Boa Vista Sexta-feira, 25 de julho de 2014
Links e Serviços
Colunas
Serviços
WebMail
 





Compartilhar


    15/06/2010 12h45

ENTREVISTA VIRTUAL - Nilva Baraúna


   

01)Internauta: Julliane Moura Holanda Bastos
Nilva, vimos que os resultados dos impactos ambientais ocorrem por meio da atitude humana comprometendo as gerações futuras.Você já pensou ou desenvolve algum projeto de modificação de comportamentos, conscientizando a sociedade para a sustentabilidade?
NILVA: Para mudanças comportamentais, faz-se necessário o querer mudar, isso emerge da pessoa através de sensibilização, motivações que se dá através do processo educativo  e nada melhor do que educar-se ambientalmente.  Como Bióloga Educadora, trabalhei no Centro de Ciências com a professora Verônica Fonseca e demais técnicos na Iniciação à Educação Científica no Projeto Feiras de Ciências e foi nesse contexto que a Educação aflorou com  apresentação de Projetos de Educação Ambiental, com propostas de mudança de paradigmas. Cinco alunos da rede estadual foram selecionados para ir à Brasília participar de um Projeto maior chamado protetores da vida do qual fui Coordenadora de 1999  a 2003. Mas enquanto Gestora da Superintendência do Ibama elegemos a Educação Ambiental  como  atividade promotora de novos parâmetros e aí estamos trabalhando o Programa Agentes Ambientais Voluntário nas Comunidades indígenas, nos Projetos de Assentamentos e Populações Ribeirinhas. Estamos com o lançamento da 2ª Cartilha orientativa dirigida aos agricultores familiares. São muitos os trabalhos em que me envolvo diretamente, mas sei que ainda há muito que fazer. Todos têm o dever de cuidar do ambiente de acordo com o Artigo 225 da Constituição Federal.

02)Internauta: Jennifer Albuquerque
Temos visto as conseqüências causadas pela prática da biopirataria em nosso estado. Gostaria de saber quais as providencias que o Ibama promove a fim de punir àqueles que culminam a floresta estatal de Roraima?
NILVA: O Ibama como controlador da Política Nacional de Meio Ambiente, através da fiscalização, notificação, aplica as sanções previstas na Lei de crime Ambiental (9.605/98) e se Decreto (6.514/2008) que vai desde a detenção de 1 a 3 anos e ainda a multa no valor de R$ 5.000,00 ( Cinco mil reais ) por hectare desmatado.

03)Internauta: Eliete Vieira Silva
Sou técnica ambiental e sabemos que o meio ambiente é o que mais vem sendo agredido pelo homem, a única saída acredito que seja concursos público e fiscalização. O que você acha?
NILVA: É isso mesmo, o Ibama já realizou 3 concursos, mas ainda precisa realizar mais sobretudo para atender a  Amazônia  que é o patrimônio da humanidade.

04)Internauta: Eliete Vieira Silva
Sou formada em técnica ambiental, queria saber sobre estagio o que precisa para estagiar no IBAMA já que a falta de fiscalização! Poderia esta contratando técnico para atuar na fiscalização do nosso estado?
NILVA: Prezada Eliete, o estágio no Ibama existe para os acadêmicos que já estão com 50% do Curso  concluído, é para ele conhecer melhor a sua área de trabalho. Podemos contratar apenas 8, pois de acordo com as normas administrativas é 10% sobre o n° total de servidores. Quanto a contratação de Técnicos para a Fiscalização, isso não é possível, pois essa função é atribuída aos servidores efetivos  do Ibama através de Portaria do Presidente, porque tem poder de polícia. 

05)Internauta: Lucas
Todo mundo sabe que aquelas retiradas de areia nas margens do rio branco (próximo da ponte dos macuxis) só contribuem para o assassinato do mesmo. Porque vocês não fazem nada? aquilo é uma vergonha é inaceitável, o rio branco esta morrendo, nos vimos a ultima seca como ele ficou.
NILVA: Caro Lucas, é certo que a fiscalização é competência comum aos entes federados, mas a atividade do qual você se refere está licenciada pelo estado. Portanto  não pode ser embargada  e nem interditada, a não ser judicialmente.

