SEM PREVISÃO
Governo descarta reajuste salarial para os servidores públicos este ano
Gostei (22) Não gostei (296)
Secretário afirma que proposta de reajuste salarial só será estudada quando houver crescimento de transferências federais, como o FPE
Por Folha Web
Em 01/11/2017 às 00:30

Questionado sobre a cobrança feita pelos sindicatos dos servidores públicos sobre o aumento salarial, o secretário extraordinário do Gabinete Institucional (Segabi), Frederico Linhares, informou que, no cenário econômico enfrentado pelo país, para 2017 não existe uma previsão de reajuste salarial. “Infelizmente, esse reajuste gera um impacto bastante significativo nos cofres estaduais, por isso nós não podemos falar de uma previsão”, disse.

Segundo ele, o governo tem implantado, desde o ano passado, todos os direitos previstos no plano de carreira dos servidores e que um planejamento está sendo feito pela equipe econômica para analisar os números, especialmente os de transferência federal.

“O Governo Federal há muitos anos não concede reajuste. É evidente que essa é uma prioridade para o nosso governo, só que precisamos ser responsáveis, especialmente quando percebemos que as transferências federais não estão atingindo os patamares que aguardávamos. E o Governo Federal ainda está passando por uma crise profunda e isso afeta muito o Estado”, justificou.

Segundo ele, é necessário que cresça o volume das transferências, especialmente o do Fundo de Participação dos Estados (FPE), para que ocorram possíveis reajustes. “O FPE é a principal base de renda do Governo do Estado. Assim que isso acontecer e tivermos confiança que há um crescimento mais sólido, serão feitos estudos necessários para fazer os reajustes no momento ideal”. (E.M)


 DATA-BASE 

Sindicatos fazem manifestação para cobrar reajuste do Governo do Estado

Diante do não cumprimento do Governo do Estado em relação ao pagamento do reajuste da data-base de 2016 e 2017, sindicalistas realizaram, na manhã desta terça-feira, 31, uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Estado (ALE), no Centro Cívico. Esta é a segunda mobilização que os sindicalistas realizam em menos de uma semana. A primeira foi realizada no sábado, 28, durante a festa de comemoração do Dia do Servidor Público, realizada no Parque Anauá, conforme divulgado pela Folha.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Civis Efetivos do Poder Executivo do Estado de Roraima (Sintraima), Francisco Figueira, destacou o não cumprimento da data-base de 2017 como a principal reivindicação, tendo em vista que em maio deste ano a governadora Suely Campos (PP) informou aos sindicalistas que o reajuste seria efetivado em outubro, com retroativo a maio. No entanto, o sindicalista não recebeu nenhum posicionamento do Estado até o momento.

Conforme explicou, os servidores não podem perder as conquistas que já alcançaram nos últimos anos, apesar de o salário ter melhorado e do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) de diversos órgãos já se encontrarem em processo de negociação. “A data-base 2016 foi esquecida, estamos lembrando e também queremos receber. A manifestação é para mostrar ao governo que nós estamos atentos”, disse.

Figueira reforçou que o salário do servidor público tem sido corroído pela inflação e que o servidor está sendo prejudicado em relação ao poder de compra. Segundo ele, a inflação de 2015, que deveria ter sido aplicada na data-base de 2016 deu mais de 10%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Este ano, a inflação de 6,29% prevista em 2016 também não aconteceu.

Conforme o sindicalista, permitir que a data-base não seja cumprida vai resultar aos servidores uma situação semelhante à situação de anos atrás, quando os aprovados em concurso iniciavam a carreira ganhando um salário mínimo, ou mais, e depois passavam a receber menos de um salário mínimo em razão das reposições abaixo do índice inflacionário. “Estamos na luta para que os servidores tenham os salários reajustados e não percam o seu poder de compra”, frisou.

