Por Parabólica
Em 04/12/2017

Bom dia,

Os dados revelados nas várias operações em andamento no Brasil, especialmente aquelas que complementam a principal delas, a Lava Jato, mostram com muita clareza que um grupo de canalhas, composto de parlamentares, empresários e dirigentes públicos, montou uma poderosa e complexa organização criminosa para roubar dinheiro público das empresas estatais (Petrobras e Elétricas federais), além de fundos de pensão poderosos de servidores dessas mesmas, e de outras estatais. Um traço em comum que pode ser verificado em qualquer desses esquemas de corrupção é de que em todos eles, fica claro a participação de três dos maiores partidos políticos brasileiros: o PT, o PMDB e o PP.

Com alguma dificuldade, se alguém decidir investigar o montante de dinheiro desviado pelas diversas quadrilhas, já identificado pelos investigadores, o valor chega a várias dezenas de bilhões de reais, recursos suficientes para fazer deste país, uma terra bem melhor de se morar. De qualquer forma, este é apenas o dano material que esses canalhas têm feito à população brasileira. Existe um prejuízo ainda maior, que é invisível, porém mais duradouro e muito mais difícil de recuperar: eles estão roubando os melhores sonhos e as esperanças dos brasileiros e brasileiras, e isso, pode ser observado com alguma facilidade.

Ontem, durante o programa Agenda da Semana, da Rádio Folha, nada menos que seis ouvintes ligaram para a emissora para dizer que não acreditavam mais que as próximas eleições gerais de 2018 poderiam ser uma oportunidade para que a população pudesse mudar, pelo voto, esse cenário tão devastador da esperança de dia melhores aqui para Roraima. Alguns chegaram a dizer que mesmo que a população elegesse novos parlamentares, eles seriam sugados pela corrupção que é endêmica em nossas instituições. Existe prova maior da falência das nossas instituições?

CREDIBILIDADE
Noutro dia, um professor de economia disse a seus alunos que a Política Monetária no Brasil é hoje mais confiável porque a emissão de moeda pelo Banco Central só pode ser feita depois de autorizada pelo Senado Federal, sendo essa autorização baseada em estudos absolutamente técnicos. Diante da afirmação do professor, alguns alunos questionaram que tipo de credibilidade essa exigência poderia trazer, quando feita pelo Senado. Em resposta lhes foi dito que qualquer das duas casas do Parlamento Nacional (Senado e Câmara Federal) dispõe de técnicos altamente preparados, e que não se poderia julgar o valor das instituições pelos atos dos canalhas que ultimamente tomaram de assalto os seus comandos.

ADJUNTO
As poderosas antenas da Parabólica captaram sinais claros de que estariam havendo uma luta surda para influenciar a decisão da governadora Suely Campos (PP) na nomeação do novo secretário-adjunto da Secretaria de Segurança Pública. Um dos nomes cotados – agente de polícia –, desagrada alguns deputados estaduais da base governista, e também os delegados de polícia, que gostariam de ver continuar a tradição de um deles ocupar o posto. E o pior é que o nome desse agente cotado para o posto surgiu depois que ele comandou uma operação de resgate de máquinas públicas que estariam fazendo serviço numa fazenda particular, tudo na surdina, e sem estourar escândalo.

FELIZES
Esta foi retirada de uma rede de compartilhamento: Haverá um dia em que todos voltaremos a ser felizes. Será o dia em que Rosinha será apenas uma flor; Garotinho apenas uma criança; Genuíno será algo verdadeiro; Serra será apenas um acidente geográfico; Genro apenas o marido da filha; Lula apenas um molusco marinho; Neves apenas um símbolo do inverno; e Cabral será lembrado por descobrir o Brasil. E então não teremos mais nada a Temer. Muito bom, mas nesta lista ainda faltam os nomes de dezenas de canalhas.

POUCO
Em entrevista ontem, domingo, ao programa Agenda da Semana, da Rádio Folha, a diretora do Departamento de Receita, da Secretaria Estadual da Fazenda (SEFAZ), Adilma Lucena, disse que o total de impostos estaduais (ICMS e IPVA) vencidos chega a inimagináveis R$ 700 milhões. Esse valor equivale a cerca de 90% da arrecadação anual desses dois impostos, que são as duas principais fontes de arrecadação própria do estado. Só de impostos atrasados, que se encontram ainda em cobrança administrativa o montante ultrapassa os R$ 100 milhões. O Programa de Refinanciamento (REFIS) dessas dívidas, que já existe desde outubro de 2016, e termina no final deste dezembro, recuperou, até agora, apenas R$ 15 milhões. É muito pouco.

MAIOR
É ainda a diretora de Receita, da Secretaria Estadual da Fazenda, Adilma Lucena quem revela que o maior devedor de ICMS do estado é responsável por uma dívida de R$ 33 milhões. Existem outras grandes dívidas, mas nesse RIFIS poucos grandes devedores procuraram a SEFAZ para regularizar suas vidas tributárias. Quem tem procurado com maior frequência para ter o benefício que o governo estadual está oferecendo são os pequenos devedores.

VOLTANDO
Fontes da Parabólica, bem situadas no Palácio Senador Hélio Campos, dizem que o chefe do Gabinete Civil do governo estadual, deputado estadual licenciado, Oleno Matos (PP), deve retornar à Assembleia Legislativa do Estado (ALE) antes do Natal. Inicialmente este retorno estava previsto para o início de 2018, talvez janeiro, mas Oleno decidiu antecipá-la. Com isto, quem deve deixar a ALE é o ex-governador Flamarion Portela (PDT), que já anunciou várias vezes que não vai concorrer à reeleição.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica