TENTATIVA DE HOMICÍDIO
Indivíduo tenta matar vizinho de apartamento a facadas
Por João Barros
Em 03/01/2018 às 00:56
Foto: Divulgação

Uma vila na Rua José Queiroz, bairro Buritis, quase virou local de homicídio no primeiro dia de 2018, quando um homem de 50 anos foi atacado por um indivíduo, de 21 anos, que tentou matá-lo usando uma faca. O caso ocorreu no fim da manhã, depois que a vítima chegou das festas de comemoração da virada de ano.

A Polícia Militar foi acionada via Ciops, a princípio, para atender uma ocorrência de estupro, mas ao chegar ao endereço descobriu que se tratava de uma tentativa de homicídio. O homem ferido estava em estado de choque.

A vítima contou que depois de chegar do festejo deitou-se para descansar, quando o vizinho bateu na porta pedindo água, informando que em seu apartamento não tinha geladeira e estava com sede. O homem disse que se levantou, abriu a porta e entregou uma garrafa com água ao elemento e depois disso retornou para a cama.

Passado algum tempo, a vítima notou que o indivíduo conseguiu entrar no quarto com a faca na mão, o que o fez reagir no mesmo instante, travando luta corporal até conseguir desarmar o suspeito. O acusado fugiu, enquanto a vítima gritava, pedindo ajuda. Os vizinhos conseguiram deter o suspeito até a chegada da guarnição.

O homem foi ferido na boca enquanto tentava se defender. Ele contou à equipe policial que acreditou que iria morrer devido às investidas do suspeito. A vítima teme por sua segurança porque o responsável pelo atentado é seu vizinho.

A PM revelou que o suspeito estava em visível estado de embriaguez e se dizia inocente, alegando que teriam que provar o crime. Os militares entraram no apartamento do suspeito, mas não há qualquer eletrodoméstico, móvel ou indício de que ele more no local, considerando que a única coisa encontrada foi uma sacola contendo latas de cervejas cortadas ao meio, para o uso de entorpecentes. O indivíduo confessou que é usuário de drogas, assim como o colega de quarto.

O caso foi parar no Plantão Central do 5º DP, onde o suspeito foi ouvido pela autoridade policial que decidiu lavrar o Auto de Prisão em Flagrante (APF) por considerar que havia elementos contundentes contra o conduzido. Ele ficou detido numa das celas da unidade policial até a manhã de ontem, dia 2, quando foi levado para audiência de custódia com a Justiça. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!