Boa Vista Segunda-feira, 01 de setembro de 2014
Links e Serviços
Colunas
Serviços
WebMail
 





Compartilhar


    06/09/2012 08h25

Entrevista Virtual - Renato Gonçalves Alvarenga


   

 
01)Internauta: Ângela Maria
E-mail: angelamaria_lira@hotmail.com

Pergunta: Deve ser proibida a venda não só de doces como também de salgados (frituras), refrigerantes e outros produtos nocivos à saúde das crianças e adolescentes.  O poder Público é que tem que arcar com a manutenção das escolas públicas, como isso não acontece, as escolas acabam recorrendo as cantinas vendo coisas prejudiciais aos alunos para poder fazer a manutenção da escola porque se esperar pelo governo nada funciona.

 
R. Prezada Ângela Maria, a iniciativa da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Desportos é inovadora e extremamente responsável. Desta forma, a Resolução Nº 001/12/SECD/CEAE/RR proíbe a comercialização de TODOS os alimentos com baixo teor nutricional como as frituras, refrigerantes, que deverão ser substituídos por assados e suco natural. Vale ressaltar que a política de cantina nas escolas públicas é uma prática nacional e gera renda para as escolas fazerem pequenos reparos nas unidades de ensino, e isso não quer dizer que o governo deixa de cumprir seu papel no que tange a manutenção das escolas. O que falta é uma cultura de sensibilização para que a comunidade escolar conserve o patrimônio que é público.


02)Internauta: Gilmar M. Guimarães
E-mail: chocolatewind@bol.com.br

Pergunta: Gostaria de saber quando o governo do estado vai abrir o restaurante popular, pois faz ano que está fechado e o povo carente é quem precisa desse restaurante acho um absurdo, pois o governo estadual tem muito mais recursos que a prefeitura que estão funcionando os seus.



A gestão do restaurante popular não compete à Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Desportos e não tem qualquer relação com a merenda escolar.
 
03)Internauta: Jimmy Iran dos Santos Melo
E-mail: mergulhadoemjesus@hotmail.com

Pergunta: Como vai funcionar a aplicação da Lei no dia a dia da escola?


R. O Conselho Estadual de Alimentação Escolar juntamente com os nutricionistas da Divisão de Apoio ao Educando, da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Desportos,  irá realizar visitas constantes nas escolas orientando os estabelecimentos a se adequarem a nova resolução.
 
 

04)Internauta: Antonio Alves Noronha
E-mail: prof_noronha@hotmail.com

Pergunta: Gostaria de saber se essa nova resolução se aplica a todas as escolas, inclusive as escolas privadas? Fone: 8403-5148


R. A Resolução atende somente as escolas da rede pública estadual.


05)Internauta: manoel fernandes
E-mail: manoelfernandes_37@hotmail.com

Mensagem: bom dia Dr.
Como pode proibir venda de alimento nas escolas. Pois há escolas que não tem merenda escolar. Quando essa vergonha vai acabar?? Fone: 91187741


R. Senhor Manoel, nossa intenção enquanto agente público é garantir a comercialização de alimentos saudáveis para os alunos da rede estadual de ensino. Em nenhum momento a Resolução trata de proibição de venda de alimentos. E sobre a merenda escolar, o senhor deve estar equivocado, uma vez que todas as escolas da rede estadual oferecem diariamente, nos turnos de aula, a merenda escolar. Para o seu conhecimento, em Roraima temos escolas que recebem os gêneros alimentícios e ainda complementam com a aquisição de frutas, hortaliças e carnes direto da agricultura familiar, e outras que são contempladas com a produção diária do alimento por meio do programa de governo “Mães Merendeiras”. Agora se o senhor alega que falta merenda nas escolas, o senhor como cidadão deve oficializar a denúncia junto a Ouvidoria da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Desportos, durante o horário de expediente do governo (7h30min às 13h30min) para que sejam tomadas as devidas providências.

 
06)Internauta: Elly Santos
E-mail: ellysantosferreira@gmail.com

Mensagem: Boa tarde Dr. Essa lei é o mais correto a se fazer com as cantinas das escolas?


R. Na nossa opinião enquanto agente público é sim. Segundo a Resolução FNDE N.º 38, de 16 de julho de 2009, a merenda escolar deve ser saudável, não deve conter no cardápio frituras, refrigerantes, alimentos com baixo teor nutricional em geral. Estamos readequando a merenda escolar do Estado de acordo essa Resolução e acho inviável as cantinas escolares continuarem oferecendo alimentos pobres em teor nutricional, enquanto a merenda oferecida pelo governo estar, neste momento, atendendo às prerrogativas do FNDE.
 
07)Internauta:Elisa M Santos

Mensagem: Eu acho um absurdo. O aluno não vai comer dentro da escola as frituras e os doces, mas fora da escola vai comer até o dobro. Não adianta de nada. Qual sua orientação quanto a isso?


