Por Francisco Cândido
Em 31/05/2017

FRANCISCO PAIVA
(Chico Cafuti)
Gente da nossa Gente – personagem VIVO da nossa História

Podemos iniciar esta história com o título: Os “Cafuti” em Roraima – a saga de uma família nordestina. O apelido “Cafuti”, dado a família, originou-se com o patriarca Francisco Arruda de Lima (Chico Arruda), casado com Hefigência Conceição de Lima, desde quando ele chegou à Boa Vista em 1901.

O termo “Cafuti” é uma expressão nordestina para designar o “piolho” de galinha (Dermanyssus gallinae, ácaro-de-galinha), que não deixa a ave sossegada, de tanto coçar, o que faz com que ela não fique parada. E, daí, por analogia, como o Chico Arruda era muito “agitado”, brincava com todos, e não deixava ninguém sossegado, passaram a chama-lo de Chico “Cafuti”.

A Família do Chico Cafuti, hoje com mais de 700 pessoas na descendência, é uma nobre família pioneira, trabalhadora, e que participa ativamente do desenvolvimento de Roraima.

A presença da Família “Cafuti” em Roraima deveu-se à grande seca ocorrida no Estado do Ceará em 1898, o que motivou a saída de muitas famílias para outros estados. O casal cearense Firmino Arruda de Lima e Conceição dos Santos, com o filho Francisco Arruda de Lima (o Chico “Cafuti”) saiu do Município de Canindé, no Ceará, e foi para Belém do Pará, onde o Firmino conheceu o major (e, fazendeiro) Alfredo Venâncio de Souza Cruz, que morava em Boa Vista.  E, este convidou o jovem Francisco Arruda de Lima para vir para Boa Vista. E, com eles, veio também a Hefigênia Francisca da Conceição de Lima (nascida no dia 21/06/1890 em Macau, Rio Grande do Norte, filha de José Pedro da Silva e Francisca Maria da Conceição). A chegada de todos em Boa Vista aconteceu no final de 1901.

Depois de anos de trabalho para o major Alfredo Cruz e depois para o coronel Pinto (Manoel Pereira Pinto), o Francisco Arruda de Lima fundou suas próprias Fazendas (“Juraci” e “Veado”), nas regiões dos rios Tacutu e Uraricoera e, em 1908 casou-se com a Hefigênia Conceição, que tinha vindo com ele para Boa Vista na mesma viagem.

O casal Francisco Arruda de Lima (Chico Cafuti) e Hefigênia teve os filhos: José Arruda de Lima (Dedé); 2)-Francisca América França de Souza (Judith), 3)-João Arruda de Lima; 4)-Joaquina Arruda de Lima (Quininha), casada em primeiras núpcias com Tancredo Apolinário de Paiva e, em segunda, com Inácio Victorino da Fonseca; 5)-Maria Arruda Lopes da Silva; 6)-Undith de Lima Pereira (Dica), casada com Afonso dos Santos Pereira (pais do radialista Lando Santos); e 7)-Maria Izaura da Silva, casada com Laurentino Mesquita Pimentel.

O patriarca Francisco Arruda de Lima (o “Chico Cafuti”) nasceu em 31/01/1887 e faleceu no dia 12/12/1933. E, a matriarca Hefigênia Francisca da Conceição de Lima, nasceu em 21/06/1890 e faleceu em 21/07/1971.
A família de Chico Cafuti/Efigênia se entrelaçou com outras através de casamentos com as famílias: Paiva, Fonseca, Lopes da Silva, Pereira, Souza, Lima, Cardoso, Pimentel, e com tantas outras. Deles descendem: 41 netos, 126 bisnetos, 89 trinetos, 36 tataranetos, 25 pentanetos, 09 hexanetos e 05 heptanetos.

O apelido “Cafuti” ficou como herança na identificação da família que neste ano de 2017 completa 116 anos em Roraima.

Hoje, o personagem desta reportagem é o neto do Chico Cafuti que, por ter o nome de Francisco (Chico) Paiva, passou a ser chamado também de “Chico Cafuti”. Ele é filho de Joaquina Arruda de Lima (Quininha) do seu primeiro casamento com Tancredo Apolinário de Paiva.

O Francisco Paiva nasceu em Boa Vista no dia 03/12/1934. Como eram 10 irmãos e todos tinham que ajudar a mãe, o Chico Paiva começou a trabalha ainda muito jovem. Iniciou a serviço do Governador Ene Garcez dos Reis, no grupo de meninos que realizavam diversos serviços na cidade, como limpeza de ruas e de quintais das residências, além de outras atividades. Depois, trabalhou na Olaria do Chico Terêncio, e foi ajudante de caminhão do Zé Mambira.

O Chico Paiva (Chico Cafuti) foi durante muitos anos “Garçom” no Iate Clube de Boa Vista. Também trabalhou como Secretário de expediente paroquial na Prelazia de Roraima e, anos mais tarde, foi Regente de Ensino e Inspetor de Disciplina de Alunos, oportunidade para se tornar funcionário público federal (hoje aposentado).

A Família morava próxima à Praça da Bandeira e depois se mudou para o Bairro de Aparecida, que na época tinha vários nomes: Mirandinha, Sorriso, entre outros. O Chico Paiva juntou-se aos moradores: Gercino Nascimento e Francisco Nazareno, e foram até o prefeito Francisco Zangerolame para que este ajudasse a comunidade a ter uma associação e angariar benefícios para os moradores. O Chico Paiva, sabendo que a esposa do Prefeito se chamava “Maria Aparecida”, sugeriu que o local passasse a se chamar: “Bairro Nossa Senhora Aparecida”, o que foi aceito, alegremente, pelo prefeito, que passou a doar materiais de construção, abrir ruas e outros benefícios para a comunidade. Zangerolame administrou Boa Vista no período de 1967 a 1969.

Chico Paiva foi o primeiro presidente da Associação dos Moradores do Bairro de Aparecida, e a ele se deve a expansão do bairro, a melhoria das ruas, escola, entre outros benefícios, lembrados até hoje pelos antigos moradores. Aquela Praça que existe hoje no centro do Bairro Aparecida foi por muitos anos um grande campo de futebol. E, ali o Chico Paiva com seus irmãos: Walteir, Pipira (Wilson) e João, foram os grandes jogadores à época.

Chico Paiva (o Chico Cafuti) foi casado com a senhora Maria dos Anjos Macedo Paiva. O casal teve 07 filhos: Amujacir, Tênisson, Maria Zuíla, Francisco, Maria Luiza, Keth e Jamilson (todos com sobrenome: “Macedo Paiva”). Deles descendem 10 netos e 3 bisnetos.

O Chico Cafuti reside hoje à Rua Lindolfo Bernardo Coutinho, no Bairro Asa Branca.

Chico "Cafuti" e Hefigênia de Lima

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala