FORAGIDOS DO AMAZONAS
Assaltantes mortos pela Polícia iam atacar agência do Banco do Brasil
Segundo a PM, a dupla era especializada em roubos a Bancos no Nordeste e Norte do Brasil
Por Folha Web
Em 26/12/2017 às 20:00
Material apreendido com a dupla (Foto: Divulgação)

A dupla que trocou tiros com a Força Tática do Batalhão de Operações Especiais (Bope), no bairro Raiar do Sol, na zona Oeste iria assaltar a agência do Banco do Brasil em Rorainópolis.

Informação foi dada por uma fonte da Folhaweb que contou que os indivíduos são investigados por uma série de assaltos a bancos no Amazonas.

Um dos suspeitos conhecido como “Pedro das Vacas”, de 54 anos, e o outro conhecido como louro, de 47 anos, estariam convidando outras pessoas do crime em Roraima para integrarem a quadrilha quando os contatos foram interceptados pela polícia.

“Eles contaram do assalto que pretendiam fazer e deram detalhes de onde estavam e quando iam atacar. Conseguimos evitar que esses integrantes de quadrilha praticassem um assalto de grandes proporções na Capital”.

Quando os policiais chegaram no esconderijo, foram recebidos a tiros pela dupla e durante a reação, ambos foram atingidos na região do peito e da barriga.

Segundo a Polícia Militar, os dois são assaltantes especializados em roubos de agências bancárias no Nordeste e no Norte do Brasil.

Foram eles que, juntamente com outros suspeitos teriam roubado em maio a agência bancária do Banco do Brasil da cidade de Iranduba, município da Região Metropolitana de Manaus.

A dupla já foi presa pela Polícia Civil do Amazonas, depois de praticarem uma série de crimes, mas estava solta. Dentro da casa em que estavam, foram encontrados materiais como luvas de tecido, capuz preto, boné preto, uma pistola e um revólver carregados de munição, punhais, anotações, aparelhos celulares, canivetes e a chave de um carro que estava sendo usado por eles.

Como se trata de material apreendido com foragidos, foi recolhido até a sede da Dicap (Divisão de Inteligência e Captura) da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc).

AMADEU ROCHA TRIANI disse: Em 27/12/2017 às 05:59:23

"Menos dois é mais segurança para população!"