POLÍCIA
Ex-presidiários são detidos com simulacro de arma e moto furtada
Gostei (0) Não gostei (0)
Por João Barros
Em 30/11/2017 às 00:43
A arma falsa ficou apreendida na Delegacia e teria sido alugada pelo suspeito por R$ 200 (Foto: Divulgação/Giro/PM)

Enquanto realizava motopatrulhamento pela avenida Nossa Senhora de Nazaré, no bairro Asa Branca, zona oeste de Boa Vista, por volta das 19h30, da terça-feira, dia 28, o Grupamento de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro) da Polícia Militar conseguiu prender dois ex-presidiários que trafegavam em uma motocicleta com restrição de roubo e furto. Na revista pessoal foi encontrada uma arma de brinquedo.

Os policiais explicaram que os suspeitos estavam numa moto Honda/Biz, cor azul, quando foram avistados. Assim que a guarnição se aproximou, os indivíduos demonstraram nervosismo e a equipe suspeitou de que eles poderiam estar praticando algum delito.

Depois que a arma falsa foi encontrada, os policiais questionaram onde teriam adquirido e o suspeito revelou que tinha alugado o simulacro e que usaria para praticar roubos de celulares pela Capital. Durante a consulta dos dados dos elementos, o Giro constatou que ambos têm passagem pela polícia pela prática do crime de roubo, previsto no artigo 157 do Código Penal Brasileiro (CPB).

Foi realizada uma consulta da placa da motocicleta, que estava sem restrição. O veículo foi removido para o pátio do Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Na Delegacia, os policiais ficaram sabem que a motocicleta tinha sido furtada horas antes.

Em depoimento, o indivíduo que portava a arma falsa disse que alugou de uma pessoa desconhecida, pelo valor de R$ 200, na área do Caetano Filho (Beiral), região central de Boa Vista. Ele afirmou que alugou a arma porque está sendo ameaçado de morte por integrantes de uma organização criminosa, mas nega ser membro de qualquer facção. Ele confessou que passou um ano e onze meses preso na Pamc (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo) após praticar assalto à mão armada, todavia, também negou que sua intenção na noite em que foi detido seria de praticar roubos. O indivíduo confirmou que sabia a procedência do veículo no qual estava na garupa, mas afirmou que não tinha conhecimento de que tinha sido furtado pelo comparsa.

Já o condutor da moto confessou ter feito a ligação direta na moto apenas para dar uma volta e no trajeto encontrou o comparsa e o convidou para “tomar” um celular, momento em que o indivíduo questionou o fato de terem saído recente da Pamc, entretanto, decidiram dar uma volta juntos, mas disse que em momento algum praticaram roubos e estavam retornando para casa quando foram abordados pelo Giro. Ele também afirmou ter ficado preso na Pamc por dois anos. Ele ainda revelou que não estuda, mas sabe ler e escrever e que mora com a mãe.

Apesar de todas as provas para incriminar os suspeitos, a vítima não quis permanecer na Delegacia e, diante da falta de representação criminal, os dois elementos foram liberados.

O FURTO – A vítima deixou a moto na casa da mãe do suspeito, que se aproveitou da ocasião e fez uma ligação direta, furtando o veículo. O verdadeiro dono compareceu à Central de Flagrantes do 5º DP, onde o procedimento policial estava sendo elaborado, para ter seu veículo restituído, mas ficou sabendo que a moto já estava retida no Pátio do Detran.

O proprietário contou que tentou entrar em contato com o ladrão por várias vezes, na esperança de que ele devolvesse a motocicleta, mas não obteve êxito. O homem contou ainda que a mãe do responsável pelo furto presenciou o momento em que ele saiu na moto. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!