NO DOMINGO
Mais de 5 mil candidatos fizeram vestibular da Uerr
Primeiro certame com a inserção do curso de Medicina na grade da instituição teve índice de abstenção de 12,38%, com 723 faltosos
Por Luan Guilherme Correia
Em 04/12/2017 às 01:55
Candidatos consideraram a prova difícil e bem elaborada, mas saíram confiantes (Foto: Diane Sampaio)

Pouco mais de 5,1 mil estudantes fizeram a prova do vestibular da Universidade Estadual de Roraima (Uerr) no domingo, 3. Segundo a banca organizadora, dos 5.844 inscritos, 723 deixaram de comparecer aos locais do certame que ofertou 760 vagas em 22 cursos.

O índice de abstenção foi de 12,38%, menor que o registrado no ano passado, quando 14,6% dos candidatos não compareceram. O local de provas que mais teve ausência de candidatos foi a Escola Estadual Ana Libória, com 77 faltosos.

A prova iniciou às 8 horas, com o fechamento dos portões às 7h45. Alguns candidatos que não se atentaram ao edital do vestibular, acabaram chegando atrasados e perderam a prova. “Não sabia que os portões fechariam 15 minutos antes. Foi falta de atenção”, lamentou a estudante Adriana Gomes.

Durante o certame, o candidato teve cinco horas para responder questões objetivas e escrever a redação, que teve como um dos temas os impactos da migração venezuelana no Estado. O resultando final do vestibular será divulgado no dia 25 de janeiro de 2018, com início das aulas em fevereiro.

CANDIDATOS – O estudante da rede pública de ensino Wellington OIiveira, de 17 anos, viajou mais de 500 quilômetros para concorrer a uma das vagas do curso de Física. Ele é morador da Vila Nova Colina, em Rorainópolis, no sul de Roraima, e fez pela primeira vez uma prova de vestibular. “Lá não tem cursinhos e nem escola particular. Estudei com ajuda de livros e da internet”, disse.

O jovem Thiago Leopoldo, de 17 anos, também concluiu o ensino médio em escola pública e prestou vestibular para o curso de engenharia, um dos mais concorridos da instituição. “Achei a prova bastante difícil, principalmente nas questões de ciências biológicas. Mas foi bem elaborada e estou confiante que posso passar”, destacou.

RECURSO – Os candidatos podem entrar com recurso por meio do formulário eletrônico disponibilizado no site da Comissão do Vestibular (https://cpc.uerr.edu.br/?cat=78.) em até dois dias úteis, 4 e 5 de dezembro, das 8h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30.

GABARITO – O gabarito preliminar da prova objetiva foi divulgado no site da Uerr no início da noite de ontem. Após a divulgação dos gabaritos oficiais, a Comissão faz a correção das provas e, posteriormente, a divulgação das respectivas pontuações preliminares, conforme previsto no edital. Concluídos os julgamentos dos recursos, serão divulgadas as classificações, preliminar e final, previstas para o dia 25 de janeiro de 2018.

CURSOS – Os cursos ofertados pela Uerr, para os campi de Boa Vista e Rorainópolis, neste vestibular são: Administração (35 vagas), Agronomia (35), Ciência da Computação (35), Ciências Biológicas (35), Ciências Contábeis (35), Ciências Humanas (35), Direito (35), Educação Física (35), Enfermagem (30), Engenharia Florestal (35), Filosofia (35), Física (35), Geografia (35), História (35), Letras (35), Matemática (35), Medicina (30), Pedagogia (35), Química (35), Segurança Pública (35), Serviço Social (35) e Turismo (35).

Curso de Medicina atraiu mais de 2, 6 mil candidatos

Uma das principais mudanças para o vestibular deste ano na Uerr foi a inclusão do curso de Medicina na grade da instituição. Foi de longe o mais concorrido do vestibular, com 2,6 mil inscrições e concorrência de 89,07 candidatos por cada uma das 30 vagas.

O curso de direito apareceu em segundo lugar na concorrência, com 884 inscritos. São 35 vagas e a concorrência e de 25.26 por um. O curso de enfermagem veio como o terceiro mais concorrido, com 453 inscritos, disputando 35 vagas. São 15,1 candidatos por vaga.

A Uerr avaliou que a qualidade do curso de Medicina deverá ser excelente devido ao quadro de professores doutores e da estrutura que está sendo montada, inclusive com a implantação de um moderno laboratório de anatomia.

Do total de vagas destinadas ao curso, 80% são para estudantes de escolas públicas da Capital e do interior do Estado e 20% para candidatos vindos de outros Estados. Com apenas 15 anos, o estudante de um dos colégios militares de Boa Vista, Thales Felipe, já concorre a uma dessas vagas. “Ainda estou concluindo o ensino médio e decidi fazer a prova para testar meus conhecimentos. Achei bem difícil”, afirmou.

A candidata Luana Grazielle, de 17 anos, destacou que a implantação do curso de medicina na Uerr deve abrir portas para estudantes menos favorecidos. “A questão das cotas é importante, porque muitas pessoas vêm de fora para ficar com essas vagas que deveriam ser de quem mora aqui e vem de escola pública”, frisou. (L.G.C)

agrinaldo clarindo carvalho disse: Em 04/12/2017 às 20:04:12

"Ocorre que Boa Vista é uma cidade de migrantes e a maioria dos potenciais candidatos que moram aqui finalizaram o ensino médio em outros estados. Além disso, tem o pessoal que fez o ENCCEJA e cursos supletivos pela internet. Essa lei é inconstitucional"