BAIRRO PINTOLÂNDIA
Adolescente atira na própria perna ao colocar arma na cintura
Gostei (0) Não gostei (0)
Por João Barros
Em 02/03/2018 às 00:55
O revólver modelo Magnum, calibre 357, de fabricação americana ficou apreendido para perícia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um adolescente, de 17 anos, foi vítima dele mesmo. Ao colocar um revólver na cintura, a arma disparou, acertando a perna. O caso aconteceu na noite da quarta-feira, dia 28, por volta das 19h, na rua Delman Veras, bairro Pintolândia, zona oeste da Capital. 

A PM foi quem atendeu a ocorrência e disse que foi acionada via Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) para averiguar a denúncia de que um adolescente teria dado entrada na Policlínica Cosme Silva por ser vítima de tiro, além de ter hematomas nas costas, nos braços e no pescoço.

Quando conversaram com o menor, ele disse que estava se preparando para sair de casa em sua bicicleta e que enquanto tentava colocar o revólver Magnum, calibre 357, na cintura, aconteceu o disparo que atingiu sua perna esquerda.

Ele foi consultado na Policlínica, mas precisou ser removido ao Hospital Geral de Roraima (HGR) para procedimento cirúrgico de retirada do projétil que ficou alojado na perna. Depois do procedimento médico e liberação, a guarnição questionou sobre o local onde a arma ficou guardada e o infrator relatou que estava embaixo de sua casa.

Quando os policiais chegaram à residência do menor, encontraram sua irmã, que autorizou a entrada no imóvel. Nas buscas, a arma não foi encontrada dentro do quarto do adolescente, no entanto, uma criança afirmou que ouviu um barulho na parte detrás da casa. No quintal, o revólver foi localizado, jogado no chão, ainda alimentado com três cápsulas intactas.

O menor foi algemado, porque tentou fugir para não responder pelo disparo e porte ilegal de arma de fogo, e conduzido ao Plantão Central da Polícia Civil, onde foi apresentado pelos policiais para que prestasse esclarecimento dos fatos à autoridade policial. Ele não esclareceu onde adquiriu o revólver.

A delegada de plantão elaborou o Boletim de Ocorrência Circunstanciado (B.O.C), para que o menor seja responsabilizado pela infração e, em seguida, foi liberado, deixando as dependências da Delegacia nas mesmas condições físicas em que foi apresentado. O revólver ficou apreendido e será encaminhado para a perícia. (J.B)

???? disse: Em 02/03/2018 às 09:29:01

"Nem pra isso acontecer toda vez que um vagabundo desses tenta sair para fazer assalto, seria uma maravilha!"