PROPOSTAS
Bancada roraimense discute crise migratória com presidente Temer
Gostei (2) Não gostei (1)
Deputados apresentaram documento com propostas para solução do fluxo de venezuelanos no Estado, entre elas, controle maior nas fronteiras
Por Paola Carvalho
Em 31/01/2018 às 01:06
Audiência com Temer em Brasília contou com a presença dos deputados Remídio Monai, Hiran Gonçalves, Carlos Andrade e a deputada Shéridan Oliveira (Foto: Reprodução/Facebook/Deputada Shéridan)

Parte da bancada roraimense se reuniu na tarde de ontem, 30, com o presidente Michel Temer (PMDB) para tratar da questão migratória no Estado. O encontro serviu para apresentar um documento com sugestões para solucionar o problema que causa transtornos tanto para brasileiros, quanto aos estrangeiros.

A audiência contou com a presença do deputado Remídio Monai (PR), autor da iniciativa, da deputada Shéridan Oliveira (PSDB) e dos deputados Carlos Andrade (PHS) e Hiran Gonçalves (PP) e ministros, além do presidente Michel Temer. Monai informou que os demais deputados também foram convidados, mas em razão da reunião ter sido definida na segunda-feira, 29, contou apenas com a presença daqueles que já estavam em Brasília ou que não tinham outros compromissos agendados.

À Folha, Remídio informou que foi pedido, entre outras coisas, o repasse de recursos para saúde e alimentação para os refugiados desabrigados, um programa de atendimento e assistência social para a regularização de documentos e triagem de necessidades básicas e o controle maior nas fronteiras. Até a suspensão provisória da entrada de novos estrangeiros foi solicitada, o que não foi acatado pelo Governo Federal. “O Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) disse que as leis internacionais não permitem fechar as fronteiras em um caso humanitário desses, mas o ministro [da Casa Civil] Eliseu Padilha concordou comigo e pediu que fosse encontrada uma solução”, disse o deputado.

Comitiva de ministros deve visitar Pacaraima na próxima semana

Após a audiência, foi definida a visita de uma comitiva formada pelos deputados e com a presença dos Ministérios da Justiça, das Relações Exteriores, de Segurança Institucional e do Desenvolvimento Social e Agrário a ser feita in loco na fronteira de Pacaraima na próxima semana, dia 8.

Também foi definida a realização de um censo no Estado para mensurar a quantidade de estrangeiros e o perfil dos venezuelanos refugiados e firmado o compromisso de um aumento no controle da fronteira, para fazer uma triagem das pessoas que pretendem ingressar no país e coibir o tráfico de pessoas, crianças, drogas e armas.

O Governo Federal também confirmou o estudo da hipótese de criação de um campo de refugiados com hospital de campanha na fronteira para que os imigrantes não ingressem na cidade de Boa Vista e a possibilidade de fazer uma interiorização, ou seja, o recebimento dos refugiados pelos demais estados, com a oferta de abrigo e empregos.

Deputados avaliam positivamente resultado da reunião

Além de servir para delimitar ações concretas relacionadas à crise migratória em Roraima, o encontro também serviu para que os deputados relatassem a situação ao presidente e ministros. Para Remídio, por exemplo, o Governo Federal não tinha real conhecimento da extensão do problema e do impacto nos atendimentos de saúde, nas praças públicas e de pessoas dormindo nas ruas.

“Eles disseram que o número de imigrantes era muito pouco, que a Colômbia já recebeu 500 mil, que o Chile e Peru também foram afetados, e que o número de estrangeiros era insignificante para o Brasil. Realmente, para o país que tem 200 milhões, pode ser insignificante. Mas para Boa Vista, que tem cerca de 300 mil habitantes, é insuportável, tanto para os roraimenses e para os estrangeiros que chegam”, criticou Monai.

Apesar desta situação, os deputados avaliaram a reunião como positiva. “Nós estamos vivendo um verdadeiro colapso social. Os serviços públicos estão sobrecarregados em decorrência do número de venezuelanos que tem chegado a nosso Estado. É muito importante que o Governo Federal assuma seu papel nessa crise humanitária e o presidente se comprometeu em dar o suporte que o Estado precisa”, afirmou Shéridan.

