Por Parabólica
Em 21/11/2017

Bom dia,

Marco Antônio Vila é um dos mais respeitados intelectuais e historiadores brasileiros. Diferente da maioria de nossos acadêmicos que utilizam jargões complicados, difíceis de serem entendidos pelos brasileiros e brasileiras. Ele é um acadêmico que escreve em jornais, aparece na televisão e no rádio dizendo abertamente o que pensa, e tem liberdade ideológica para criticar a direita e a esquerda sem medo de enfrentar o contraditório. Vila, de intelectual com cultura refinada, está se transformando no ativista político da melhor qualidade.

Noutro dia, em palestra realizada para jovens paulistas, o professor Vila concitou a população brasileira a radicalizar o discurso e a conduta se quisermos tirar o país da crise moral e ética que se abate sobre o Brasil. Começou por dizer que ele mesmo não aceita conviver com bandidos, e muito menos conversar com eles sobre os problemas do país. Citou como bandidos notórios políticos abrigados no Palácio do Planalto, nos ministérios, no Poder Judiciário e, especialmente no Congresso Nacional, nas governadorias dos estados, nas Assembleias Legislativas, nas Prefeituras e nas Câmaras de Vereadores brasileiras. Vila diz que essa gente canalha deveria estar na cadeia, conversando com carcereiros.

Será que o ilustre e respeitado historiador tem razão? Pode até ter, mas a grande maioria da população tupiniquim honesta, que um dia o então arcebispo emérito de Olinda e Recife, Dom Helder Câmara chamou de abraãmica continua na inércia cumprindo uma agenda que está longe de priorizar o enfrentamento de nossos problemas reais. É triste ver a agenda nacional ser ditada de fora para dentro, como prova o mundão de brasileiros que foi tomar lições de ambientalismo ensinadas por Organizações Não Governamentais (ONGs) e órgãos internacionais, agora mesmo em Bonn (Alemanha).

APUPOS
Vez por outra, internautas fazem circular nas redes sociais cenas onde notórios políticos acusados de envolvimento na roubalheira nacional são vaiados e apupados. Com relação a políticos locais, as duas últimas mostram populares chamando de ladrão e de picareta um deputado federal – dentro de um avião estacionado para o desembarque dos passageiros – e um senador por ocasião de um desembarque no Aeroporto Internacional de Boa Vista. Ambos ouviram as ofensas em alto e bom tom, quando os populares diziam: “Tu vais para cadeia, vagabundo”.

NORMAL
Felizmente muitos órgãos federais não obedeceram ao feriado dose dupla – foi criado pelo Governo do Estado e também pela Prefeitura de Boa Vista – e funcionaram normalmente. Ufa! Parece que depois de vários feriadões vamos ter pelo menos duas semanas de normalidade e isso alegra quem precisa realmente trabalhar duro para viver, diferentemente dos que têm gordos salários a cada fim de mês, trabalhe ou não.

ROMBO
Conforme a matéria divulgada na Folha, ontem, segunda-feira, a Companhia Energética de Roraima (CERR) já está em ritmo de velório. Vai deixar de existir dentro de alguns meses botando na rua centenas de servidores e deixando um rombo de mais de R$ 800 milhões que serão pagos pelo Tesouro do Estado, com dinheiro que faltará para Saúde, Segurança e Educação públicas. Foram cerca de 50 anos construindo um patrimônio com dinheiro público do Estado e esforço de abnegados funcionários que está sendo jogado no lixo por conta da dissidia, má administração e roubalheira. E o pior, os canalhas que fizeram tudo isso estão milionários e não serão punidos.

DESEQUILÍBRIO
A nova legislação sobre o financiamento de campanha, aprovada sobre a inspiração dos canalhas que dominam o Congresso Nacional, permite que os candidatos ricos possam usar o próprio dinheiro, além do dinheiro público, para financiar suas eleições, dentro do limite fixado. Isso, evidentemente estabelece enorme desequilíbrio entre os candidatos endinheirados e aqueles que são pobres, especialmente os que tentam se apresentar como nova opção aos canalhas que infestam o mundo político nacional. Para tentar evitar esse novo golpe contra a democracia, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) para revogar a bandalheira.

ALIANÇA?
Uma postagem no Facebook, feita pelo próprio deputado Hiran Gonçalves (PP), parece indicar que o parlamentar, que é presidente regional do PP, anda conversando política com seu “grande amigo” José Anchieta Júnior, que é presidente estadual do PSDB. O texto – acompanhado de foto – sugere a possibilidade de uma aliança entre os dois para as próximas eleições. Em tempo: até agora o ex-governador Anchieta Júnior é declarado candidato ao Governo estadual. Como a governadora Suely Campos tem a garantia que será a candidata do PP, os projetos parecem ser excludentes.

ERRATA
Em atenção à nota denominada “BASTIDORES”, publicada no dia 16 de agosto de 2017, a Folha ERROU ao divulgar que o Sr. Renato Amorim teria sido exonerado da presidência da CERR por conduta antiética. Segundo as informações repassadas à editoria, o ex-presidente teria levado para “cortar” a faixa de inauguração de uma subestação no Município do Bonfim o senador Romero Jucá, e não a governadora Suely Campos, uma vez que a obra teria sido realizada pela Seinf. Como esclarecido com documentação repassada ao jornal, ficou claro o erro na informação, pois a obra foi realizada pela Eletrobras, e não pela Seinf. O Sr. Renato Amorim já tinha sua exoneração acordada com o Governo do Estado, em data anterior à inauguração, e o mesmo nem esteve presente na ocasião supracitada, portanto, não cometeu nenhum tipo de conduta antiética. Em conformidade ao acordo no processo judicial de número 0823793-93.2017.8.23.0010 e, no desejo de a Folha sempre trazer a informação correta para o seu leitor, está feita a correção.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica