RORAIMA VERDE
Cinco equipes estão em campo para controle de incêndios florestais
Equipes serão reforçadas no período do Carnaval para atuar no combate às queimadas caso necessário
Por Folha Web
Em 06/02/2018 às 01:05
Está prevista para hoje uma reunião do Comitê de Queimadas sobre os focos de incêndio no Estado (Foto: Hione Nunes)

O período de forte estiagem em Roraima tem ocasionado um aumento considerável de incêndios florestais tanto nas áreas urbanas da Capital, quanto nos municípios de Amjari, Mucajaí, Iracema, Alto Alegre e nas localidades de Roxinho e Campos Novos, mobilizando cinco equipes que estão nestas localidades para realizar o controle destes incêndios, segundo informou o coordenador da Operação Roraima Verde, Coronel Jean Cláudio de Souza. 

O coordenador destacou que uma das equipes está sediada em uma fazenda em Campos Novos e ainda hoje será encaminhado um relatório ao comando operacional do Corpo de Bombeiros Militar de Roraima (CBMRR) para avaliação da situação na região e, caso necessário, ocorrerá o deslocamento de outra equipe para dar suporte à operação de combate às queimadas.

“Atualmente estamos com estas duas localidades em alerta, com nossa equipe de controle a incêndios florestais se revezando e esperamos que a situação se normalize ainda esta semana. Nossa principal recomendação é que os agricultores, mesmo com sua autorização de queimada liberada pela Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh), se certifiquem de cuidados no momento de realizar esta ação em suas propriedades”, orientou.

Jean Cláudio acrescentou que este trabalho será intensificado nesta semana que antecede o Carnaval, com o reforço de militares, viaturas e equipamentos, para realizar um amplo monitoramento nas regiões em que apresentarem aumento nos focos de calor, conforme o acompanhamento dos boletins diários.

“Já estamos nos organizando e, na nossa reunião semanal da coordenadoria de operação do programa Roraima Verde, já discutimos como será a estratégia neste período do Carnaval, em que vamos mobilizar nossos alunos, soldados e sargentos que formaram recentemente para se deslocarem a estes locais. É comum todos os anos no período que antecede o Carnaval, um aumento nos incêndios florestais, uma vez que é realizada a queima do material que foi derrubado, e como estamos em um período de estiagem com ventos forte, todo cuidado é necessário para evitar a perda do controle, e resguardar as áreas de preservação, comunidades indígenas e sede dos municípios”, disse.

COMITÊ DE QUEIMADAS – O coordenador adiantou que está programada uma reunião do comitê de queimadas nesta terça-feira, 6, com as instituições parceiras Ibama, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Prevfogo, Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Embrapa/RR, além de instituições federais e estaduais ligadas à preservação do meio ambiente.

“Se por um acaso fugir do nosso controle, acionamos de imediato o comitê de queimadas, e em conjunto com a Base Aérea de Boa Vista e o Exército Brasileiro que são também instituições que integram o comitê. Ampliamos nosso poder de atuação e conseguimos abranger o maior número de localidades e assim controlar esses focos de incêndios”, ressaltou.

Em relação às coordenadorias municipais de Defesa Civil no combate às queimadas, Jean Cláudio informou que apenas os municípios de Amajari e Rorainópolis estão operantes e os outros municípios estão em fase de implantação. Caso a população necessite de algum serviço, tanto dos bombeiros militares, bem como acionar o equipes de combate a incêndios florestais, podem utilizar os telefones 193 e 199, e de imediato será acionado e encaminhado o devido suporte necessário para o atendimento e resolução da ocorrência.

Causar incêndio em área urbana gera multa

Em relação ao aumento das queimadas urbanas, a Prefeitura de Boa Vista informou que, de acordo com a Lei Municipal nº 947/2007, fica proibida a queima de quaisquer resíduos sólidos orgânicos ou inorgânicos na zona urbana de Boa Vista. A queima e o incêndio desses materiais sujeitarão ao infrator as penalidades de advertência e multa.

A prefeitura, por meio da Divisão de Fiscalização da Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente (SPMA), informa que as infrações que envolvem queimadas de lixo doméstico, na zona urbana, o valor aplicado começa com um mínimo de 100 unidades fiscais municipais (UFM), ou seja, R$ 280, podendo ser maior, dependendo das circunstâncias de cada caso.

As equipes de agentes ambientais da secretaria fazem um trabalho permanente de combate às queimadas na área urbana em regime de plantão, com rondas na cidade e identificando focos e autuando os infratores. Os servidores atuam baseados em denúncias realizadas pela população na Central de Atendimento 156.

A secretaria está fazendo um levantamento de quantos foram autuados neste ano de 2018. Assim que tiver, será divulgado. Este ano, a secretaria recebeu cerca de 130 denúncias. (R.G)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!