ECONOMIA
Comércio aposta no aumento das vendas para o Carnaval
Gostei (0) Não gostei (0)
Por Minervaldo Lopes
Em 29/01/2018 às 02:13
A procura por itens de decoração e adereços para fantasias devem aumentar nos próximos dias (Foto: Hione Nunes)

Com a proximidade do Carnaval, considerada a mais popular das festas brasileiras, que esse ano será no período de 9 a 13 de fevereiro, o comércio da capital começa a sentir o aumento nas vendas. 

Nos estabelecimentos do Centro, a procura por itens decorativos já começou, segundo informou Anny Karoline, gerente de uma loja especializada em produtos para festas.

“A procura começou semana passada, com pessoas de empresas querendo itens para decoração. Os adereços para festas ainda não começaram a sair, mas acredito que esta semana comece a procura, até pelas festas que vão ocorrer nos próximos finais de semana”, contou.

Conforme Anny, a expectativa de vendas para este ano é das melhores, uma vez que os lucros obtidos no carnaval do ano passado foram positivos.

“Temos muitos produtos na parte superior da loja, alguns com preços promocionais. A expectativa para este ano é que as vendas sejam melhores. O pessoal deixou passar dezembro, para no comecinho do ano garantir os itens do carnaval”, destacou.

Secretária de uma empresa contábil, Yasmin Cardoso, de 28 anos, está fazendo pesquisa de preços. Ela aproveita o período em que as vendas não estão aquecidas para analisar com calma os preços do mercado.

“É importante, pois em tempos de grana curta, fazer pesquisa é ideal. No meu caso, os itens são para a empresa onde trabalho e a gente quer deixar o ambiente mais animado”, declarou.

Ainda segundo a gerente, a procura por acessórios para complementação de fantasia é bastante variada, com destaque para máscaras, tiaras e asas. Há também itens como spray de tintas para cabelo, buzinas, confetes e serpentinas.

“Como o carnaval deste ano será por blocos de rua, acredito que as pessoas vão procurar acessórios, que são especialidade da loja. Outros clientes são donos de lojas que procuram itens decorativos para deixar seus comércios com a cara do carnaval”, pontuou. (M.L)

Preços acessíveis para festas e foliões

A equipe da Folha foi ao comércio, na tarde de sexta, 26, pesquisar os adereços mais usados pelos foliões. Constatou que os preços são compatíveis com os tempos de economia carrancuda.

O spray de tinta para cabelo é encontrado em várias lojas com preços que variam entre R$ 5,00 e R$ 8,00. O saco com confetes até R$ 7,00; serpentinas de R$ 7,80 a R$ 14,50; as tintas de rosto de R$ 4,20 até R$ 56,00; e as espumas no preço de R$ 7,00.

Entre os adereços, os preços variam conforme o gosto do folião. A cartola alemã pode ser encontrada por R$ 18,50; um quepe vermelho a R$ 19,50; o capacete viking a R$ 25,00; e máscaras temáticas a R$ 14,30. (M.L)

???? disse: Em 29/01/2018 às 14:43:12

"Veja: Em 2015, a música do Carnaval foi Lepo Lepo (não tenho carro, não tenho teto) e o Brasil entrou na crise. Em 2016, a música foi a Muriçoca, e o resultado? Dengue, Zica e Chikungunya. Em 2017, o hit foi Metralhadora (Trá Trá Trá), resultado, terror no sistema penitenciário brasileiro, atentado em um colégio de Goiânia, maior massacre dos EUA, (foi o ano com mais mortos em atentados a tiros da história dos EUA, diz estudo), sem contar os rumores de guerra entre EUA e Coreia do Norte. A violência ultrapassando todos os limites. Satanás gostou tanto das tragédias que ocorreram em 2017, que já inventou seu novo hit: ?Que tiro foi esse?, ele gostou tanto que quer repetir a doze no ano de 2018, e você? REFLITA. "

???? disse: Em 29/01/2018 às 14:39:18

"Para muitos brasileiros o ano só começa depois do carnaval, é exatamente o que o diabo quer, fazer o povo abrir a boca e cantar seus hits carnavalescos, assim ele pode agir da maneira que o hit do momento manda, seja no Brasil ou em outros países. "

???? disse: Em 29/01/2018 às 14:38:10

"Para muitos brasileiros o ano só começa depois do carnaval, é exatamente o que o diabo quer, fazer o povo abrir a boca e cantar seus hits carnavalescos, assim ele pode agir da maneira que o hit do momento manda, seja no Brasil ou em outros países. Todo ano ele inventa uma música para ser o hit do carnaval, e suas letras sempre vem acompanhadas das desgraças que ele quer que aconteça durante aquele ano e o povo solta a voz, nem se dão conta que estão dando liberdade para ele agir, amaldiçoando todo ano com as letras dessas músicas amaldiçoadas. E não são apenas brasileiros que caem nessa armadilha do diabo não, o carnaval é a festa que reúne mais turistas em todo mundo. Veja: Em 2015, a música do Carnaval foi Lepo Lepo (não tenho carro, não tenho teto) e o Brasil entrou na crise. Em 2016, a música foi a Muriçoca, e o resultado? Dengue, Zica e Chikungunya. Em 2017, o hit foi Metralhadora (Trá Trá Trá), resultado, terror no sistema penitenciário brasileiro, atentado em um colégio de Goiânia, maior massacre dos EUA, (foi o ano com mais mortos em atentados a tiros da história dos EUA, diz estudo), sem contar os rumores de guerra entre EUA e Coreia do Norte. A violência ultrapassando todos os limites. Satanás gostou tanto das tragédias que ocorreram em 2017, que já inventou seu novo hit: ?Que tiro foi esse?, ele gostou tanto que quer repetir a doze no ano de 2018, e você? REFLITA. "