Boa Vista Quarta-feira, 23 de abril de 2014
Links e Serviços
Colunas
Serviços
WebMail
 





Compartilhar


    24/02/2012 16h09

Conheça quais os passos para montar o próprio negócio


   


Foto:  Divulgação

Coordenador de projetos e atendimento do Sebrae, Aldrin Lopes
NEIDIANA OLIVEIRA
neidiana@folhabv.com.br


Ser um empreendedor e conquistar sua independência. Esse é o sonho de muitas pessoas que buscam na abertura de um negócio a possibilidade de ser seu próprio patrão e estipular o seu horário de trabalho, sem dar satisfação a nenhum superior dentro de uma empresa. Mas, para isso não basta apenas ter um ideal. E preciso conhecer o segmento almejado e o mercado em que vai adentrar.

O primeiro passo para quem pretende montar um negócio é procurar auxílio junto ao Sebrae para começar o alicerce da empresa, que desenvolve  a modalidade de registro empresarial Empreendedor Individual, destinado a pessoas que almejam abrir um empreendimento.

O coordenador de projetos e atendimento do Sebrae, Aldrin Lopes, explicou que esta modalidade não paga imposto e é mais prático, por ser realizado via internet, sem custos, facilitando as transações, para a abertura da empresa.

Segundo ele, o custo da contribuição será de R$ 31,10, que corresponde a 5% sobre o salário mínimo vigente para a Previdência Social, R$ 1,00 de Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) para o Estado e R$ 5,00 de Imposto sobre Serviços (ISS) para o município. O custo máximo de formalização para quem realiza atividade mista é de R$ 37,10 por mês.

Dentre as atividades típicas do Empreendedor Individual estão: sorveteria, lanchonete, padaria, salão de beleza, pizzaria, borracharia e comércio ambulante. Então o futuro empreendedor deve levar em conta concorrência, o mercado, os gastos e um diferencial para alcançar bons resultados.

“Ao investir em uma ideia, o ideal é fazer uma avaliação financeira para constatar quanto será necessário de capital. É indicado pesquisar o local onde será instalado o empreendimento, qual o público-alvo, quem são os concorrentes e os possíveis fornecedores”, complementou.

Deve-se levar em conta o pagamento do aluguel, de funcionários, custo com despesas fixas como: água, energia, telefone, transporte. Este montante deve ser superior ao faturamento e ainda proporcionar lucros ao empresário. “Não adianta investir em instalações se não sobra recursos para o estoque inicial, capital de giro e lucros”, observou.

Conhecer o ponto comercial, o local e as imediações também é aconselhável para constatar se o espaço comporta a demanda de produtos.  “É indicado ainda ter pelo menos um conhecimento básico de administração e gestão empresarial, para que o investidor possa interagir nas negociações, pois de nada vai adiantar comprar e vender, é preciso entender de negócio”, destacou Lopes.

Conforme o coordenador, a empresa já estabelecida, com faturamento superior a R$ 60 mil, maior espaço, com funcionários, então vem a segunda fase de registro, que deve ser feito junto ao contador e à Junta Comercial, pois precisa de todo o preenchimento de documentação, que envolvem as exigências do Município,  legislação, local adequado, meio ambiente e custos previstos pela Junta Comercial.

Dentre os segmentos que estão em fase de expansão no Estado está o mercantil de bairro, com açougue, padaria que não precisam de investimento exorbitantes, mas uma quantidade singela e que proporciona um retorno significativo ao empreendedor. 

“Para quem dispõe de um montante expressivo, para investir em negócios, em Roraima, o crescimento na construção civil é relevante, assim como o setor de duas rodas, que envolvem mecânica, borracharia e peças de motos e bicicletas”, enfatizou.


VANTAGENS DE SER UM EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

O empreendedor individual pagará imposto “zero” para o governo federal e terá alíquotas reduzidas para as demais contribuições. O custo da contribuição será de R$ 31,10 (5% sobre o salário mínimo vigente) para a Previdência Social, R$ 1,00 de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) para o Estado e R$ 5,00 de ISS (Imposto sobre Serviços) para o município. 

Para indústria e comércio, a contribuição é de R$ 31,10 mais R$ 1,00 do ICMS. O prestador de serviço pagará R$ 31,10 mais R$ 5,00 do ISS. O custo máximo de formalização para quem realiza atividade mista é de R$ 37,10 por mês.


Motivações para aderir ao sistema

- Com a regularização do negócio e o alvará emitido pela prefeitura, acaba o medo de que  a mercadoria seja confiscada. 

- Feito o registro da empresa, o empreendedor passa a ter CNPJ, possibilitando a abertura de conta em banco e o acesso a crédito com juros mais baratos. 

- Com a empresa legalizada, o empreendedor poderá ter endereço fixo para facilitar a conquista de novos clientes. 

- E também segurança jurídica do que já foi conquistado, pois qualquer alteração terá que passar pelo Congresso Nacional. Nenhuma prefeitura ou governo do Estado, câmara de vereadores ou assembléia legislativa tem poder para alterar a Lei.


Quais os benefícios da formalização

- Formalização simplificada, rápida, gratuita e feita pela internet; 
 
- Obtenção de número no CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica;  

- Acesso a produtos e serviços bancários como pessoa jurídica, incluindo crédito com taxas diferenciadas;  

- Apoio técnico do SEBRAE;

- Segurança para desenvolver sua atividade, pois as regras só podem ser alteradas pelo Congresso Nacional; 
 
- Cobertura da Previdência Social para o Empreendedor Individual e para a sua família;  

- Possibilidade de negociação de preços e condições nas compras de mercadorias para revenda, com prazo junto aos atacadistas e melhor margem de lucro; 
 
- Emissão de nota fiscal para venda para outras empresas ou para o governo; 
 
- Dispensa da formalidade de escrituração fiscal e contábil;  

- Desempenho de atividade de forma legal.


Onde se formalizar

O processo de formalização é gratuito, simples e feito exclusivamente pela internet. Basta acessar, o Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br), informar os dados pessoais, imprimir o documento que será gerado e levá-lo assinado à Junta Comercial com cópia da identidade e do CPF. O canais telefônicos de informação sobre o empreendedor individual são por meio do Sebrae (0800 5700800) ou pela Central 135 da Previdência Social. 

.: Publicidades :.













 
 
Copyrigth © 2008 - Folha de Boa Vista - Todos os Direitos Reservados