Por Opinião
Em 07/11/2017

Gota serena - Walber Aguiar*

e sempre voltam humildes pro fundo da terra...

Sonhei que estava debaixo das ingaranas. Que estava com o caboco das águas. Uma história meio Lula, em que assombrações surgem do meio da mata e crianças choram em galhos de árvore. Que índios aparecem boiando de repente, depois de atravessar o rio de um só fôlego. Assim sonhei que estava com o caboco Dagmar, conversando sobre o futuro, sobre a vida e a morte, sobre as águas que corriam sob nossos pés.

Ele falava num grande reservatório de água. Não, não era o da CAER, onde aparece aquela gota caindo. Não era o Rio Branco, uma reserva natural. Também não podia ser a minha caixa d’água ou a sua. Era algo lendário, coisa de Lula mesmo.

Contava o caboco que, em sonho lhe fora revelado o lugar das grandes águas. Assim tipo o Reino das Águas Claras, de Monteiro Lobato. Uma revelação feita somente aos defensores da natureza, àqueles que amavam a fauna, a flora, os igarapés e buritizais. Por isso fora confiado ao caboco aquele sonho, aquela revelação.

Durante o sonho, um anjo, desses que vivem deitados à sombra, apontou para uma grande serra, um lugar encantado e misterioso. Ali estava o depósito de água mais rico e denso do mundo, e que o caboco das águas seria o encarregado de guardar esse segredo até o dia em que as águas começassem a escassear de sobre a terra.

Depois falamos sobre a preciosidade que ali existia. Pedras preciosas, ouro, diamantes e o maior bem de todos: a água. Por isso o caboco vivia preocupado com a economia, com o desperdício, com o fato de muitos não terem consciência na hora de tomar um banho ou escovar os dentes com a torneira aberta. Daí o caboco e suas campanhas no decorrer de vinte anos em que trabalhou na Companhia de Águas e Esgotos de Roraima.

Ali estávamos nós. Eu, Dagmar e as ingaranas. De repente, assim do nada, seus olhos foram ficando marejados. E o volume de lágrimas foi aumentando, aumentando, até virar um enorme igarapé. O caboco das águas sumira de repente do meu sonho. A mensagem última foi o amor às águas, o desejo de mergulhar, de economizar, de viver submerso.

*Advogado, poeta, historiador, professor de filosofia e membro da Academia Roraimense de Letras. wd.aguiar@gmail.com tel. 99144-9150


Quanto equívoco! - Marlene de Andrade*

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:23)

Jesus curou a sogra de Pedro, então ele era casado e por isso não foi o 1º papa. Se Pedro tivesse sido o 1º papa e se casou, por que o papa, cardeais, arcebispos, bispos e padres não se casam? Como se vê tem alguma coisa errada nessa história.

O 1º papa passou a existir setecentos anos depois que Pedro morreu. Então o apóstolo Pedro não foi a pedra angular por cima da qual a Igreja de Cristo foi edificada, pois essa Pedra é o próprio Jesus e afirmar o contrário é abominável.

Portanto, Pedro não era papa e sim presbítero, vejamos essa passagem bíblica: “Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero...” (1ª Pedro 5:1). Como se pode perceber, Pedro não se considerava acima dos demais presbíteros, pois ele sempre dizia que era servo e apóstolo de Cristo. Ele também não aceitava que ninguém se ajoelhasse diante dele e ele não dava as instruções, mas ao contrário as recebia de outros apóstolos, vejamos também esta passagem bíblica: “Os apóstolos em Jerusalém, ouvindo que Samaria havia aceitado a Palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João.” (Atos 8:14).

Portanto, Pedro não era líder e recebia instruções de outros apóstolos. Outro fato interessante é que o 1º concílio da Igreja não foi dirigido por Pedro e sim por Tiago. Como entender tanto equívoco? É que os católicos eram proibidos de ler a Bíblia e as missas, em qualquer país, eram rezadas em latim e foi por tal fato que o ex-padre Martinho Lutero protestou contra as doutrinas do romanismo há 500 anos, fato que o levou a realizar a reforma protestante.

