Boa Vista Quinta-feira, 17 de abril de 2014
Links e Serviços
Colunas
Serviços
WebMail
 





Compartilhar


    24/05/2012 01h53

Mais de 44 mandados de prisão expedidos


   


Foto:  Antônio Diniz

Policiais federais cumprem mandado de busca e apreensão na sede do Iteraima
CYNEIDA CORREIA

Nesta fase inicial da operação Salmo 96:12, desencadeada ontem pela manhã, segundo o delegado Fabrizio Garbi, responsável pela representação criminal, a Polícia Federal identificou o envolvimento de pelo menos  três servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), seis servidores da Fundação Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Femarh), oito servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), inclusive o chefe da Fiscalização, vinte madeireiros; quatro empresários do ramo de consultoria ambiental, um servidor do órgão fundiário estadual do Instituto de Terras de Roraima (Iteraima) e mais de cem “laranjas” e familiares de servidores.

Entre os crimes apontados estão a regularização (“grilagem”) de área que, segundo a PF, é equivalente a 146 mil campos de futebol, autorização para desmatamento de área equivalente a 21 mil campos de futebol, autorização para extração de 1,4 milhões de m³ de madeira (equivalentes a 56 mil caminhões carregados ao máximo, suficientes para fazer uma fila ininterrupta de São Paulo/SP até Brasília/DF).

As investigações resultaram em 700 laudas de uma representação criminal que pediu a prisão de 44 pessoas, a busca e apreensão em vários órgãos, condução coercitiva de pessoas, suspensão do exercício de função pública de servidores envolvidos, proibição de acesso a órgãos públicos pelos acusados, quebra de sigilo de dados dos celulares, sequestro dos bens e bloqueio de valores.

Também houve suspensão total das atividades de empresas, busca e apreensão de máquinas, tratores e caminhões, além de remoção dos servidores, anulação de autorização de desmatamento e suspensão das regularizações fundiárias. “Eles [acusados] vendiam a licença ambiental por quantias ínfimas, que chegavam a R$ 50,00”, disse o delegado Fabrizio Garbi.  


Veja qual era a participação de cada órgão 

IBAMA - Os servidores fraudavam fiscalização e avisavam servidores das fiscalizações, exigindo ou recebendo suborno que eram rateados individualmente, apesar dos atos em benefícios dos acusados serem organizados e terem participação coletiva.

MADEREIROS - Esses recebiam e propagavam informações quanto à fiscalização de órgãos ambientais, mediante pagamento a fiscais investigados, fraudavam DOFs, transportavam madeira sem autorização, extraíam madeira de área diversa da autorizada, usurpando até bens da União.

EMPRESÁRIOS - Atuavam em todas as frentes e órgãos, coordenando sistemática inserção de dados falsos em sistemas federais, visando obtenção fraudulenta de autorização de desmatamento, grilando terras e subornando funcionários para obter e negociar créditos nos sistemas.

FEMARH - Alguns dos servidores acatavam e faziam tramitar processos administrativos ao arrepio da lei, inserindo dados falsos em sistema federal de informações, simulando ou evitando vistorias e criando autorizações de desmatamento fraudulentas mediante suborno.

INCRA - Alguns dos servidores acatavam e faziam tramitar processos administrativos ao arrepio da lei, inserindo dados falsos em sistema federal de informações, viabilizando cadastramento de áreas inacessíveis de floresta ou áreas nunca ocupadas, mediante suborno, além de comercializar documentos.

ITERAIMA - Alguns dos servidores estão envolvidos em sistemática grilagem e comercialização de terras, acompanhadas ou decorrentes de possíveis extorsões ou ameaças coordenadas ou praticadas por servidores, mediante produção dos mesmos documentos que o Incra emite para, em tese, inserirem dados falsos em sistema federal de informações.

BENEFICIÁRIOS DAS REGULARIZAÇÕES FUNDIÁRIAS – Incluem tanto pessoas que participam intencionalmente, recebendo para isso, quanto pessoas induzidas pelos empresários a emprestarem seus dados para regularização fundiária.


Confira os 44 mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça

Mário Sérgio Nunes Fortes
 
Cássio Murilo Alves Mendes
 
Alcino Brito Dos Santos
  
Waldenir Barnabé dos Santos
  
Guilherme da Silva Pena
  
Dorval Costa Junior

José da Silva Araújo

Janos Wanderley de Mello

Júlio Cesar Ferreira Izel

Aselma Marcelo de Oliveira

Euclides Conrado dos Santos
  
Antônio Rodrigues de Melo
 
Leomar Reginatto

João Oliveira

Carlos Mendes Rodrigues
 
Francisco Valbert Ferreira de Queiroz
 
Antônio Américo Neto

Edson da Silva

Hélio Dumer

Jalmir Luuis Danielli

Bernardo Lusitano Esteves

Nadisson Peixoto Pinheiro

Fabricio de Oliveira Lima

Aleir Guizoni

Sueli Marcelo de Oliveira

Márcio Dezengrini

José Dalmo Zani

Mauro Dias Bergami

Antônio Cabral de Macedo Neto

Ildebran Pereira Da Silva

Valdemir Pereira de Melo Filho
 
Pedro Fernandes dos Santos

Gimi Kater Alves da Silva

Lúcio Mauro Tonelli Pereira

Robério dos Santos Mangabeira

Kairo Ícaro Alves dos Santos

Edvaldo Victor de Lima

Iranilde Paes Burg

Lourival Ferreira da Costa Filho

Janair Nunes Pinheiro

Cleyçon Vieira Nascimento

Alexandre Aparecido Valentim

Grineir Costa da Silva

Josefa Rodrigues da Silva

Atenção! Lembre-se que os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal


COMENTÁRIOS
Nome:   
8873-JOSÉ DEODATO DE AQUINO                          Data: 21:07:54 - 24/05/2012
Quantas operações já ocorreram em Roraima, quais os resultados? Quando por acaso abordam em suas residências peixes graudos, só estardalhaços e pronto, logo, logo, estão soltos, rindo das autoridades que os prenderam e o pior, são nomeados para exercerem cargos públicos. Até quando meus amigos internautas, vamos continuar perdendo nossos preciosos tempos. A operação não lançou mão de alguns que propagavam farta distribuições de títulos de terras, sem valor algum, promovia invasões de áreas para promoção eleitoreira, se for só os peixes pequenos (piabas), a esculhanbação só tem a continuar, vem ai o novo Código Florestal que ninguem entende. A bandalheira dos òrgãos vão continuar, maioria sob o comando do PT (Petralhas), cachoeiras da vida e outros. Se o povo não se revoltar,baubau, pau no lombo da gente.


COMENTÁRIOS
Nome:   
10467-ANTONIA DA PAZ HENRIQUE NETA                          Data: 20:31:52 - 24/05/2012
A POLÍCIA FEDERAL ESTÁ DE PARABÉNS. GOSTARIA DE SABER SE AS PESSOAS QUE VENDIAM OS PROJETOS VÃO FICAR IMPUNES.


COMENTÁRIOS
Nome:   
10373-Aldiron                          Data: 12:14:16 - 24/05/2012
Acho que investigações desse tipo pode contribuir para a moralização do nosso estado, contudo é necessário que se tenha mais paciencia para que a euforia não deixe de fora algumas peça que sõa fundamentais para uma êxito mais completo.

1
.: Publicidades :.













 
 
Copyrigth © 2008 - Folha de Boa Vista - Todos os Direitos Reservados