EM DÍVIDA
Cerr ainda deve R$ 800 milhões
Gostei (2) Não gostei (1)
Entidade informou que espera pela liberação de créditos por parte da Aneel e pelo repasse do FCC por parte da Eletrobras
Por Ana Gabriela Gomes
Em 09/12/2017 às 01:40
O Governo do Estado deve arcar com R$ 800 milhões em dívidas da Cerr (Foto: Nilzete Franco)

Quase um ano após a perda de concessão do fornecimento de energia para os 14 municípios do interior, o Governo do Estado ainda deve pagar R$ 800 milhões de dívidas da Companhia Energética de Roraima (Cerr). A companhia informou que aguarda a liberação de créditos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o repasse do Fundo da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) da Eletrobras Distribuição Roraima.

A Aneel deve liberar os créditos por ter sido responsável pelo levantamento dos ativos da Cerr após a perda da concessão, conforme esclareceu a companhia. Em relação à Eletrobras, o repasse é referente ao ressarcimento com combustível para abastecimento de grupos geradores de energia. A Cerr destacou que os recursos a serem liberados serão utilizados na quitação de débitos intrasetoriais, fornecedores e pendências trabalhistas.

A dívida, de R$ 800 milhões, se refere a débitos contraídos na gestão anterior para estruturar a Cerr, que seria administrada pelo Governo Federal, o que acabou não acontecendo, conforme divulgado pela Folha. Desde então, com a perda da concessão de geração e comercialização de energia elétrica em agosto de 2016, a Cerr enfrenta problemas.

SERVIDORES – Atualmente, a Cerr conta com 483 funcionários entre efetivos, comissionados, carteira assinada e serviço prestado. Ao todo, cerca de 60 trabalhadores da empresa foram cedidos, sendo 54 para a Eletrobras e seis para outros órgãos estaduais.

Em relação aos concursados, a companhia declarou que 180 servidores serão beneficiados por uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) aprovada na Assembleia Legislativa de Roraima, que visa garantir suas absorções por outros órgãos do Estado.

Quanto a demissões, as rescisões estão pautadas na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). “E, para aqueles que, inevitavelmente, o caminho seja o desligamento, todos os direitos trabalhistas serão respeitados”, reforçou.

ANEEL E ELETROBRAS – A Folha entrou em contato com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e com a Eletrobras Distribuição Roraima para saber quando deve ocorrer a liberação de créditos e o repasse de recursos à Cerr, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta. (A.G.G)

Moacir da Silva disse: Em 03/01/2018 às 07:41:02

"O problema nessa questão é o conchavo político. Todo mundo sabe quem é o responsável e o que fizeram pra Cerr chegar a esse caos, mas ninguém nesse governo ta interessado em revelar nada, afinal quem tem telhado de vidro não joga pedra. E o dito cujo ja está reaparecendo na cena politica apresentando-se como solução pra os problemas de Roraima. Realmente o descaramento não tem limite!"