RORAINÓPOLIS
Moradores de Nova Colina ficam sem energia por mais de 24h
Gostei (2) Não gostei (0)
Por Folha Web
Em 19/09/2017 às 01:39

Cerca de cinco mil moradores da Vila Nova Colina, a 45 quilômetros da sede do município de Rorainópolis, no sul do Estado, passaram mais de 24 horas sem energia elétrica neste fim de semana. O apagão ocorreu na tarde de sábado, 16, sucedido de oscilações que vinham ocorrendo desde o dia anterior, e se estendeu até domingo, 17.

Segundo os moradores, é comum ocorrerem apagões diários, que variam entre uma e duas horas, desde janeiro deste ano, quando a Eletrobras assumiu a responsabilidade pela distribuição de energia em todo o Estado.

De acordo com o microempresário do ramo de serralheria, Célio Albuquerque, apesar da vinda da Eletrobras ter sido boa para a resolução de problemas quanto à iluminação pública em Nova Colina, os apagões se tornaram mais frequentes e longos. “Não sei se isso tem a ver com a instalação de postes novos ou com o problema de distribuição de energia da Venezuela, mas não dá para negar que a situação tem estado pior do que de costume.”, afirmou.

O dono de serraria Tarcísio Magno, que já teve diversos problemas devido aos apagões e oscilações, comentou que durante o dia quase ninguém pode ligar o ar-condicionado sem que acarrete numa oscilação de energia. “Só posso ligar o meu aparelho em casa depois das 18h, quando boa parte dos comércios daqui fecha. Só quem possui gerador consegue ter uma energia que não seja tão imprevisível, como é o caso da maioria das lojas e supermercados daqui”, ressaltou.

Mesmo possuindo transformador e motores de energia na sua loja, Magno afirmou que já houve diversos apagões que prejudicaram aparelhos e acabaram custando caro para seu empreendimento. “Da última vez que houve queda de energia, neste fim de semana, tive um prejuízo de mais de R$25 mil em equipamentos e transformador queimados. Graças a Deus, eu ainda consigo arcar com o prejuízo, mas muitos não possuem condições de manter geradores ou comprar novos eletrodomésticos”, frisou.

Devido ao crescimento da população da vila, graças à concentração de indústrias de madeira na região, muitos que se mudam para a região e se deparam com falta de linhas de distribuição e acabam sendo obrigados a realizarem ligações clandestinas, os chamados “gatos”.

“A população de Nova Colina vêm aumentando e bairros novos estão se desenvolvendo rapidamente sem a urbanização ou distribuição de energia necessária. Essas pessoas, que acabam recorrendo aos ‘gatos’, com certeza pagariam por uma energia elétrica de qualidade ao invés de dependerem de uma duvidosa se tivessem essa opção”, disse o morador Célio Albuquerque.

ELETROBRAS – Por meio de nota, a Eletrobras Distribuição Roraima informou que na sexta-feira, 15, fortes chuvas em Nova Colina causaram a queima de vários equipamentos da rede elétrica e queda de postes, o que gerou falta de energia na região. Frisou que equipes da empresa trabalharam durante dois dias ininterruptos para normalizar o fornecimento de energia.

“Três postes da rede elétrica foram quebrados, além de para-raios e outros equipamentos que foram queimados, tiveram que ser substituídos”, destacou acrescentando que a vila é interligada ao sistema da Capital e toda falta de energia na linha de transmissão da Venezuela também atinge a região.

Quanto a demais oscilações ou faltas de energia por problemas específicos na localidade, a Eletrobras afirmou que aciona suas equipes para resolver e restabelecer o fornecimento toda vez que uma ocorrência é prestada. Sobre a existência de “gatos”, informou que vêm atuando para evitar esse tipo de prática, que é crime. “Em caso de falta de energia, o consumidor deve informar a empresa pelo telefone 0800 70 19 120”, destacou.

PREFEITURA - A Folha tentou entrar em contato com a Prefeitura de Rorainópolis para saber a respeito do acompanhamento em relação ao crescimento populacional da vila e sua consequente necessidade de urbanização. Até o fechamento desta matéria, não houve retorno. (P.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!