Em suas redes sociais, o deputado Hiran Gonçalves informou que "o Estado não tem mais condição e estrutura para receber tantos imigrantes venezuelanos" e que é preciso a adoção de "medidas emergenciais para diminuir o sofrimento dos roraimenses e destas pessoas que são vítimas deste governo tirano da Venezuela e que tem causado tanto sofrimento aos seus nacionais".

Por sua vez, o deputado Carlos Andrade afirmou que os parlamentares não podem ficar alheios a esta grave situação e, por isso, "a bancada de Roraima cobra providências emergenciais para esta dramática crise humanitária". (P.C)

???? disse: Em 31/01/2018 às 18:08:56

"Quem vai votar na Shéridan clica Curti, caso contrário, clica Não Curti"

Damiao disse: Em 31/01/2018 às 15:38:46

"Mais dinheiro pro bolso dessa bancada que nao conseguir se quer enegia para nosso estado. Mais tao preoculpados com os venezuelanos. Vão cuidar primeiro dos de casa pra depois cuida da casa dos outros."

Rildo Lopes disse: Em 31/01/2018 às 12:45:03

"É tanta visita técnica, só consumindo nosso dinheiro. Se já foi feita essa reunião justamente para levar a situação....Pq essa equipe precisa vir...E essa lei internacional? Muito me admira o Brasil seguindo alguma lei....Logo o Brasil que nem é corrupto."

disse: Em 31/01/2018 às 12:16:27

"Agora que estão lembrando! Esqueci que é ano político! Olha o caos que está a nossa cidade. A Venezuela nem se fala, a situação é crítica. O que parece é que ninguém está preocupado com a situação do estado, nem com essa entrada desenfreada de imigrantes. O campo de refugiados tem que ser em Santa Helena, não aqui. Gostaria de saber o que a ONU e outras organizações estão fazendo para retirar o Nicolas Maduro do poder?"

Eleitor Roraimense disse: Em 31/01/2018 às 09:40:07

"Se votar a favor da Reforma da Previdência, não volta."

Fabricio Maia disse: Em 31/01/2018 às 08:56:42

"Pq não fazem um campo de refugiados em Santa elena? Nao sou xenofobico, mas acho que ja basta essa migração desenfreada. Pois, Isso já fere a constituição, meu direito de ir e vim, pois, tem certos locais que evito passar para não ser perturbado."

Cruel disse: Em 31/01/2018 às 07:58:43

"Roraimenses, vamos nos lembrar desta foto! Equipe FolhaBV, por favor, não apague esta matéria até as eleições."

walter da costa ferreira disse: Em 31/01/2018 às 07:47:38

"E os senadores onde se encontram? um de férias no exterior; outra de férias não se sabe aonde e outro fazendo campanha eleitoral antecipada no interior do Estado, principalmente nas comunidades indígenas. e dos problemas por eles gerados principalmente em Boa Vista. Sintetizando: não estão nem aí para a questão dos imigrantes venezuelanos. Roraima merece!!!!!!"

Castro disse: Em 31/01/2018 às 07:43:07

"Essas leis internacionais só valem para o Brasil que é um país sem comando o que tem que ser feito é a ONU tirar o maduro do comando e devolver a Venezuela aos venezuelanos e pronto ficam com discursos covarde não vão chegar a solução nenhuma dessa maneira"

carlos eduardo pereira de brito disse: Em 31/01/2018 às 07:41:43

"Enfim resolveram fazer alguma coisa. Esqueci e ano político começaram sair tudo do buraco. A musa do congresso Apareceu enfim."

Carlos evandro pereira de menezes disse: Em 31/01/2018 às 07:01:45

"Ja que não pode impedir a entrada deles no Brasil então o melhor a se fazer é transferir todos os venezuelanos que não conseguiram emprego aqui em Roraima para outros estados. O governo federal tem que dá passagem de ônibus, de avião, fretar ônibus e encaminha-los para outros lugares onde eles terão melhores oportunidades, pois se ficarem aqui ociosos vão virar vagabundos e ladrões."

alysson disse: Em 31/01/2018 às 11:51:18

"Mandar p brasilia la ta a solucao que esse povo precisa"