Por Parabólica
Em 19/01/2018

Bom dia,

A Caixa Econômica Federal (CEF) é o maior banco social do país, e um dos maiores do mundo. Teve seu crescimento turbinado depois que o Governo Federal passou a usá-la como agente repassador dos recursos da União para estados e municípios, dotando-a de instrumentos para fiscalizar a boa aplicação desses recursos. Basta lembrar os diversos programas de saneamento básico espalhados por todo o Brasil, bem como o “Minha Casa, Mina Vida”, o maior programa de habitação social da história do Brasil. A CEF tem mais de 70 mil funcionários espalhados por milhares de agências nos mais longínquos lugares do país.

Evidente que esse empoderamento da Caixa Econômica não passou desapercebido dos canalhas que dominam a política no Brasil, especialmente nos últimos anos desses governos petista/pemedebista. Eles conseguiram aparelhar essa centenária instituição de crédito e penhor, transformando-a numa instituição a serviço de interesses de políticos acostumados a roubar o dinheiro público. Para atender um número maior desses políticos, foram criadas nada menos que doze vice-presidências, hoje entregues a indicados dos chamados partidos da base. Noutro dia, o Ministério Público Federal pediu -e não foi atendido- ao Presidente da República, Michel Temer (PMDB) que todos os doze fossem afastados por suspeita de corrupção.

Depois do avanço de investigações a cargo do Banco Central, Temer aceitou afastar quatro desses vice-presidentes, um dos quais de ligações políticas históricas com os atuais mandachuvas do Palácio do Planalto. Isso não vem de agora, é bom lembrar que o notório Geddel Vieira Lima (PMDB) -aquele mesmo das malas com mais de R$ 50 milhões- foi vice-presidente da Caixa Econômica e está preso por roubalheiras feitas ainda no governo Dilma Rousseff (PT) que como se sabe governou sob a tutela peemedebista. Tudo isso, é uma história que todos sabem. Infelizmente as instituições tupiniquins mostram-se incapazes de corrigir.

AQUI
Essa história de aparelhamento da Caixa Econômica Federal parece ser generalizada. Aqui, é bom lembrar, faz alguns poucos meses, a Polícia Federal fez uma operação de busca e apreensão, e de condução coercitiva, em residências de pessoas familiarmente ligadas ao notório senador Romero Jucá. A acusação é da venda, com a participação da CEF, de um terreno, a preço superfaturado, para construção do conjunto habitacional Vila Jardim, pelos filhos de Jucá. Aliás, na ocasião Jucá falou grosso com o delegado da Polícia Federal, que presidia o inquérito; e com a juíza que mandou expedir os mandados. E parece que a bravata deu resultado, afinal, nunca mais se falou do assunto.

INCÊNDIOS
E a Secretaria de Comunicação Social (Secom) do Governo do Estado distribuiu Nota de Esclarecimento, para toda a imprensa sobre a questão dos incêndios que ocorrem tanto no lavrado, quanto nas matas nesta época de estiagem; e que foi tema abordado pela Parabólica na edição de quarta-feira, dia 17. Depois de dizer que nossa abordagem está equivocada, a Secom faz um relatório do que vem realizando o Corpo de Bombeiros Militar de Roraima (CMBRR) desde o final do ano passado. Não dá para entender quando o governo estadual fala em equívoco da Parabólica, afinal, os números publicados e que sustentam os comentários são verdadeiros. E nem é preciso buscar números, basta andar pelo Estado para ver, que no conjunto os órgãos encarregados de combater os efeitos da estiagem não conseguem a eficácia desejada.

CONJUNTO
É isso mesmo. Quando abordamos a questão da incapacidade do poder público de cumprir sua obrigação de proteger o meio ambiente, é claro que não era a intenção particularizar apenas a atuação do Corpo de Bombeiros, mas de todo o aparato de Estado, que vai desde os órgãos que elaboram -e aprovam- orçamento até os que planejam e executam as atividades de campo. E a grande verdade, e não adianta tentar tapar o sol com peneira, é que as evidências são de que esse aparato tem perdido a guerra contras as queimadas e incêndios.

RÁPIDAS
* O Sindicato dos Urbanitários publicou na edição de ontem, da Folha, nota reclamando da falta de pagamento dos salários de dezembro/2017 dos servidores da Companhia Energética de Roraima (CERR).
* Com a morte do conselheiro Essen Pinheiro Filho, ontem, no hospital da UNIMED, abre uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Já tem muita gente de olho nesta vaga.
* Tem muita gente já em plena campanha eleitoral utilizando meios públicos, o que é imoral.
* Fontes da Parabólica dizem de uma licitação com cartas marcadas para a contratação de aluguel de veículos por um órgão federal. Os veículos já foram até comprados pela empresa que vai ganhar o certame.
* É cada vez mais escassa a possibilidade de votação, ainda neste ano da reforma da Previdência, na Câmara Federal. Quase toda a bancada federal de Roraima é contra a votação agora.
*E os tucanos continuam se bicando. Ontem, no programa ‘Bastidores do Poder’ da Rede Bandeirantes de Rádio -que é retransmitido pela Rádio Folha-, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, que é candidato nas prévias do PSDB, fez críticas ao adversário Geral Alckmin, governador de São Paulo.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica