Por Parabólica
Em 26/02/2018

Bom dia,

Vários governos de países, entre os quais o dos Estados Unidos da América (EUA), analisam a possibilidade de ajudar o governo brasileiro a enfrentar o problema da migração de venezuelanos para o Brasil, especialmente para Roraima. Esses governos estrangeiros, talvez em função da corrupção endêmica que assola o país, têm mandado para o estado seus próprios funcionários para fazer um levantamento in loco da real situação dos migrantes, à luz dos trabalhos de assistência até agora desenvolvidos pelos três níveis do governo brasileiro. De uma coisa esses governos estrangeiros estão convencidos: toda a ajuda, seja através do envio de alimentos e outros bens; ou mesmo com dinheiro será feita através da Organização das Nações Unidas (ONU).

Na opinião da maioria desses representantes de governos estrangeiros, apesar da decretação do estado de emergência social, e da criação de um comitê para acompanhar essa emergência, o governo brasileiro está longe de estabelecer um plano de trabalho adequado para o enfrentamento da grave situação dos venezuelanos que tiveram de sair de seu país por conta da desastrosa administração e da política ditatorial de Nicolás Maduro. Esses observadores internacionais querem ações concretas e, que estejam a altura dos problemas, dentro de uma perspectiva de que a situação interna da Venezuela não apresenta indicadores quanto à possibilidade de melhora. Ao contrário, as coisas tendem a piorar na República Bolivariana.

De fato, a primeira coisa que as autoridades brasileiras têm de considerar na avaliação dos problemas trazidos pela migração venezuelana para Roraima é de que ela não é circunstancial, e muito menos tende a ser tão passageira, como por exemplo, a emergência que se abate sobre a população vítima de uma enchente, como tantas em nosso país, cuja tragédia começa a passar quando as águas abaixam. Ao contrário, a situação dos migrantes venezuelanos vai perdurar por vários meses, talvez anos, e isso faz a diferença. É preciso, dizemos mais uma vez, que a solução seja de, pelo menos, médio prazo.

DECRETO
Depois de passar quase um ano enrolando para não conceder a Anuência Prévia, através do Conselho de Defesa Nacional (CDN), para que o Instituto de Terras e Colonização (ITERAIMA) pudesse entregar Títulos Definitivos para milhares de produtores rurais, especialmente para pequenos proprietários, eis que o Palácio do Planalto anuncia ter encontrado uma saída para resolver o imbróglio. Depois da vinda do presidente Michel Temer (PMDB) a Roraima, o Gabinete Civil da Presidência da República diz que a saída é a edição de um novo Decreto Presidencial regulamentando a doação das terras para Roraima, decisão, aliás, feita em 1988, quando da promulgação da atual Constituição Federal. É mole?

INACEITÁVEL
Pois não é que o Palácio do Planalto tem uma caixa inteira de maldade para prejudicar o atual governo de Roraima. A última dessas maldades veio através de um Decreto assinado por Michel Temer, que transfere para a empresa privada, que vai ganhar o leilão para comprar a Boa Vista Energia, a responsabilidade pelo pagamento ao governo do estado, do imenso patrimônio da Centrais Energéticas de Roraima (CER), que vem sendo usado gratuitamente pelo governo federal há quase dois anos. É claro, isso é um expediente para que o governo Suely Campos (PP) não receba algo inicialmente previsto em mais de R$ 300 milhões, exatamente quando o estado atravessa séria crise orçamentária/financeira.

VAI RECORRER
A governadora Suely Campos recebeu a notícia dessa nova maldade do Palácio do Planalto contra o estado de Roraima durante sua última visita a Brasília. É claro, lá mesmo ela disse a Temer que não concorda sob qualquer hipótese com mais uma tentativa politiqueira de prejudicar o estado, através de boicote a seu governo. Já em Boa Vista, a governadora chamou os advogados da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e determinou a elaboração, o mais rápido possível, de um recurso judicial para anular esse Decreto, inaceitável para a população de Roraima, vítima permanente de articulações politiqueiras para tentar beneficiar correligionários locais.

CRÍTICA
O senador Telmário Mota (PTB) publicou vídeo neste domingo criticando a decretação do estado de emergência da Prefeitura de Boa Vista, divulgado no finalzinho da semana, por conta da crise migratória, e disse que vai, pessoalmente, fiscalizar a utilização de recursos sem o devido processo licitatório, possível devido à medida oficial. O parlamentar chamou a decretação de "golpe eleitoral".

MARKETING
Assunto dos mais comentados nos bastidores da política local trata da contratação de marketeiros de outros estados para as campanhas majoritárias deste ano. São vários nomes, uns conhecidos e outros não, de profissionais que já circulam nos hotéis de Boa Vista, analisando os cenários e as cifras que serão cobradas para assumir esse que promete ser um dos mais disputados pleitos em Roraima.

MOTOTÁXI 1
Não se sabe ao certo o motivo, mas a palavra Mototáxi causa tensão na equipe do primeiro escalão do Palácio 9 de Julho, e tem sido assunto evitado em entrevistas e pronunciamentos. Fato é que a modalidade do transporte alternativo funciona em nossa capital, embora de maneira irregular, e os interessados devem sim aproveitar o ano eleitoral para pleitear sua regulamentação junto à Câmara Municipal de Boa Vista.

MOTOTÁXI 2
Um projeto de fevereiro do ano passado, de autoria do vereador Manoel Neves (PRB) que trata da criação do transporte individual de passageiros sob o regime de mototáxi, foi retirado de tramitação na Câmara Municipal, com pedido de discussão popular. Como o tema passou a ser alvo de discussões em veículos de comunicação, o mais provável é que volte à pauta no Parlamento Mirim.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica