Por Parabólica
Em 11/01/2017

Bom dia,

Com o sistema penitenciário destroçado, os estados de Roraima e Amazonas foram assunto nos principais telejornais brasileiros, no fim da noite de segunda-feira, e na grande imprensa do país, na manhã desta terça-feira, devido ao envio de agentes da Força Nacional de Segurança para auxiliar na segurança dos presídios, alvos de motins e massacres.

No caso de Roraima, o que poucos jornais frisaram foi que, o governo Temer (PMDB) negou o pedido de socorro enviado pelo Governo de Roraima antes do massacre de 33 presos, no dia 06.  À época, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, chegou a alegar que a prioridade do momento para a Força Nacional, era a preparação para operação de enfrentamento de homicídios e violência doméstica. E ficou por isso mesmo.

Agora todos estão correndo contra o prejuízo, e as autoridades, em Brasília, ligaram a “luz vermelha” nos demais estados onde o crime organizado já avisou que pode agir mediante a matança de rivais. O curioso é que um político local, de alto coturno e com influência no governo Temer, finge que nada disso é com ele. Em sua rede social, nenhuma linha sobre o caos no sistema prisional. Suas postagens parecem ser sobre um lugar cheio de otimismo, esperança e paz.

Mas a realidade é que Roraima tornou-se um lugar sombrio, onde a Justiça manda liberar 160 presos para prisão domiciliar porque a unidade prisional deixou de ser lugar seguro para eles. Ou seja, se em unidade prisional não é mais lugar seguro para presos, imagine aqui fora, para o cidadão de bem, que está atônito com a onda de assaltos e homicídios. Ao pai de família pagador de imposto, só resta perguntar: E, agora, recorrer a quem?

INSEGURANÇA
Apesar da insegurança que se abate sobre o Estado, é inadmissível constatar que uma agência arrecadadora da Companhia de Água e Esgoto de Roraima (Caer), no bairro Pintolândia, não tinha vigilância, nem sequer câmeras de segurança. Sabendo disso, os bandidos foram lá, na segunda-feira, e assaltaram o local na maior facilidade. Foi levado R$20 mil, dinheiro este que será debitado na conta do contribuinte.

BOATARIA
Diante do momento delicado pelo qual o Estado passa devido à insegurança e criminalidade, ainda surgem os “espíritos de porco” que criam grupos de WhatsApp para disseminar notícias falsas sobre ataques de facção criminosas e homicídios, inclusive usando nomes e fotos de pessoas. Embora as autoridades policiais tenham emitido notas desmentindo tais publicações, o estrago já está feito e a “informação” continua circulando diante de uma onda de boataria jamais vista em outros tempos.

ODISSEIA
O que já era esperado está ocorrendo em vários municípios do interior do Estado: os prefeitos que assumiram no dia 1º ainda estão correndo atrás de sumiço de materiais, documentos e mobílias para poder prosseguir com seus serviços administrativos. O caso mais famoso é o do prefeito de Iracema, o delegado Francisco Araújo (PEN), que tem relatado diariamente, em sua página na rede social, sua odisseia em busca de bens desaparecidos, obras inacabadas e recursos desperdiçados.

RESSONÂNCIA
Até aqui, relatar seus passos como se fosse um “reality show” na internet tem dado certo para o prefeito de Iracema, pois ele vem recebendo apoio da opinião pública. Inclusive, uma central de ar-condicionado do seu gabinete foi devolvida depois que o caso do sumiço do aparelho ganhou repercussão.

REPETECO
O cenário se repete em outras cidades. No Município de Uiramutã, o mais isolado do Estado, na região Nordeste de Roraima, a situação virou caso de polícia, onde o novo prefeito, Manuel da Silva Araújo (PP), registrou ocorrência na Polícia Civil sobre desaparecimento de arquivos digitais da prefeitura e também de equipamentos como computadores da Representação em Boa Vista. Há inclusive vídeos mostrando a retirada dos equipamentos.

SEMELHANÇA
No Município do Amajari, a realidade também é muito semelhante. Lá os visitantes estão encontrando a cidade e pontos de turismo entregues ao lixo por falta do serviço de coleta pública. Além disso, quem busca atendimento médico sofre as consequências de um município arrasado. A administração alega que ainda está em busca de equipamentos e veículos para dar continuidade aos serviços. É mole?

SUPRESA 1
Os jornalões paulistas noticiaram com destaque a ação do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que começou a fazer visitas surpresas a órgãos públicos. A finalidade é conhecer as instalações das 32 prefeituras regionais e conversar com servidores sobre as necessidades e problemas das regiões. Sem avisar antecipadamente o local da visita, a surpresa visa evitar que problemas sejam “maquiados”.

SUPRESA 2
Em Roraima, esse tipo de visita era feita pelo então governador Ottomar Pinto, já falecido, nas décadas de 80 e 90. Ele costumava a ir principalmente ao Hospital Geral de Roraima (HGR), onde os servidores passaram a cumprir seus plantões e a realizarem suas obrigações para que não fossem pegos de surpresa. Depois dele, ninguém mais fez isso, um ato simples e que poderia combater o descaso que ocorre em vários setores.

Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!