Por Parabólica
Em 27/12/2017

Bom dia,

É claro, nós torcemos para que os leitores e as leitoras tenham desfrutado de um Natal repleto de alegria, e que todos tenham aproveitado da oportunidade para cultuar o espírito de fraternidade e solidariedade pelos próximos 365 dias, até o próximo período natalino. Mesmo que seja este o espírito que cerca todo final de ano, aqui na Parabólica, nós gostamos de fustigar as pessoas para que também o aproveitem para refletir sobre o nosso viver nesta terra roraimense.

E não custa tocar num assunto, que incomoda muita gente por aqui, mas que afeta um número muito maior dos que escolheram Roraima para, verdadeiramente, morarem e criar os filhos, com todas as vantagens e dificuldades, gozadas e enfrentadas pelos homens, mulheres, jovens e crianças que almejam uma vida melhor neste rincão pátrio. E estamos falando especificamente que é preciso sepultar de vez essa ideia, e conduta de muitos que daqui fazem uma espécie de acampamento onde se ganha dinheiro para ser usufruído e investido em outros lugares e cidades, onde essa gente quer, decididamente, fazer a moradia permanente.

Alguns escondem essa intenção com discurso de que amam Roraima, mas suas práticas mostram o contrário. Essa gente, praticamente, deixa Boa Vista esvaziada a cada final de ano, e começo do próximo, porque fazem romaria em direção aos lugares que amam de verdade. Fazem investimentos nestes lugares, levando emprego que poderiam ficar aqui para beneficiar a esmagadora maioria que realmente mora e vive em Roraima. Não precisa explicitar que estamos falando exatamente de uma elite que recebe os melhores salários do Estado, e que transformam Roraima num dos estados brasileiros de maior concentração de renda.

RECESSO
E muitos empresários que trabalham até o último dia útil do ano, afinal, as empresas pagam quase três salários num período de um mês (salário de novembro, dezembro e 13º salário), estão enfrentado dias complicados quando procuram funcionários de algumas repartições federais. Muitos desses funcionários “passam” apenas uma temporada por aqui e concentram férias com recesso esvaziando sobremaneira essas repartições. Conseguir, por exemplo, certidões negativas, de qualquer natureza é praticamente impossível. Não existem servidores especializados para fazer o levantamento.

DISCUSSÃO
Em entrevista concedida ao programa Agenda da Semana, da Rádio Folha, no último domingo (24.12), o relator da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2017, deputado estadual Jânio Xingu, disse que para ontem, terça-feira (26.12), estava prevista uma reunião com os representantes de todos os poderes e órgãos do Estado, para uma reunião final sobre o teto de cada um para o orçamento de 2018. Xingu adiantou que todos querem aumento superior a 4,5%, teto aprovado pela Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), mas que o “cobertor’-as receitas públicas- é muito curto e não dá para abrigar todos os pedidos. Ele sinalizou para o cumprimento do teto aprovado pela LDO.

ADIANTADO
Se os demais poderes do Estado dispõem de gordura para cortar nesta época de orçamento curto, o mesmo não se pode dizer do Poder Executivo do Estado. Estimativas de técnicos ouvidos pela Parabólica indicam que as despesas inscritas como Restos a Pagar de orçamento de 2017, para serem liquidadas pelo orçamento de 2018, podem chegar à bagatela de R$ 400 milhões. Como o próximo ano é o último da atual gestão - mesmo que a governadora seja reeleita-, essa dívida tem de ser paga até o último dia do próximo ano (31.12.2018), sob o risco de cometimento do crime de improbidade, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Na prática, o governo já gastou antecipadamente, mais de 15% da grana disponível para o próximo ano.

CANDIDATO
Em entrevista à Rádio Folha, no último domingo (24.12), o empresário Antônio Denarium deixou bem claro sua intenção de concorrer ao governo estadual nas eleições do próximo ano. Disse que alguns de seus colegas têm discutido a necessidade da classe produtora se mobilizar para oferecer alternativas aos nomes tradicionais dos políticos, que dominam a cena eleitoral local desde que o Estado foi criado em 1988. Filiado ao Democratas, Denarium disse que seu nome vem sendo lembrado, e que se o movimento criar substância política vai submeter seu nome, mesmo que tenha que mudar de sigla partidária.

MUDAR
Quem também deve anunciar proximamente a mudança de partido é o deputado estadual Jânio Xingu (PSL). Ele foi contatado pelo presidente nacional da sigla, o empresário pernambucano, Luciano Bivar, sobre a possibilidade de uma eventual aliança com o notório senador Romero Jucá (PMDB) para 2018. Xingu respondeu que essa opção é absolutamente nula, e para evitar qualquer rasteira partidária vai mudar de sigla. Ele está em conversação com alguns partidos, entre os quais o PDT, da senadora Ângela Portela, e o PSB, do ex-prefeito de Boa Vista, Iradilson Sampaio. Xingu leva consigo dois prefeitos (Cantá e Caroebe) e oito vereadores.

SEM FOLGA
Quem passou ontem, pela manhã, na frente da Superintendência da Polícia Federal em Roraima (Avenida Brasil) viu, mais uma vez, centenas de venezuelanos e de venezuelanas tentando regularizar sua estadia no Brasil, especialmente em Roraima. Nem as festas de final de ano, conseguiram convencer esta pobre gente a ficar na terra de Nicolás Maduro, que mandou expulsar da Venezuela o embaixador brasileiro. E o ano termina com o Governo Federal brasileiro fazendo de conta que os venezuelanos estão invadindo o Japão. Quanta irresponsabilidade!

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica