acionados pelos moradores. Ele foi até a comunidade conhecer o problema e escutar o relato das famílias.

Destacou que residentes do Anzol se dizem tristes com a falta de assistência do Executivo municipal. São 55 famílias que estão sem saber o que fazer porque as pontes estão ruins. Caminhões passam por lá e é perigoso acontecer algum acidente.

“As condições das estradas dificultam até o tráfego de carros pequenos”, informou. “Enquanto deveriam estar preocupados com a produção deles, estão preocupados com a estrada, e como vão fazer para escoar a produção. É dali que eles tiram o sustento”, completou.

A precariedade das estradas prejudica tanto os pequenos agricultores, quanto os compradores daqueles produtos. O vereador informou que na comunidade existem criadores de aves, plantio de frutas e verduras vendidas para supermercados e feiras da Capital.

"Algumas pessoas não entendem porque a política pública deve atender ao setor primário. Sem boas estradas para escoar a produção ficamos desabastecidos. E vigora a lei da oferta e da procura. Os produtos ficam mais caros”, afirmou.

O vereador informou que os moradores encaminharam ofício à Secretaria Municipal de Obras, responsável pela recuperação de vicinais e construção de pontes, mas a resposta foi negativa. “Estive na secretaria e as pontes de lá não estão contempladas para recuperação”, lamentou.

Apesar da situação, o vereador informou que vai continuar cobrando um posicionamento do poder público. “Estive com o secretário para que se tome alguma medida. Temos que fazer algo. Nem que seja um paliativo para atender os moradores na época do inverno. Acredito que seja uma das soluções”, apontou. (P.C)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!