Certa vez o apóstolo Paulo admoestou o apóstolo Pedro e isso ocorreu em Antioquia e não em Roma. Será que um papa poderia ser repreendido por um apóstolo? E o mais equivocado de tudo isso é que Pedro jamais esteve na Itália, então como é que ele foi o 1º papa, se os papas residem no Vaticano, o qual se encontra nesse país.

Paulo foi preso em Roma porque havia se tornado cristão e de lá escreveu a Carta aos Romanos e nessa carta ele não menciona o nome de Pedro sequer uma vez. Ora, se Pedro era o papa, Paulo, o qual estava preso em Roma teria que ter mencionado o nome dele nessa carta e tal raciocínio é mais do que óbvio.

Alguns defendem a tese de que Jesus afirmou ser Pedro a pedra fundamental da Igreja, porém não foi isso que Ele disse, pois Jesus explicou a Pedro que ele era petrus, palavra que significa pedregulho. Jesus, voltando o dedo para si mesmo declarou ser Ele a Petra, ou seja, a Pedra fundamental da Sua Igreja.

*Médica Especialista em Medicina do Trabalho/ANAMT
CRM/RR 339 – RQE 339


É só querer - Afonso Rodrigues de Oliveira*

“Qualquer coisa na vida vale a pena, se a alma não é pequena.” (Fernando Pessoa)

Pessoas felizes não sofrem. Mesmo porque a felicidade está relacionada à racionalidade. E quando agimos com racionalidade não tem como não ser feliz. Simples pra dedéu. O importante é que saibamos quem somos para podermos nos conhecer. E quando nos conhecemos como seres de origem racional, caminhamos rumo ao nosso regresso. Já sabemos, por causa da nossa evolução, que somos responsáveis por nós mesmos. Cada um por si. Mas considerando o outro. Porque somos todos da mesma origem e, portanto, iguais.

Tudo que acontece em nossas vidas faz parte da vida. E se é assim, por que se aborrecer com quem nos parece desigual? Os erros são tão importantes, ou mais, quanto os acertos. Não se aflija quando seu filhinho cair, quando ele estiver começando a caminhar. É caindo que ele vai aprender a se levantar. O fracassado não é o que cai, mas o que não sabe se levantar. Não perca seu tempo aborrecendo-se com coisas desagradáveis. Nada mais prejudicial ao desenvolvimento racional do que a futilidade.

É no seu comportamento que você vai mostrar quem realmente você é. E o bom comportamento não é insignificância. Sua felicidade é externada no seu sorriso, no seu falar e, sobretudo, na sua boa postura no estar. Não importa onde você está; o que importa é como você está. Sua elegância não está no seu vestido caro e bonito, mas em você. E só somos elegantes quando sabemos que somos todos iguais nas diferenças. E não seremos iguais se não respeitarmos um ao outro. E o respeito pode, e deve ser conquistado. E isso não requer esforço nenhum.

Você não é importante com o que faz, mas com o seu modo de fazer. Sua função pode fazer de você uma pessoa importante independentemente da simplicidade do que você faz. Viva sua vida. Não permita que o tempo passe sem que você tenha vivido intensamente. E viver intensamente é ser feliz a cada momento da vida. A vida é um palco e nós somos os atores. E você sabe que “ninguém, além de você mesmo, tem o poder de fazer você se sentir feliz ou infeliz, se você não estiver a fim”.

Não importa nem interessa o que aconteceu de mau com você, ontem. O que importa é como você vai viver o dia de hoje, preparando-se para o dia de amanhã. Seu futuro é amanhã. Então, prepare-se para ele. E só você pode fazer isso por você. Olhe-se no seu espelho interior e veja-se como você realmente quer ser. O que faz de você uma pessoa poderosa, capaz de construir seu próprio futuro. Então vá em frente. Só você pode fazer isso por você, com sua alma grande, e ninguém mais. Pense nisso.

*Articulista
afonso_rr@hotmail.com
99121-1460

Opinião
jesse@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao