VICE-GOVERNADORIA
Material apreendido será investigado em parceria pelo MPRR e Sesp
Medida foi divulgada após a Procuradoria-Geral de Justiça do MPRR ter solicitado a entrega dos itens apreendidos para preservar e manter a legalidade das provas
Por Paola Carvalho
Em 01/02/2018 às 01:35
Material apreendido continuará sob forte escolta policial no Instituto de Criminalística para a realização de perícia (Foto: Nilzete Franco)

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) vai coordenar as investigações dos materiais aprendidos na Vice-Governadoria em vistoria realizada na última sexta-feira, 26, em parceria com o Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR). A informação foi repassada à Folha na noite de ontem, 31.

De acordo com o Governo do Estado, as investigações referentes ao material apreendido na Vice-Governadoria seguirão em conjunto com o Ministério Público Estadual e o material apreendido continuará sob forte escolta policial no Instituto de Criminalística, onde permanece desde a tarde de segunda-feira, para a realização da perícia técnica.

A Sesp informou ainda que, os autos foram encaminhados à Procuradoria-Geral de Justiça para as providências cabíveis e reforçou que não serão fornecidas mais informações “para não haver prejuízo para as investigações”.

A Folha também entrou em contato com o Ministério Público para obter mais informações sobre o andamento do processo, porém não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

ENTENDA – Na segunda-feira, 29, a Procuradoria-Geral de Justiça do MPRR requisitou da Secretaria de Segurança Pública toda a documentação e material recolhido nas dependências da Vice-Governadoria. Segundo o Ministério Público, a requisição foi motivada após informação veiculada na imprensa local “relatando suposta prática de atos ilícitos envolvendo pessoas com prerrogativa de função”.

O caso faz referência à diligência realizada na sexta-feira passada, 26, pela Casa Civil, Casa Militar e Sesp. Na ocasião, a delegada Giuliana Castro, titular da Sesp, afirmou à imprensa que a equipe encontrou um cheque no valor de R$ 500 mil em uma mochila possivelmente do ex-vice-governador Paulo César Quartiero (sem partido), supostamente assinado e carimbado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), Jalser Renier (SD).

Além disso, também foram apreendidos documentos originais da Prefeitura de Pacaraima, agendas, um pen drive e anotações manuscritas que indicavam um possível esquema de compra e venda do cargo de vice-governador.

O ofício determinava que todo o material coletado fosse submetido à análise da Procuradoria-Geral de Justiça, órgão com atribuição constitucional para o processamento do caso, bem como para adoção de demais medidas judiciais no prazo de 24 horas. O MPRR informou que a “iniciativa visava preservar e manter a legalidade das provas”. (P.C)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!