ELEIÇÕES 2018
Eleições em Roraima vão custar R$ 4,3 milhões
Gostei (0) Não gostei (0)
Por Folha Web
Em 21/12/2017 às 01:00
TRE vai gastar menos nas eleições estaduais do que na municipal (Foto: Arquivo/Folha)

O Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR) vai gastar R$ 4,3 milhões com as eleições gerais do próximo ano nos 15 municípios roraimenses. A verba para o custeio do pleito foi garantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas veio menor do que o previsto pelo TRE em Roraima e menor que o valor gasto nas eleições municipais em 2016, que foi de R$ 5,3 milhões.

Conforme orçamento da Justiça Eleitoral para realização das eleições de 2018, o valor disponibilizado é bem menor do que o valor pedido pelo TRE que vai ter que trabalhar com recurso reduzido. “Vamos realizar a eleição com o valor que temos e, mesmo assim, vamos trabalhar para fazer um pleito eleitoral seguro e confiável como foi feito em todas as eleições. Estamos nos adequando ao orçamento”, explicou a presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargadora Tânia Vasconcelos.

Segundo o que consta no planejamento estratégico das eleições, os recursos liberados são menores que os solicitados e terão que ser adequados para os gastos com a contratação de serviços, aquisição de bens e materiais, diárias e serviços extraordinários. O corte é de mais de 33% no que havia sido pleiteado para custear o processo em todo o Estado. “Houve corte do orçamento e realinhamento das atividades, e, em função do teto orçamentário, nós solicitamos R$ 6,5 milhões, mas vamos nos ajustar para executar o trabalho dentro do valor repassado”, explicou o secretário de administração do TRE, Jonilton Oliveira.

De acordo com o TRE, o total rateado entre os 324.615 votantes daria uma média de R$ 13 por eleitor. Os custos principais do pleito estão divididos da seguinte forma: transporte de urnas e materiais; combustível; gasto com pessoal, incluindo funcionários terceirizados, além de limpeza e vigilância que é a área onde deve ter a maior redução, locação de veículos; e mais diárias, que também devem ser reduzidas.

No planejamento do TRE, também constam os gastos com a manutenção das urnas eletrônicas que serão utilizadas durante o pleito. Uma vez que o transporte, o armazenamento, a conservação e a preparação das urnas no período eleitoral exigem uma logística complexa que requer a contratação de serviços e a gerência de várias ações.

Também haverá gastos com a compra de materiais para tornar possível a realização das eleições deste ano. Bem como para assegurar o pagamento das diárias de juízes e funcionários do órgão que irão trabalhar durante o processo. Além dos custos já citados, o TRE ainda deve gastar com ações implementadas para a tramitação dos processos de registro das candidaturas, as despesas com outros eventos relacionados ao pleito e os recursos garantidos para as atividades de comunicação do órgão.

Castro disse: Em 21/12/2017 às 13:22:23

"Vamos todos votar 100% nulo pra fazer valer esse dinheiro"