CRISE MIGRATÓRIA
Assembleia propõe criação de Comissão Especial Externa
Requerida pelo deputado Oleno Matos, proposta visa um envolvimento mais firme do Poder Legislativo na questão da migração em massa de venezuelanos
Por Folha Web
Em 25/01/2018 às 01:07
Deputado Jânio Xingu foi a Valencia, na Venezuela, para discutir soluções para a crise migratória (Foto: Divulgação/Assessoria Parlamentar/Jânio Xingu)

Com a visita do Conselho Nacional dos Direitos Humanos a Roraima nesta semana, para tratar da questão migratória no Estado, o poder público se movimentou para fazer um balanço das ações que foram realizadas até agora e novos planos que estão sendo elaborados para auxílios tanto dos brasileiros quanto dos estrangeiros.

Na Assembleia Legislativa, por exemplo, foi discutida a criação de uma Comissão Especial Externa para análise da crise migratória de cidadãos venezuelanos. A proposta foi requerida pelo deputado Oleno Matos (PDT), que protocolou um requerimento para instalação da comissão. O ato também tem apoio do presidente da Casa, deputado Jalser Renier (SD) e de outros parlamentares.

A comissão tem o objetivo de trabalhar proposições, fiscalizar execuções de serviços, promover o debate sobre o assunto, buscar dados junto às entidades públicas na esfera federal, estadual e municipal, além de propor soluções e chamar a atenção do Governo Federal para que ajude ao Estado e aos municípios de Roraima.

O requerimento deve ainda passar por votação e aprovação em plenário para definição da composição como presidente, vice-presidente e relator. Segundo Oleno, a proposta “nasce da necessidade do nosso Poder Legislativo enfrentar, de forma mais contundente, essa problemática que o Estado está vivendo que é a migração em massa de venezuelanos”.

DEMAIS PARLAMENTARES – O deputado Jânio Xingu (PSL) esteve na semana passada em Valencia, capital do Estado de Carabobo, na Venezuela, para reunião com o prefeito do município, Jesús Alejandro Marvez, e com o deputado de Carabobo, Augusto Martines, também para discutir soluções para a crise migratória.

Dentre os assuntos tratados foi abordada a situação de insegurança que preocupa os turistas brasileiros quando visitam o país vizinho, a possibilidade de voo de Boa Vista até Valencia e de estabelecer uma relação comercial com Roraima, a partir da importação de alimentos para aquela capital. Além disso, o prefeito de Valencia se colocou à disposição para visitar Roraima e promover fórum para debater o assunto.

"Há a intenção de trazer uma equipe de técnicos para fazer um seminário na Assembleia Legislativa e mostrar para os brasileiros de Roraima o que os venezuelanos necessitam na área de alimentação", completou Xingu.

Estado e Município fazem críticas à falta de auxílio do Governo Federal

A governadora Suely Campos (PP) e a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (PMDB), também comentaram a visita do Conselho Nacional de Direitos Humanos e fizeram críticas à falta de auxílio por parte do Governo Federal.

Nas redes sociais, Teresa afirmou que há mais de um ano vem procurando apoio junto ao Governo Federal “que precisa assumir ser responsável e buscar soluções para atender essa demanda que é de responsabilidade deles”. A prefeita avaliou que a situação está fora de controle e que as ações realizadas até o momento pelo Município são insuficientes para solucionar o problema.

Suely Campos declarou que “o Governo age sozinho nessa crise humanitária, de forma responsável, arcando com o impacto na saúde, na educação e na segurança” e que é preciso que a União e a Prefeitura de Boa Vista arquem com suas obrigações no controle da fronteira e com a população de rua, respectivamente. Suely também informou que está articulando uma nova visita à Brasília para tratar do problema. A viagem estava prevista para acontecer esta semana, mas foi adiada por conta de indisponibilidade de voos.

Rildo Lopes disse: Em 25/01/2018 às 08:36:23

"Deixem de tanta Hipocrisia, pois a muito tempo em Boa Vista já existia pessoas necessitadas e ninguém saiu da zona de conforto para enxergar ou sair na mídia cobrando os direitos. Estão fazendo igualmente fazem com a população indígenas, só lembram dos direitos. Cadê os DEVERES? Isso mais uma vez é mídia!"