‘ALERTA CLIMA INDÍGENA’
Aplicativo promete ajudar indígenas no combate às mudanças climáticas
Por Minervaldo Lopes
Em 21/08/2017 às 01:07
Ferramenta contou com apoio de entidades como o Conselho Indígena de Roraima (Foto: Diane Sampaio)

Com intuito de ajudar as comunidades indígenas da Amazônia no que se refere à busca de informações sobre os impactos provocados pelas mudanças climáticas, o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) criou o ‘Alerta Clima Indígena’, um aplicativo que promete disponibilizar informações sobre questões como desmatamentos, áreas afetadas por seca e focos de calor.

De acordo com a coordenadora do Núcleo Indígena do Ipam, Fernanda Borbolloto, a ferramenta ainda está em fase beta, sendo encontrada somente em versão para smartphones com sistema Android, mas já foi apresentada para mais de 100 comunidades indígenas, incluindo representantes de Roraima.

“O aplicativo foi apresentado na assembleia geral no Estado e, no próximo mês, haverá uma oficina de capacitação para formação dos Agentes Ambientais Indígenas (ATAIS). Complementando o debate sobre mudanças climáticas, gestão territorial e monitoramento, o aplicativo será apresentado e os indígenas terão a possibilidade de testar o seu uso”, afirmou.

Entre as entidades que estão dando apoio ao desenvolvimento do aplicativo está o Conselho Indígena de Roraima (CIR). À Folha, a coordenadora do setor ambiental do órgão, Sinéia Wapichana, destacou a importância da ferramenta, que proporcionará maior segurança às comunidades no enfrentamento das situações de grande impacto ambiental. “Desde 2008, o CIR vem trabalhando essa questão de monitorar as comunidades indígenas, principalmente o que diz respeito a impactos ambientais, e esse aplicativo é algo muito inovador para esse tipo de serviço”, frisou.

Atualmente, segundo Sinéia, Roraima possui 223 comunidades indígenas, que contam com quase 300 agentes ambientais. Esses agentes serão os responsáveis por enviar as informações para o laboratório do Sistema Geográfico de Informações do CIR, que será base de recepção e envio de dados do Estado para o aplicativo.

“Para que tudo isso dê certo, o CIR realiza várias capacitações com a abordagem de vários temas, desde a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNAGATI), direitos indígenas e indigenistas, questões de gênero, monitoramento e fiscalização de terras indígenas, fauna, flora, entre outros assuntos. Esse trabalho já vem sendo feito com eles e agora, com a implantação desse sistema, eles participarão de mais um treinamento no período de 5 a 7 de setembro, para alimentar o aplicativo com as informações de Roraima”, explicou.  

Além de utilizar dados sobre terras indígenas amazônicas sistematizados e disponíveis na plataforma on-line SOMAI (somai.org.br/plataforma), o ‘Alerta Clima Indígena’ também fará uso de informações públicas de órgãos como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

O lançamento da primeira versão do Aplicativo está previsto para novembro. “Por enquanto, o programa só abrange a Amazônia, ou seja, ainda não está disponível nas outras regiões, mas a intenção é que isso se estenda para todo o Brasil”, complementou Sinéia. (M.L)

Bekem disse: Em 21/08/2017 às 06:23:25

"Aplicativo promete ajudar indígenas no combate às mudanças climáticas??? O título da matéria está acima da natureza. Como um aplicativo vai combater um fenômeno natural? "