06)Internauta: Karol
Nilva, porque o Ibama não fiscaliza as entradas da cidade, pois é notório que entra madeira ilegal todos os dias por elas, é só colocar fiscais lá, as carretas de madeira não tem como passar por outro lugar. Eu preservo a natureza mais vocês não ajudam.
NILVA: Karol, a Superintendência do Ibama/ RR, tem um corpo diminuto de fiscais, não basta simplesmente  colocar fiscais na ponte dos macuxis, porque os olheiros avisam e o trabalho fica prejudicado, faz-se necessário é que todos os municípios tenham a capacidade de atuar em conjunto, a fim de aumentarmos a força de trabalho em parceria com a sociedade civil organizada e mais a coletividade, para que de forma estratégica tenhamos condições  de reduzir os crimes ambientais.

07) Internauta: Lucival Silva
Sra. Nilva, como a sra. vê a entrada de madeira ilegal por nossas ''barreiras de fiscalização'' e o assoreamento do rio branco próximo a ponte dos macuxis por aquelas dragas destruidoras da natureza. Tem o IBAMA algum meta para dar uma freada nessas afrontas??
NILVA: Lucival, eu já até respondi a um internauta sobre esse assunto. Essa atividade da qual você se refere, é de competência em primeiro lugar do município de Boa Vista, depois do estado e por último de forma supletiva, do Ibama. Informo que a retirada de areia é uma atividade que está licenciada pelo estado, portanto não cabe nenhuma medida repressiva, a não ser que seja judicializada. 

08)  Internauta: Keyle Oliveira
Sem dúvida o desmatamento é uma questão bastante abrangente, e difícil de ser controlado, em sua opinião os agentes hoje que atuam na fiscalização dessas áreas são suficientes para a realização de um trabalho minucioso?, Existe algum tipo de projeto ou parceria juntamente com as secretárias, estadual é municipal que facilite essa fiscalização?
NILVA: Em 2003, foi criada uma Comissão tripartite (Ibama, Femact e municípios), a fim de otimizar as ações  e recursos financeiros, pessoal e logísticos. Temos  realizado trabalho em parcerias com as Polícias: Federal, Rodoviária, Militar e Ambiental. Temos consciência de que não é suficiente o nº de agentes de fiscalização, mas acreditamos que bem próximo teremos o 4º concursos para preenchimentos dessa lacuna.

 09) Internauta: Cleverson Paixão

Senhora Superintendente, existe atualmente uma grande preocupação com a questão do meio ambiente,já tratado aqui em nosso estado pelo IBAMA e pela FEMACT a senhora não acha desnecessário a criação de um outro órgão IDEFER cuja grande parte das atribuições são as mesmas já executadas pelo IBAMA e FEMACT.?
NILVA: Esse órgão que você se refere é de desenvolvimento florestal, portanto é um órgão fomentador, importante para o desenvolvimento da política florestal do estado de Roraima. O Ibama, Femact, e demais secretarias municipais de meio ambiente, são reguladoras e controladoras.

 10)Internauta: Vanildo
Senhora Superintendente, sabemos das condições de deficiência de pessoal no IBAMA, e em Roraima ta extensão para fiscalizar o problema se agrava. Pergunto teremos concurso público? Quando?
NILVA: Há previsão do 4º concurso para cesse ano, mas acredito que devido a exigüidade do tempo em função do período eleitoral, somente será possível para ao ano de 2011. Aproveite para ir se preparando.

11) Internauta: anderson teixeira

Porque não fazem concurso pra fiscal do meio ambiente para Roraima, sendo que temos duas turmas já formada de técnicos do meio ambiente nível médio formadas aqui em Roraima ??
NILVA: Os concursos acontecem para todos os estados, mas para fiscalização, apenas com nível superior.

12) Internauta: Mira Sarmento
O que o IBAMA pensa sobre as empresas do estado no segmento de manejo florestal que possuem a certificação junto ao FSC? quais as vantagens junto ao órgão possuir este selo? isso não deveria ser uma obrigação de empresas do segmento para que desenvolvessem o manejo corretamente sustentável assim propondo de fato a responsabilidade com o meio ambiente?
NILVA: Esse selo dá credibilidade à empresa no tocante as exigências internacionais quanto a origem da madeira exportada, mas sobretudo dá a certeza de que a atividade é de cunho sustentável. É claro que esse procedimento deveria ser de praxe, pois ao que chamamos de  desenvolvimento sustentável, deve atender a três vertentes: o economicamente viável, ao ambientalmente correto e o socialmente justo.
 

