CARGO À DISPOSIÇÃO
Criticando a cúpula da Polícia Civil, secretário de Segurança anuncia saída
Gostei (28) Não gostei (4)
Delegado Francisco diz que continua aliado ao governo Suely, mas alegou que não estava conseguindo implementar mudanças na Polícia Civil
Por Folha Web
Em 17/10/2017 às 01:58
Delegado Francisco Araújo está há 100 dias no cargo e vai ficar até nomeação de um substituto (Foto: Divulgação)

Cem dias após assumir a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), o delegado e ex-prefeito de Iracema Francisco Araújo colocou seu cargo à disposição. Em entrevista à Folha, ele disse que sofreu boicote por parte do comando da Polícia Civil, na tentativa de implementar ações de melhorias naquele órgão.

“Conversei com a governadora 15 dias atrás e comuniquei a ela a minha intenção de entregar o cargo de secretário de Segurança Pública, pois não tinha mais interesse em permanecer na vaga. Infelizmente, muitos esperavam que eu fosse de fato fazer algo de concreto para mudar a situação da Polícia Civil, mas não consegui vencer o sistema e implantar o que gostaria na Segurança Pública. Tive certo boicote para colocar em prática minhas ideias. Discordo de algumas coisas que ocorrem dentro da Polícia Civil, que sugeri que mudassem, mas não mudaram, por isso saí”, disse.

O secretário se referia à proposta de acabar com o meio expediente na Polícia Civil, além de implantar delegacias em municípios de Caroebe e São Luiz, além da Vila Nova Colina, em Caracaraí. Ele também anunciou que pretendia colocar em cada município um posto de identificação, mas a promessa nunca se concretizou. Outro projeto de Francisco Araújo era a implantação de uma Central de Flagrantes no 3º Distrito Policial e outra Central no Centro de Boa Vista, além de reforçar as delegacias especializadas da Mulher e do Idoso.

Francisco Araújo também lembrou que não conseguiu de volta os policiais cedidos a outros órgãos públicos para suprir a carência das delegacias e destacamentos policiais, entre outros problemas. “Estávamos procurando parcerias para isso, mas, mesmo assim, as coisas não deram certo. Para não ficar um cabo de guerra entre eu e o comando da Polícia Civil, achei por bem entregar o cargo”, justificou.

Ele afirmou que continua como secretário de Segurança até que a governadora Suely Campos (PP) escolha seu substituto. “Não quero deixar a governadora de saia-justa com outras instituições por eu não conseguir implantar minhas ideias. Eu achei melhor entregar o cargo e estou saindo numa boa. Agradeço a governadora Suely Campos e quero reafirmar que continuo aliado ao governo, e vou continuar ajudando o que puder na Segurança Pública. Não quero atrapalhar em nada o bom trabalho que ela vem fazendo, mas saio pela porta da frente”, destacou.

Segurança Pública já teve quatro secretários

Desde o início do governo Suely Campos, em 2015, a Secretaria de Segurança Pública de Roraima já teve quatro secretários ocupantes do cargo. O delegado Francisco Araújo assumiu a Secretaria de Segurança Pública em julho de 2017. Ele ocupou o lugar do coronel da Polícia Militar Paulo César Costa, que ficou de março de 2016 até julho de 2017 no cargo.

Paulo César havia assumido em março de 2016 no lugar do delegado de carreira da Polícia Federal João Batista Campelo. Antes dele, quem ocupava a vaga era o defensor público Januário Lacerda de Miranda, que ficou apenas cinco meses no cargo em 2015.

Natal Altair disse: Em 19/10/2017 às 06:57:26

"Acontece que há muito tempo a SESP/RR, apenas é uma secretaria Estadual,cujas, atribuições não cumpre nem sempre por conta de quem assume como Secretário. Que as propostas relevantes do agora ex-secretário para melhorar o atendimento da Policia civil a população possam ser avaliadas e implementadas na medida do possível,algum dia no futuro pela secretaria onerosa para os cofres públicos. "

Alopes disse: Em 17/10/2017 às 15:11:32

"O problema é que ele quer ser um Secretário de Segurança da Polícia Civil. Nunca falou que a PM, assim como a civil trabalha em dois turnos. nunca teve coragem de falar nada da PM, pois não tem coragem. É bom para ver se trabalha de verdade e para de falar besteira. Vamos ver as prisões que ele fará como delegado, pois não lembro de nenhuma."

Santos disse: Em 17/10/2017 às 13:37:04

"Só idéias boas e necessárias. Por que a resistência?"

THIAGO CASTRO disse: Em 17/10/2017 às 12:36:27

"o negocio e que os policiais cedidos e outros orgãos que não fazem nada , há não ser puxar o sac.... de seus politicos apadrinhadores nao querem voltar , fizeram concurso pra policiais mas na verdade so querem vida mansa , e quem quer trabalhar pra ser policial de verdade , não pode , pq concurso e feito por pinoquios ou seja e só balela "

Henrique Sérgio Nobre disse: Em 17/10/2017 às 08:48:31

"Será que existe corporativismo por essas bandas de Roraima?"