R. Senhora Elisa, estamos cumprindo com o papel de agente público, ao orientar, controlar e oferecer alimento saudável aos alunos da rede pública estadual. Ocorre que os pais não podem fugir às suas responsabilidades de educar, orientar e fiscalizar a alimentação dos filhos. Isso não é papel do Estado quando o aluno está fora da sala de aula. O papel da escola é educar. Compete ao pai sensibilizar os filhos ou então de nada adianta o estudante ter boa alimentação no âmbito escolar e fora dele abusar de alimentos de baixo teor nutricional.
 
 
08)internauta: Charlene ferreira

Pergunta: Como essa resolução vai funcionar? Vai haver uma fiscalização para que tenha uma melhoria na merenda escolar?


R. Charlene, a merenda escolar já apresenta melhoria de qualidade. O assunto em questão é a comercialização de alimentos nas cantinas, o que deixa de ser merenda escolar (merenda escolar é o que o governo fornece). Mas informo que vai haver constante fiscalização por parte do Conselho Estadual de Alimentação Escolar e os nossos nutricionistas da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Desportos. Os estabelecimentos que não seguirem a Resolução serão relatados à SECD para providências cabíveis, previstas na referida Resolução.
 
09)Internauta: Derlândia Lima

Mensagem: Meu filho tem 12 anos e é muito pesado para a idade dele. Gostaria de saber como posso fazer para afastá-lo da obesidade. Tenho que mexer na alimentação dele? Quais alimentos seriam indicados?


R. Derlândia a senhora tem que observar o hábito alimentar do seu filho. Saber se ele se alimenta de 3 em 3 horas; se consome frituras, refrigerantes  e outros alimentos com baixo teor nutricional. Tudo isso contribui, a longo prazo, para o aumento de peso, podendo também apresentar diabetes, aumento de colesterol e outras patologias. O mais indicado é a senhora procurar um profissional da área para obter mais orientações.
 

 
10)Internauta:Maria Silva

Mensagem: Faz parte da educação  contribuir para a saúde das crianças, mas não é impedindo a venda na escola que os pais se conscientizarão da necessidade de seus filhos aprenderem a se alimentar devidamente. Qual sua opinião sobre isso?

 

R. Senhora Maria, estamos cumprindo com o nosso papel de educar melhor nossos alunos no que se refere à alimentação. A sensibilização dos pais vem a partir da adequação ao modelo proposto pela SECD. Quem sabe a partir do consumo regular de alimentos saudáveis na escola o aluno leve o conhecimento para a casa e consiga transformar os hábitos alimentares da própria família.

 
11)Internauta: José de Andrade
E-mail: dandade_jr@hotmail.com

Pergunta: Sabemos que o doce faz mal para os dentes. Mas deveríamos seguir esta resolução do Conselho? Eu penso assim, que tudo que moderado pode.


R. Senhor José, o problema é que o consumo não é moderado, pelo contrário, cada dia tem se tornado maior e isso reflete na pouca aceitação da merenda escolar, que segue a um novo cardápio, priorizando alimentos saudáveis – na maioria das vezes os alunos deixam de merendar para comprar guloseimas nas cantinas. E a Resolução é para ser seguida na sua totalidade.
 
12)Internauta: Andréia Montes

Mensagem: A educação alimentar vem de casa. A proibição de balas e salgadinhos na escola não significa que as crianças deixam de comprar a caminho da escola.


R. Concordo com a senhora, contudo, repito que estamos cumprindo o nosso papel de agente público. Os pais têm também que assumirem a responsabilidade de orientar os filhos sobre a forma mais correta de se alimentar. A nossa responsabilidade é enquanto o aluno está na sala de aula.
 
13)Internauta: André Barbosa

Mensagem: Eu acho que é uma proibição que não leva a nada porque os alunos levam do mercado doces, chicletes e outras coisas para escola e ninguém pode proibir. Porque não deixar livre?


R. Senhor André, a nossa intenção é regulamentar a comercialização de alimentos saudáveis nas cantinas. Dessa forma, o senhor pode ter a certeza de que os nossos alunos estão sendo bem alimentados nas escolas públicas. Mais uma vez eu digo que esse papel de orientar e fiscalizar o que o filho está consumindo é de competência dos pais e não da escola. Se o aluno leva alimentos não saudáveis para a escola, demonstra a pouca preocupação do pai no que se refere à saúde alimentar do filho. E deixar o comércio de guloseimas livre é mostra que o Brasil caminhará para uma sociedade obesa e com inúmeros riscos para a saúde.

 

Atenção! Lembre-se que os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal


.: Publicidades :.

















 
 
Copyrigth © 2008 - Folha de Boa Vista - Todos os Direitos Reservados