CAMPANHA DE VACINAÇÃO
Meta é vacinar 300 mil pessoas contra o sarampo até o fim de abril
Gostei (0) Não gostei (0)
Ação será executada em todos os 15 municípios, especialmente nas vicinais, vilas e comunidades indígenas de difícil acesso
Por Paola Carvalho
Em 08/03/2018 às 01:03
A governadora Suely Campos quer evitar que o Estado seja a porta de abertura para uma doença que já havia sido erradicada no país há três anos (Foto: Nilzete Franco)

O Governo do Estado lançou ontem, 7, oficialmente a campanha de vacinação contra o sarampo. O Dia "D" acontece neste sábado, 10, mas a campanha será prolongada até o dia 30 de abril. A meta é vacinar 300 mil pessoas em Roraima.

A campanha será realizada em parceria com o Ministério da Saúde (MS), a Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde (Opas/OMS) e os 15 municípios. Foram disponibilizadas 100 mil doses de vacina e mais 50 mil ainda serão enviadas pelo MS. A população poderá contar com 130 postos de vacinação em todo o Estado. As unidades de básicas de saúde serão os postos fixos e outros pontos móveis serão abertos em locais estratégicos com grande circulação de pessoas, como feiras, shoppings e praças.

Os municípios receberam cartazes, faixas, folders, camisas e bonés para divulgação da campanha e mais 60 computadores para instalação dentro das salas de vacina. O objetivo é que seja estabelecido um sistema digital e nominal, ou seja, um cadastro online para descobrir quem tomou a vacina pelo nome da pessoa, sem a necessidade do cartão de vacinação.

O mote da campanha, conforme a governadora Suely Campos, não é só atrair a população para os pontos de vacinação, mas também chegar à população dentro de suas casas, nas sedes dos municípios, vicinais e vilas de difícil acesso, através dos agentes de endemias e profissionais da saúde. "Nós não podemos deixar que o nosso estado entre em uma grande epidemia, por isso é necessário que os prefeitos de todos os municípios se envolvam nessa grande campanha. É necessária a conscientização e mobilização de toda a população", disse a governadora.

"A nossa meta é vacinar 300 mil pessoas. É uma meta muito audaciosa até, mas nós vamos trabalhar para conseguir alcançá-la. Nós não podemos ser o Estado que vai abrir a porta de uma doença que já havia sido erradicada no país há três anos. Vamos lutar para evitar que isso aconteça", completou Suely.

A coordenadora de Vigilância em Saúde Estadual, Daniela Souza, afirmou que o Estado tem uma cobertura vacinal de 80%. Apesar do índice alto, os números ainda apresentam risco para a população. "Nós sempre tivemos dificuldade de acesso e por isso vamos focar nesses 20% restantes. Já temos 37 casos suspeitos no Estado, oito confirmados com sarampo e a suspeita de um óbito de uma criança venezuelana por conta da doença. É uma situação crítica que precisa ser combatida", salientou.

PARCERIAS - O prefeito de Bonfim, Joner Chagas, informou que toda a administração do município estará focada para participar da campanha nos 30 dias. "Além da sede, temos mais cinco vilas do interior e 17 comunidades indígenas. O município é grande, extenso pela área geográfica. Não será fácil, mas com a ajuda da nossa equipe e apoio do governo e da Sesai, nós vamos atender a todos", garantiu.

Já a representante da Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde (Opas/OMS), Haydee Padilla, esclareceu que a instituição veio a Roraima em resposta a uma solicitação do ministro da Saúde, Ricardo Barros. A Opas/OMS pretende auxiliar o Estado com acompanhamento técnico, assessoria e compartilhando experiências de combate a doenças já executadas em outros países e até mesmo no Brasil. "A situação em Roraima hoje é controlável. Vemos muita disponibilidade. O Brasil, em sua totalidade, tem uma equipe técnica muito qualificada. Acho que a campanha vai ser um sucesso”, avaliou Padilla.

CAPITAL - A Prefeitura de Boa Vista (PMBV) já havia divulgado a adesão à campanha contra o sarampo com o Dia ‘D’ de vacinação. Segundo a PMBV, serão 50 pontos de vacinação fixos, entre unidades básicas de saúde, creches, escolas, shoppings e terminais de ônibus.

O Dia D também contará com um posto móvel estratégico que ficará entre os semáforos da Av. Ataíde Teive com Av. Venezuela; Av. Venezuela com Ene Garcês, próximo ao Ibama; Av. Ville Roy com Santos Dumont, próximo a Femarh e Av. Mario Homem de Melo, com Av. Venezuela. Após a realização do Dia D, a Prefeitura já planeja duas grandes ações de vacinação nas Praças Simón Bolívar e Capitão Clovis.

Em Boa Vista, foram disponibilizadas 50 mil doses de vacina. Durante a campanha, a aplicação será ampliada para alcançar crianças a partir dos seis meses a adultos de até 49 anos de idade. Todas as unidades básicas com sala de imunização possuem a vacina. A faixa etária a ser alcançada é de 3.300 crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias; 2.027 crianças de um ano a 4 anos, 11 meses e 29 dias; 158.529 crianças de 5 anos a adultos de 49 anos 11 meses e 29 dias. Além de 24.940 venezuelanos que estão em Boa Vista.

Saiba quem precisa ser imunizado contra sarampo

De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, quem na infância já teve sarampo, não precisa tomar a vacina. A doença só se pega uma vez, ou seja, a pessoa está imune. Quem tem 29 anos e tem duas doses de vacina comprovadas através de uma carteirinha de vacinação ou registro, também não precisa. De 29 a 49 anos é preciso ter uma dose, também comprovada.

A coordenadora reforça que quem não tem como comprovar ou não se lembra de ter tomado a vacina, precisa procurar um posto de saúde. "Se eu sou adulto, estou em dúvida, não tenho o cartão e não tenho como garantir se realmente tomou a dose da tríplice, é preciso sim ir em busca da vacina nos postos de saúde. Hoje nós já estamos em uma faixa etária da população com sarampo de quatro meses suspeito a 39 anos. Então, já temos de crianças a adultos com suspeitas da doença. É muito importante imunizar, é a única maneira da gente evitar o nosso surto". (P.C)

Manuel disse: Em 08/03/2018 às 09:22:24

"E fechar a fronteira? "