O presidente do Sindicato dos Técnicos Agrícolas do Estado de Roraima (Sintag), Claudionei Simon, destacou que, em anos anteriores, os servidores recebiam um reajuste de 4,5% que, apesar de não condizer com a inflação, era repassado aos trabalhadores. Ele reforçou que a manifestação é uma prova da indignação sindicalista junto ao governo por não cumprir a data-base, na qual a categoria expõe o posicionamento em relação às medidas tomadas pelo Executivo.

Para os próximos dias, os sindicalistas informaram que será marcada uma assembleia geral com os servidores para saber o que a categoria fará daqui para frente. No início do mês, Figueira disse que os trabalhadores definiram as duas manifestações que foram realizadas até agora. Os sindicalistas disseram que vão seguir com manifestações apenas mostrando as faixas que representam os anseios dos servidores. (A.G.G)

Didone disse: Em 01/11/2017 às 10:57:51

"É no passinho do 11 que mais um ano consecutivo ficamos sem a reposição constitucional, enquanto os poderes legislativo e judiciário pagam para os seus servidores os do poder executivo não receberam em 2016 e 2017, a desculpa é do FPE, mas essa desculpa não cola, pois o valor só fez alimentar para o Estado de Roraima, mas ano que vem é ano de eleição e será um prazer retirar essa família de sangue suga do palácio Senador Hélio Campos em 2018. #fora_Suely_em2018, "

Didone disse: Em 01/11/2017 às 10:53:32

"É no passinho do 11 que mais um ano consecutivo ficamos sem a reposição constitucional, enquanto os poderes legislativo e judiciário pagam para os seus servidores os do poder executivo não receberam em 2016 e 2017, mas ano que vem é ano de eleição e será um prazer retirar essa família de sangue suga do palácio Senador Hélio Campos em 2018. #fora_Suely_em2018."

Barreto disse: Em 01/11/2017 às 09:25:01

"Acho um absurdo isso pois os aumentos de taxas continuam, daqui uns dias estaremos pagando p trabalhar uma vez que não nos dão condições para isso, e ai, o povo se cala diante de tanta injustiça....."

Aramis disse: Em 01/11/2017 às 09:05:34

"Governo de mentira. Governo do Povo dela. No Diario Oficial todo dia tem suplementação orcamentaria por aumento de arrecadação para a SETRABES que eh dirigida por aqule debiloide."

Manuel disse: Em 01/11/2017 às 09:02:39

"O que me preocupa é a qualidade dos candidatos para 2018... só temos porcarias."

karré disse: Em 01/11/2017 às 08:23:17

"E o salário? Cadê? ?"

Marcus Farias disse: Em 01/11/2017 às 07:48:34

"é reajuste para trabalhador nao querem conceder de modo algum, sempre nao tem viabilidade , mas é viavel reajustar uma tarifa de energia a mais de 30% ? o trabalhador quer ao menos sua revisao anual que é bem baixinha , agora pra aumentar gás energia ou salario de deputados e vereadores sempre podem , mas a clsse maioritaria que leva o estado nas costas nao merece ? isso é uma sacanagem do brasil,isso é o povo que aceita, nehum politico que compactuar com tal atitude deve voltar a ocupar nehum cargo eletivo ..."

jose maria lira da costa disse: Em 01/11/2017 às 07:43:50

"Então pra que ele prometeu, esse governo herdou, o pseudônimo do governo passado, governo de mentira, quando era plantado no mente do povo o governo de verdade, agora passou a ser de mentira, depois da greve prometeu pagar as progressões em janeiro mais não disse de que ano, agora esse mentira estrondosa, do aumento de 5%, a resposta vem aí, está perto. "

karré disse: Em 01/11/2017 às 07:43:41

"É muita incompetência..."

Christhian Rodolfo Torres Dominguez disse: Em 01/11/2017 às 07:38:02

"Bora a festinha do SERVIDOR..................PÃO E CIRCO PARA O POVO..........Saúde, Educação Salários justos NADA"

Mudança já! disse: Em 01/11/2017 às 04:10:14

"Falta é gestão nesse Governo. Ano que vem arrancamos eles dai através do voto."