Boa Vista Quinta-feira, 17 de abril de 2014
Links e Serviços
Colunas
Serviços
WebMail
 





Compartilhar


    22/03/2011 09h32

Prato típico indígena, damurida cai no gosto popular


   


Foto:  Foto: Jorge Macedo

Damurida é um prato feito pelos indígena a base de peixe cozido com muita pimenta


NEIDIANA OLIVEIRA
neidiana@folhabv.com.br


A comida típica marca a cultura dos povos. Aqui, no Estado, a tradicional damurida, que tem como principais ingredientes o peixe e a pimenta, representa a história do povo indígena na região.


Antes restrita aos indígenas e regionalistas, esse prato típico deixou de ser uma curiosidade de turistas para se tornar um alimento servido em família ou encontro de amigos. O cantor regionalista, por exemplo, serve a damurida em seus shows como uma marca registrada de sua apresentação.


Devido à proximidade de várias regiões em Roraima, algumas pessoas acrescentam os temperos típicos do prato. Para os representantes indígenas, essa mudança provoca a descaracterização da identidade dos índios. Para outros, apenas enriquece.


A secretária do Departamento de Desenvolvimento Social Indígena (DDSI), Quênia Mota, disse que a priorização da cultura é essencial e que a mudança nos temperos é uma forma de alterar a tradição. “Aos poucos estão esquecendo os costumes, mas isso se dá devido ao acesso à civilização”, declarou.


Quênia explicou como surgiu o prato típico. Antigamente os indígenas pegavam a carne de caça ou peixe “moquinhavam”, que na língua indígena significa assar. Essa carne passava vários dias estocada e gradativamente ia sendo preparada conforme a necessidade de se alimentar.

“Eles pegavam a carne assada e cozinhavam junto com o tucupi, sal, pimenta e a folha da pimenta. Daí nasceu a famosa damurida, tradicionalmente preparada na panela de barro”, esclareceu.


O prato representa a identidade do povo indígena, mesmo sendo preparado de diversas maneiras, conforme explicou o coordenador do Conselho Indígena de Roraima (CIR), Mário Nicácio, lembrando que cada comunidade indígena possui seu jeito particular de preparar o prato.


“Não tem um jeito certo ou determinado de fazer a damurida. O wapichana tem o seu modo de preparo, o macuxi tem outro e assim por diante. O que deve ser mantido é o tradicionalismo do nome, o sabor intenso da pimenta e a história de um povo”, comentou Nicácio.


O cantor e compositor Neuber Uchoa afirmou ser um apreciador do prato e que nos finais de semana em sua casa, no lugar da feijoada, eles oferecem aos amigos a damurida.


“É a verdadeira comida de índio, pois se fundamenta na caldeirada e no cozidão, sendo estes os principais pratos da região Norte. O sabor apimentado faz a diferença, mas acredito que cada um deve adequar os ingredientes conforme o gosto”, destacou o cantor.


Neuber acrescentou que a retirada ou acréscimo de temperos na comida é apenas uma adequação aos mais variados gostos. “Roraima possui um pouco de cada Estado. Aqui tem gaúcho, nordestino, paraense e outros, formando um povo heterogêneo. Então cabe a cada um adaptar o prato de acordo com a sua região”, disse.


Apesar de ser constituído por temperos habituais, a damurida é preparada somente pelos indígenas e pelos apreciadores da comida, os quais conhecem a simplicidade de fazer um prato especial à base de muita pimenta.


“Quem nunca experimentou precisa tomar cuidado para não se queimar, já que o que se trata de uma comida tão quente quanto o clima de Roraima”, revelou Neuber Uchoa.

O cantor comentou que foi por meio do grupo Roraimeira que a comida foi mencionada pela primeira vez no Estado. “Há 27 anos citamos em nossas canções a damurida, que passou de uma simples alimentação a prato popular”, frisou.

Hoje essa comida típica está entre as mais requisitadas entre os turistas que, apesar dos temperos regionais, agrada os mais variados gostos. Em alguns shows regionais o prato também é servido ao público.

 

Saiba como preparar a damurida


Ingredientes:


- Peixe ou carne assada na brasa;
- Folha de pimenta malagueta;
- Pimenta jiquitaia (pimenta ardosa);
- Goma de tapioca;
- Sal a gosto.


Modo de preparo:


Cozinhe o peixe/carne previamente assado com as folhas da pimenta malagueta, a pimenta jiquitaia em abundância e o sal. Para engrossar o caldo, utilize um pouco de goma de tapioca. Cozinhe até a carne/peixe ficar bem mole.
O prato pode ser servido com pirão de farinha de tapioca e/ou arroz branco. Os índios costumam a comer com beiju (massa assada feita de farinha).


 

Atenção! Lembre-se que os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal


COMENTÁRIOS
Nome:   
16222-Hilton Monteiro Cristovão                          Data: 23:15:31 - 16/11/2013
Estive em Boa Vista no fim de outubro de 2013, comi damurida no Bar Meu Cantinho Histórico, fica em frente da Orla Taumanam, numa esquina praticamente ao lado da histórica igreja Matriz. Gostei muito. Muito apimentada, mas saborosa. Abs Hilton Vitória - ES


COMENTÁRIOS
Nome:   
4279-LELIO FURTADO FERREIRA                          Data: 09:29:45 - 23/03/2011
É por essas e outras coisas que tenho orgulho de ter vivido tantos anos nesse maravilhoso Estado que é Roraima e de ter um filho aí nascido. Parabéns à Folha de Boa Vista pela divulgação das boas coisas Macuxis. Sábado vindouro receberei amigos aqui de Ilhéus e vou preparar a Damurida.

1
.: Publicidades :.













 
 
Copyrigth © 2008 - Folha de Boa Vista - Todos os Direitos Reservados