NA ASSEMBLEIA
Audiência pública discute recursos sob a gestão do Iper
Atualmente o Iper administra por volta de R$ 2,54 bilhões de 17 mil servidores; hoje, mais de 700 servidores já são beneficiados
Por Folha Web
Em 19/12/2017 às 01:39
Audiência pública ocorreu no Plenário Noêmia Bastos Amazonas, da Assembleia Legislativa (Foto: Nilzete Franco)

Na tarde de ontem, 18, a Assembleia Legislativa realizou uma audiência pública para discutir os recursos da Previdência dos servidores estaduais sob a gestão do Instituto de Previdência do Estado de Roraima (Iper). A discussão abordou a segurança e rentabilidade dos fundos no local onde os recursos estão aplicados e ocorreu em atendimento ao requerimento do presidente da Comissão de Administração, Serviços Públicos e Previdência, deputado Soldado Sampaio (PC do B).

A audiência aconteceu no Plenário Noêmia Bastos Amazonas e teve a participação de servidores públicos, representantes de sindicatos, representante do Instituto de Previdência, das equipes técnicas do Banco do Brasil e da Caixa, do Ministério Público do Estado, do Conselho Estadual de Previdência e do Comitê de Investimentos do Iper.

Na audiência, os convidados puderam conhecer de perto o que a atual gestão do Iper tem feito com os recursos direcionados à aposentadoria e benefícios de servidores efetivos de Roraima. Atualmente, aproximadamente 17 mil servidores estão ligados ao regime do Iper, destes, cerca de 700 recebem aposentadoria ou algum tipo de benefício, como pensão por morte.

Conforme o deputado Soldado Sampaio, o foco das discussões foi a gestão dos recursos destinados ao pagamento de pensões e aposentadorias aos assegurados, suas aplicações e critérios de investimentos. “Queríamos saber como está a gestão estadual, haja vista que é uma discussão contemporânea que preocupa a sociedade brasileira e se faz necessário acompanhar de perto a situação da Previdência no Estado. Focamos na gestão, discutimos o pagamento de pensões e aposentadoria, a seguridade delas, como é que tudo está sendo feito para acontecer os pagamentos de forma regular, tudo com um só intuito, o de esclarecer à população como anda e como é gerida a previdência estadual”, disse o deputado.

Para o diretor-presidente do Iper, Carlos Alexandre Praia, essa iniciativa da comissão possibilita que o Instituto torne transparente o uso de recursos públicos, o que faz, onde e como aplica. “Atualmente, temos como patrimônio líquido em torno de R$ 2,5 bilhões aplicados em fundos de investimentos na Caixa Econômica e no Banco do Brasil”, contou. Ele proferiu uma palestra onde apresentou números relativos aos investimentos e rentabilidade do dinheiro.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Civis Efetivos do Poder Executivo do Estado de Roraima (Sintraima), Francisco Figueiras, houve a necessidade desse conhecimento antes da votação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional, previsto para acontecer em fevereiro de 2018. “Foi mais para sabermos como está a previdência do nosso Estado. Porque está prestes de ser aprovado um pacotão que chamamos de ‘Pacotão da Maldade’, então, se é aprovada a reforma na Câmara dos Deputados isso daí depois vira uma regra para os demais estados, então é melhor discutir a previdência nesse momento”, contou, dizendo ainda que é fundamental esse tipo de encontro para que as pessoas conheçam o que pode vir no futuro de mais de 17 mil servidores públicos em Roraima. (E.S)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!