14) Internauta: Gleidson De Oliveira Uchoa

Gostaria de saber da superintendente Nilva se ela é a favor do Parque Nacional do lavrado na SERA DA LUA? Quais benefícios para o estado e pra onde vão os produtores?
NILVA: Sou a favor da preservação desse bioma tão importante que  é o lavrado, principalmente porque é diferente do resto do Brasil. Esse é um benefício. No tocante a escolha de áreas essa competência é do ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, que estará realizando novos estudos, audiências públicas, a fim de evitar conflitos e desapropriações. Eles podem informar melhor a respeito desse assunto.

 15) Internauta: Rociclea
Gostaria de saber quais são as providencias que o IBAMA tem tomado em relação a destruição da margem direita do Rio Branco, próximo a Ponte dos Macuxis. Como todos sabemos é proibido a retirada da mata siliar dos rios, pois surgem sérios problemas ambientas na região.?
NILVA: Essa competência é da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Boa Vista e da FEMACT.

 

16) Internauta: luiz carlos

Quando é que o IBAMA realmente vai existir em roraima, nasci e me criei ai e nunca funcionou.?
NILVA: Luiz Carlos, antes do Departamento do Meio Ambiente (DEMA), ligado a Secretaria de Planejamento do Estado e posteriormente a criação da FEMACT em 2003, da Secretaria Municipal de Gestão Ambiental e Assuntos Indígenas, todas as atividades ambientais eram  realizadas pelo Ibama, até licença para corte de árvores de residência, eu acho que é injusto dizer que nunca funcionou. Hoje com as Resoluções do Conselho Nacional de Meio Ambiente – CONAMA, as  competências estão mais definidas e cada órgão faz o seu trabalho de acordo com a área de abrangência e o impacto. Portanto o Ibama é reconhecido Nacional e internacionalmente pelos seus relevantes serviços prestados. É a terceira maior marca conhecida, no Brasil  (Coca-cola, Correios e Ibama) quiçá fora do Brasil. Em Roraima, somos acionados diariamente, para fiscalização, solicitação de outros serviços, são apresentadas denúncias e outros. Se isso ocorre, é porque temos credibilidade diante da sociedade.

 

17) Internauta: Moises Sousa

Mensagem: olá Dr. Nilva baraúna, em determinada situação que o estado si encontra, em relação ao desmatamento, gostaria de ficar informado sobre as providências que na sua gestão são realizado para evitar-lo?
NILVA: Estamos hoje com fiscalização in loco, acompanhando através de imagens de satélite em tempo real , aplicando as sanções previstas na Lei de Crimes Ambientais, apreendendo os produtos e subprodutos irregulares,embargando áreas, e interditando atividades sem autorização do órgão competente. Ao mesmo tempo  trabalhando prevenção através da Educação Ambiental e ainda contando com os nosso parceiros, FEMACT, todas as polícias; Federal, Militar, Ambiental e Rodoviária

18)Internauta: FRANCISCO PORTO

O governo federal demonstrando compromisso com o meio ambiente,imposto um ritmo que nos últimos 7 anos, o Brasil foi o pais que teve, o maior número de reservas e parques ambientais demarcados. Aqui em roraima, quando será demarcado o nosso parque nacional do lavrado?
 NILVA: Essa é uma decisão do ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, mas que é importante, é.

 

19) Internauta: Isaias Matos Santiago

Gostaria de saber da superintendente se o ibama tem mapeado todos os locais de onde são extraidas madeiras em toras.E se os locais são fiscalizados periodicamente.?
NILVA: Há a fiscalização in loco, mas há também rastreamento de desmatamento través de imagens de satélite. E agora com o satélite ALOS, é possível ver mesmo com nuveamento. Portanto temos imagens em tempo real do desmatamento. Agora a madeira extraída é questão conferência de origem/pátio/transporte. Estamos trabalhando nesse sentido.

 20) Internauta: antonio alves de oliveira

sabendo que o desmatamento é a maior agressão provocada pelo homem, qual a forma de produzir alimentos sem utilizar o solo para o plantio. sempre se fala em conservação, mas nunca se pensou como alimenta os agricultores da agricultura familiar, somente em multa-los sem dá o mínimo de defesa, será que os sistema de conservação (SAF)que demora 12 anos para começarem a rendo lucro e este tempo tem dinheiro para a manutenção familiar.?
NILVA: O Sistema Agroflorestal é uma das alternativas. Existem outras formas de produzir de forma sustentável, porém o acesso ao crédito ainda se constitui numa grande burocracia e a falta de emprego tecnológico afasta mais ainda a possibilidade de sempre se produzir na área autorizada. Daí a tentação de sempre se desmatar mais , o que não resolve o problema. A área de Reserva Legal pode ser utilizada em manejo florestal, é uma possibilidade de se produzir sem derrubar, conservando.

21) Internauta: Moreno

Sabemos que o objetivo do IBAMA é promover políticas de proteção ao meio ambiente, como o IBAMA permite que se crie uma fossa a céu aberto no meio da cidade de Boa Vista, estou falando da lagoa de estabilização, que contamina rios que desaguam no rio branco que leva água para nossas torneiras?
NILVA: Essa lagoa de estabilização foi licenciada, o que está faltando é o monitoramento do órgão estadual de Meio ambiente ou mesmo do município. Nós já apresentamos os laudos solicitados para as providências necessárias. É uma obra importante, porque foi feita para atender 100%  da rede de esgoto de Boa Vista. Repito o que falta é  monitoramento.

 

22)Internauta: Antonio E. Ghirotti

Sou morador do bairro Suapi,em Pacaraima e vejo com preocupação a invasão que está ocorrendo numa área que deveria estar protegida pelo ibama,ou por outros orgãos.Vão acabar com a mata e as nascentes do local.Peço socorro?
Antonio, o Ibama tem um escritório em Pacaraima, você pode contribuir denunciando  lá, pois se  houver necessidade estaremos enviando reforço para uma ação mais ostensiva. Obrigada por denunciar  esse é o nosso papel diante das coisas erradas.

23) Internauta: Taiã Ribeiro

Nilva, eu sou filho da Marisnal Cardoso Peixoto, e já alguns saí de Roraima, mas sempre que posso acompanho o andamento de Roraima. Gostaria de saber se na sua opinião a demarcação da reserva raposa/serra do sol (Zona de lavrado), deu impulso ao desmatamento da amazônia roraimense (sul de roraima)?

NILVA: Tendo em vista que muitos produtores do norte roraimense, adquiriram terra no sul de roraima, onde a mata é densa e o impacto ambiental seria maior.?
O avanço do desmatamento não tem nada a ver com a questão raposa-serra dosol, porque os que foram retirados de lá, foram assentados na zona de lavrados, no PA Nova Amazônia, foram pouquíssimos os que aceitaram  área de floresta.O que está ocorrendo é que Roraima é a última fronteira agrícola do país e muitos estão vindo de outros estados para   produzir  em área de floresta e ainda ocorre o desmatamento clandestino, para venda de madeiras ilegal. Estamos de olho para coibir a prática ilegal.

 24) Internauta: Israel Pardinho Souza

Porque os órgãos de meio ambiente não compartilha ações ou interface com o setor saúde? principalmente nas questões relacionadas ao licenciamento de empreendimentos potencialmente poluidor e geram resíduos de interesse para a saúde? lembra do tema da 1ª CNSA?
NILVA: Realmente ainda não foi criado uma rede que possa atender a saúde e meio ambiente de forma concatenada, pois o que vemos ainda, é o trabalho  em forma de gavetas, fecha uma, abre outra.É uma prática que deve ser persistida. Vale a pena tentar, será mesmo dispendioso. 

25) Internauta: Francisco Alves de Souza
Ilma Nilva, como o pequeno agricultor fará para continuar produzindo no seu lote? Tendo em vista que o mesmo não pode desmatar, e também não possui maquinário para trabalhar. por outro lado, a burocracia para tirar uma licença de desmatamento é enorme, você concorda que com essas dificuldades, os òrgãos ambientais estão contribuindo para o êxodo rural.?
NILVA: A gestão Ambiental hoje é de competência da FEMACT, é lá que é autorizado o desmatamento a queima controlada, os planos de manejos o transporte de produtos e subprodutos florestais. Porém digo que o êxodo rural é um fenômeno típico da falta de Políticas Públicas que garantam a fixação do agricultor ou agricultora à terra. Com a falta de escolas, postos médicos, estradas, energia, logo logo o agricultor vende tudo ou abandona, para ir a cidade em busca de dias melhores. Então não é o órgão ambiental que deve ser responsabilizado por isso, a cobrança deve ser dirigida ao Poder Público estadual.

