CRIME NO INTERIOR
Bandidos queimam viatura da Defensoria Pública de Bonfim
Toda a ação criminosa foi filmada por câmeras de segurança do prédio e as imagens serão levadas para a Polícia Civil
Por João Barros
Em 31/01/2018 às 00:29
Como o trio não conseguiu roubar o veículo, acabou ateando fogo (Foto: Divulgação)

A criminalidade que tomou conta da Capital também chegou aos municípios do Interior. Uma caminhonete alugada para a Defensoria Pública do Estado (DPE), utilizada como viatura, foi incendiada por criminosos na madrugada de ontem, 30, no Município de Bonfim, região Leste de Roraima. Todos os dias, ao fim do expediente, o veículo era deixado no pátio do prédio onde funciona a DPE.

As informações de uma testemunha, que mora nas proximidades do prédio, revelam que por volta das 5h ouviu-se um estouro e barulhos como se fossem tiros. “Minha mãe está assustada até agora. Ela é idosa e ouviu tudo. Não sabemos dizer se foram tiros, mas parecia que sim. Os bandidos tentaram entrar no prédio e depois tocaram fogo no carro. Até umas 7h, ainda tinha fogo. Aqui em Bonfim, a situação está complicada e as autoridades têm que tomar alguma providência”, destacou.

As informações apuradas pela reportagem dão conta de que três bandidos teriam tentado arrombar o veículo modelo Mitsubishi/L200, mas como não obtiveram sucesso, o trio ateou fogo no carro que estava estacionado. Um dos funcionários, que não quis ser identificado, acredita que a intenção dos indivíduos era levar o carro para a Guiana. “A fronteira é local de ilícito. Muitos veículos são levados para o país vizinho para serem vendidos ou trocados por drogas, há descaminho de muito material e uma série de outras questões que se eu for listar, passaremos uma manhã conversando. Eu não descarto a possibilidade de foragidos terem feito esse ato criminoso”, ressaltou o funcionário.

A caminhonete ficou completamente destruída pelo fogo. Toda a ação criminosa foi filmada por câmeras de segurança do prédio e as imagens serão levadas para a Delegacia de Polícia Civil do Município, a fim de iniciar uma investigação e tentar identificar os suspeitos. “Quebraram o vidro de trás, tentaram fazer ligação direta, mas como não conseguiram, resolveram colocar fogo. O veículo era alugado”, informou o diretor-geral da DPE, Antônio Luiz. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!