MIGRAÇÃO VENEZUELANA
Governadora Suely Campos afirma que não vai à reunião com ministros
Gostei (18) Não gostei (1)
Suely Campos disse que não vai discutir assuntos de Estado em saguão de aeroporto
Por Folha Web
Em 08/02/2018 às 00:35
Anúncio foi feito no início da noite de ontem pela própria governadora Suely Campos (Foto: Nilzete Franco)

A governadora de Roraima, Suely Campos (PP), anunciou na noite de ontem, 7, que não deverá participar da reunião com os ministros Torquato Jardim (Justiça), Raul Jungmann (Defesa) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República), prevista para a manhã de hoje, 8, para tratar da crise migratória dos venezuelanos. 

Suely considerou um desrespeito os ministros terem cancelado a reunião agendada no Palácio do Governo para discutir a situação dos venezuelanos e terem transferido o encontro para a Base Área de Boa Vista, durante um pouso técnico com destino ao Suriname.

A manifestação de Suely ocorreu depois da nota de repúdio divulgada pela bancada de Roraima na Câmara dos Deputados, segundo a qual o Governo Federal “não está dando a devida importância para o caos em que estamos vivendo”. 

“É muito desagradável verificar como é que o Governo Federal está tratando o estado de Roraima. O fluxo migratório dos venezuelanos está impactando Roraima, sem falar na conexão do crime organizado do Brasil com a Venezuela. Ficamos surpresos com cancelamento da reunião. Não aceito ver meu Estado tratado com tal descaso pelo Governo Federal. Me recuso a tratar de assuntos de interesse da segurança nacional em saguão de aeroporto”, frisou.

A governadora afirmou ainda que os ministros estariam vindo para Roraima apenas fazer ‘campanha’ para o senador Romero Jucá. “Os venezuelanos já são 10% da população de Roraima. E temos certeza que os interesses políticos foram colocados nesse caso acima dos interesses da população”, criticou Suely Campos.

“Ele [Jucá] anunciou em rede social que estava trazendo os ministros e é lamentável um assunto desse ser tratado dessa forma. Não existe boa vontade do Governo Federal com Roraima e precisamos cobrar. Eles [ministros] me disseram que precisavam ganhar tempo e seguir viagem para tratar de assuntos de fronteira. Tem tempo para tratar fronteira no Suriname e não tem tempo para tratar fronteira em Roraima?”, questionou.

AUMENTO EXPRESSIVO – Suely destacou que em áreas como educação e saúde houve aumento expressivo de atendimento a venezuelanos. “Na educação, aumentou 100% o número de matrículas. Na saúde, temos um acréscimo de mais de 3.000% e, na maternidade, nascem diariamente cinco bebês de mães venezuelanas por dia”, exemplificou.

Outro ponto abordado pela governadora foi a questão da segurança pública. Suely afirmou que houve aumento expressivo na criminalidade e que o crime organizado está usando Roraima como base para aumentar o tráfico de armas e drogas da Venezuela para o Brasil. “Nós estamos detectando a conexão do crime organizado com a Venezuela, o que é muito preocupante. Fomos surpreendidos com esse cancelamento da reunião que teria dados, sugestões e projetos para entregar aos ministros. Como tratar um tema tão relevante numa escala na Base Aérea? Não aceito e não vou aceitar que Roraima conviva com um descaso desse do Governo Federal”, afirmou.

A governadora disse que já levou o assunto, por diversas vezes, ao Governo Federal, mas que efetivamente, de relevante, a única coisa que a União fez foi o envio de R$ 480 mil, “que foi usado para comprar alimentos aos abrigos que hoje servem apenas para acolher aos venezuelanos”. “[Os abrigos] são provisórios e não temos estrutura para tanta gente. Nosso material está aí e vamos encaminhar depois se eles realmente não vierem aqui”, comentou.

Suely disse ainda que entrou em contato com o ministro do Gabinete da Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, para reclamar da mudança. “Falei que não aceitava e que já tinha organizado uma reunião fechada para tratar do tema segurança, uma reunião sigilosa, pois os assuntos são sérios a nível de investigação. Ficaram de me dar resposta e não deram”, contou.

Ela esclareceu que toda a política de atendimento a imigrantes é responsabilidade do Governo Federal, incluindo o controle das fronteiras, o ingresso e permanência de estrangeiros, assim como a documentação e assistência social, conforme definido na Constituição Federal, na Lei da Migração e no decreto recentemente expedido pelo presidente da República.