 
26)Internauta: Márcia Moreira

Mensagem: Bom dia,tenho uma area de quase 500hectares e gostaria muito de saber como buscar ajudar para fundar um projeto voltado para reflorestamento e reserva de animais silvestres,sei que preserva a natureza e muito importante e tenho muita vontade de trabalhar com preservação,mas como não sei por onde começar gostaria muito que me envia-se uma resposta e talvez ate marcar uma reunião para tratar do assunto.
NILVA: Márcia, você pode procurar o Nucleo de Faunas e a Divisão Técnica a fim de obter maiores informações a respeito dos  seus Projetos . Entre em contato através telefone 4009-9432 ou venha  conversar conosco. É possível realizar.

 

 

27)Internauta: Ernades

Quando é que o IBAMA, a PRF vão banir os caminhões madeireiros do nosso estado, pois eles viajam de madrugada, horário que os policiais estão dormindo. Agora durante os jogos da seleção os bandidos de todas as áreas vão deitar e rolar nos postos policiais. Na estrada que vai para o Baruana-Cantá, Dona Baraúna, virou moda. ?
NILVA: Essa fiscalização mais local, poderia ser feita pelos fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Cantá, o que não impede de nos organizarmos e realizarmos fiscalizações em conjunto.

 

28) Internauta: HAGGY

Qual a opinião da Srª. sobre os serviços prestado pelo orgão administrado pela Srª? NILVA: Digo que no Ibama tem pessoas que são honestas, justas, sensíveis, competentes e comprometidas com a causa ambiental e com a vida.
 

29) Internauta: Clecinaldo

Sabe-se que muitos colonos no sul do estado RR,"destruem o ambiente" depende desmatar para a fim de que estes possam ter melhor desenvolvimento do seus produtos, no caso a banana, e bastante evidente que para plantar precisa derrubar e depois queimar?
NILVA: O desmatamento para uso alternativo do solo está previsto em lei, mas ,somente 20% em área de floresta e 65% em área de cerrado ou lavrado e a queima controlada também foi liberada.

30) Qual o projeto que o estado juntamente com o Ibama oferece para que estes não possam mais destruir o meio ambiente? e que saia do papel, e não como as promessas políticas?
NILVA: O que precisa mesmo é a implementação de Política Públicas que atendam os produtores sobretudo a agricultura familiar de forma sustentável , com incentivos agrícolas, fomentos, implementos agrícolas e tecnológicos. Isso é Política de Governo Estadual. O Ibama executa a política de controle ambiental nas questões macro.
 

31)Internauta: Carlos Moura

Em quantos casos durante sua gestão no IBAMA dentre os inúmeros caminhões apreendidos com madeira retirada ilegalmente de nossas florestas foi utilizado o procedimento de "perdimento" dos mesmos? Ou seja destes veículos do crime ambiental quantos foram apreendidos sem devolução e efetivamente saíram de circulação.?
NILVA: Não dá para dizer quantos, porque foram muitos e estes dado destinação ou seja foram doados às instituições contempladas nas Instruções Normativas do Ibama referentes a doações de Bens Apreendidos. Ressalto que os veículos liberados foram em razões do princípio da razoabilidade e por vias judiciais.

 

32)Internauta: Gary

Olá, tenho uma canoa com motor, mas não pesco com muita frequencia, gostaria de saber se mesmo assim preciso de alguma autorização para isso? e qual seria essa autorização, grato.?
NILVA:  Você deve tomar as informações junto ao Núcleo de Recursos Pesqueiros do Ibama – telefone nº 4009-9419. Estamos a sua disposição

 

33)Internauta: Costa Gonçalves

Superintendente Nilva Baraúna,Sobre as Carvoarias existentes no Distrito?
Moro no Bairro Centenário e constantemente e a fumaça das carvoarias ilegais afetam o meio ambiente e principalmente humanos que por ali moram...E por enquanto não existe nenhuma fiscalização no local. o que o Ibama pode fazer para fechar esses pontos ilegais Dentro de nossa cidade?
NILVA:  Carvoaria é considerado trabalho penoso. Deve ser denunciado a Secretaria de Gestão Ambiental do Município de Boa Vista, até para verificar se não há trabalho infantil.

.: Publicidades :.

















 
 
Copyrigth © 2008 - Folha de Boa Vista - Todos os Direitos Reservados