CRISE MIGRATÓRIA
Governo Federal envia 75 barracas para abrigar refugiados venezuelanos
Auxílio emergencial já foi enviado ao Exército Brasileiro; Estruturas têm capacidade de alojar cerca de 750 pessoas
Por Folha Web
Em 18/05/2017 às 00:57
Venezuelanos desabrigados serão beneficiados (Foto: Wenderson de Jesus/Arquivo/Folha)

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), órgão vinculado ao Ministério da Integração Nacional, disponibilizou 75 barracas para que o Exército Brasileiro abrigue imigrantes venezuelanos refugiados no Brasil. O auxílio emergencial atenderá aproximadamente 750 pessoas que atualmente se encontram desabrigadas.

As tendas utilizadas pela Defesa Civil Nacional têm 25 m² de área útil, possuem estruturas de fácil manejo e montagem, com piso e cobertura em PVC e  armação em ferro galvanizado - características que possibilitam melhor atendimento em situações de abrigo provisório. O auxílio é semelhante ao prestado a famílias afetadas por enchentes no Peru, em março deste ano, e ficará sobre a responsabilidade do Governo do Estado.

No início desta semana, o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, já teria anunciando que o Brasil estaria se preparando para receber oficialmente refugiados venezuelanos que fogem da violenta crise política, descontrole da inflação e escassez de alimentos no país vizinho.

Questionado sobre o que o Governo brasileiro planeja diante da entrada cada vez maior de venezuelanos no País, em especial no estado de Roraima, Jungmann informou que está sendo elaborado um "plano de contingência", para o caso de agravamento do conflito entre governo e oposição na Venezuela.

O governo de Roraima calcula já ter recebido cerca de 30 mil pessoas vindas da Venezuela e, em dezembro do ano passado, já havia decretado Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional nos municípios de Pacaraima e Boa Vista, por causa do fluxo migratório.

PEDIDOS DE REFÚGIO – Em razão da grave crise econômica e humanitária que assola a Venezuela, conforme o último levantamento do Comitê Nacional para Refugiados (Conare), órgão vinculado ao Ministério da Justiça (MJ), de janeiro a março deste ano, mais de mil venezuelanos pediram abrigo em Roraima, com uma média superior a 300 solicitações por mês.

Todos os dias, centenas de venezuelanos lotam a área externa e as dependências da Superintendência da Polícia Federal (PF), no bairro Treze de Setembro. Além do pedido de refúgio e visto para permanecer legalmente no Brasil, eles agora têm direito a solicitar residência temporária de dois anos, medida autorizada este mês pelo Conselho Nacional de Imigração.

Para entrar legalmente em Roraima, os venezuelanos precisam apresentar-se na Delegacia da Polícia Federal na fronteira entre os municípios de Pacaraima e Santa Elena de Uairén. Na unidade é concedida uma espécie de visto temporário para que o estrangeiro fique em situação regular. Caso deixem de realizar o procedimento, são considerados estrangeiros ilegais.

Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!