“Portanto, essa crise que estamos enfrentando é tema muito importante, que precisa de maior atenção da esfera federal. Nosso Estado não está em condições financeiras para arcar com todo esse processo, e nem é nossa jurisdição. Sofremos um grande impacto na saúde, na educação, na assistência social e na segurança pública, com o fortalecimento das organizações criminosas”, concluiu a chefe do Executivo.

Senadores repudiam cancelamento de reunião com governo

A senadora Ângela Portela (PDT) explicou que foi convidada pela governadora Suely Campos e não pelo Governo Federal para a reunião no Palácio Senador Hélio Campos. “Fui informada, posteriormente, que o cronograma foi alterado. Não comparecerei, por considerar desrespeitoso que os ministros não visitem Boa Vista. Pelas últimas informações que recebemos, concluo que a ‘visita’ dos ministros não passará de uma escala técnica na Base Aérea de Boa Vista, rumo ao Suriname”, criticou.

Para a senadora, essa é a maior demonstração do descaso do governo Temer para com Roraima. “Se o governo estivesse interessado em resolver a crise migratória que aflige Roraima, faria seus ministros visitarem as ruas de Boa Vista; as praças onde os migrantes estão dormindo; os postos de saúde superlotados; o Corpo de Bombeiros e os órgãos de segurança, que estão arregaçando as mangas para evitar uma calamidade; os abrigos sem condições de acolher um enorme número de migrantes. E isto porque o líder do governo no Senado diz que defende os interesses de Roraima. Eu já suspeitava que esta visita era apenas uma jogada de marketing para dar a impressão de que algo será feito. O povo do nosso estado merece mais do Governo Federal que uma simples escala de avião”, concluiu Ângela Portela.

O senador Telmário Mota (PTB) disse que não se poderia esperar nada de um governo que não tem nenhum interesse por Roraima. Ele disse que vai convocar os ministros para que expliquem, às comissões de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, as medidas que estão sendo adotadas e perspectivas futuras diante do crescente fluxo de venezuelanos que entram em Roraima para fugir da crise econômica e política no país vizinho. Telmário Mota disse que a "avalanche de migração desordenada" está agravando a situação do estado, que, segundo ele, não tem condições de dar a necessária assistência aos refugiados.

Teresa e Romero Jucá confirmam encontro com ministros

O senador Romero Jucá (PMDB) confirmou, em sua página em uma rede social, que viajaria no avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com os ministros até Roraima.

A Prefeitura de Boa Vista também confirmou que a prefeita Teresa Surita (PMDB) havia sido convidada para a reunião e que iria para a Base Aérea. “A prefeita vai entregar uma carta pedindo providências e investimento nas áreas de educação, saúde e social, pois o Governo Federal vai ter que, de forma efetiva, ajudar a resolver o problema”, frisou.

disse: Em 08/02/2018 às 14:42:20

"Creio que não considera o estado de Roraima como parte do território brasileiro. Pois quem mora aqui sabe a situação que se encontra o estado. Acredito que o governo federal nos considera mais como venezuelanos, guianenses do que brasileiros. Pois o descaso que estamos passando por parte do presidente e do governo federal é humilhante. "

Pimentel disse: Em 08/02/2018 às 14:33:47

"Realmente isso é uma grande falta de respeito pelo povo de Roraima, o certo mesmo é deportar uma grande quantidade de venezuelanos de volta pra seu país, já que nosso Estado não recebe o devido apoio e pelo que tudo indica nosso Estado não tem condições e nem estrutura para manter nenhum estrangeiro."

ADNIL BARROS CAVALCANTE disse: Em 08/02/2018 às 11:58:27

"Sou solidário às preocupações dos parlamentares e tenho certeza que esta é a preocupação de todos que moram em municípios afetados pelo grande contingente de imigrantes, principalmente venezuelanos. Vim de outro Estado assim como muitos brasileiros vindo de várias cidades do Brasil, que escolheram trabalhar, morar e investir em Roraima. Assim como eu e minha família, muitos optaram por viver aqui como cidadãos de bem, por ser esta cidade um lugar tranquilo, baixo índice de criminalidade para os padrões nacional. Caminhávamos despreocupadamente, sem temor, não víamos pedintes ou mendigos, não existia sequer guardador de carro nas ruas. Podíamos esquecer nossos carros abertos e não éramos surpreendidos com furto, roubo ou depredação. Saíamos das agências bancárias contando dinheiro com a certeza de não sermos assaltados. Passeávamos nas praças com nossos filhos ou netos certos de que voltaríamos às nossas casas com nossos celulares ou as nossas carteiras. Aqueles que precisavam ir aos postos de saúde, recebiam excelente atendimentos para os padrões nacionais. Escolher Boa Vista para viver era optar por morar em uma das melhores cidades do Brasil, por ser também uma cidade bem cuidada e bonita, de gente de bem e acolhedora. Não faz muito tempo Boa Vista era assim. Entretanto, muita coisa mudou. Creio que chegou o momento de corrigirmos os rumos. Creio na inteligência daqueles que planejam e executam as politicas públicas em nosso Estado, para fazer o melhor para roraimenses e imigrantes. Creio na capacidade de definir estratégias e ações, daqueles que ocupam posição de poder de decisão, para restaurar a paz e a tranquilidade de desfrutar nossa cidade. Nossos irmãos venezuelanos precisam de ajuda. Isto é fato. Assim, rogo ao poder público nas três esferas de governo que ajude-os. Porém, mantenham o foco no bem estar da população das cidades afetadas com a imigração. Não nos deixem como vítimas neste processo. Portanto, este é um momento delicado onde os nossos representantes devem deixar as diferenças ideológicas de lado, prevalecendo o debate ROBUSTO, independentemente de posição, interesses e/ou coloração partidária para que nesse processo todos saiam ganhando. É difícil mas não impossível."

LEITOR DO FBV DIARIO disse: Em 08/02/2018 às 11:17:25

"ela tá certa e tá errada"

ADNIL BARROS CAVALCANTE disse: Em 08/02/2018 às 10:15:55

"Sou solidário às preocupações dos parlamentares e tenho certeza que esta é a preocupação de todos que moram em municípios afetados pelo grande contingente de imigrantes, principalmente venezuelanos. Vim de outro Estado assim como muitos brasileiros vindo de várias cidades do Brasil, que escolheram trabalhar, morar e investir em Roraima. Assim como eu e minha família, muitos optaram por viver aqui como cidadãos de bem, por ser esta cidade um lugar tranquilo, baixo índice de criminalidade para os padrões nacional. Caminhávamos despreocupadamente, sem temor, não víamos pedintes ou mendigos, não existia sequer guardador de carro nas ruas. Podíamos esquecer nossos carros abertos e não éramos surpreendidos com furto, roubo ou depredação. Saíamos das agências bancárias contando dinheiro com a certeza de não sermos assaltados. Passeávamos nas praças com nossos filhos ou netos certos de que voltaríamos às nossas casas com nossos celulares ou as nossas carteiras. Aqueles que precisavam ir aos postos de saúde, recebiam excelente atendimentos para os padrões nacionais. Escolher Boa Vista para viver era optar por morar em uma das melhores cidades do Brasil, por ser também uma cidade bem cuidada e bonita, de gente de bem e acolhedora. Não faz muito tempo Boa Vista era assim. Entretanto, muita coisa mudou. Creio que chegou o momento de corrigirmos os rumos. Creio na inteligência daqueles que planejam e executam as politicas públicas em nosso Estado, para fazer o melhor para roraimenses e imigrantes. Creio na capacidade de definir estratégias e ações, daqueles que ocupam posição de poder de decisão, para restaurar a paz e a tranquilidade de desfrutar nossa cidade. Nossos irmãos venezuelanos precisam de ajuda. Isto é fato. Assim, rogo ao poder público nas três esferas de governo que ajude-os. Porém, mantenham o foco no bem estar da população das cidades afetadas com a imigração. Não nos deixem como vítimas neste processo. Portanto, este é um momento delicado onde os nossos representantes devem deixar as diferenças ideológicas de lado, prevalecendo o debate ROBUSTO, independentemente de posição, interesses e/ou coloração partidária para que nesse processo todos saiam ganhando. É difícil mas não impossível. "

socorro disse: Em 08/02/2018 às 09:28:28

"falta d respeito com o povo de Roraima. Quem perde somos nós."

Cidadão disse: Em 08/02/2018 às 09:24:36

"fica mais claro tratá-se de uma visita politiqueira, lamentável !!!"

Maria Luíza Marcolino Matos disse: Em 08/02/2018 às 09:02:51

"É uma falta de respeito com o povo de Roraima! Também fazemos parte do Brasil. Eu repudio essa atitude! Exigimos respeito e consideração."

VAGN disse: Em 08/02/2018 às 08:02:45

"Decisão acertada Governadora, a senhora não pode aceitar participar de circo armado pelo jucá e a teresa, está evidente que eles articularam tudo isso. É de conhecimento público que eles tem o prazer nos caos para aparecerem como salvadores da pátria. Pior do que isso são os ministros fazendo papel de moleque, porque isso não pode ser papel de homem, ainda mais Ministro de Estado. "

ANTONIO DE OLIVEIRA disse: Em 08/02/2018 às 06:20:05

"Que palhaçada,lamentável essa atitude do governo federal!"