Por Francisco Cândido
Em 10/01/2018

 Personagem VIVA da nossa História 
FRANCISCA BALTAZAR DA SILVA (dona DICA – 101 ANOS de idade)

Passem-se dias, horas, meses, anos / amadureçam as ilusões da vida / prossiga ela sempre dividida/ entre compensações e desenganos //. Queiram-se antes venturasque desventuras / à medida que a têmpora embranquece / e,fica tenra a fibra que era dura / Que grande é este amor de criatura / Que vê envelhecer e não envelhece.

Francisca Baltazar da Silva (a dona Dica) nasceu na cidade de Sena Madureira, no Estado do Acre, em 06 de janeiro de 1917. Nestes primeiros dias deste ano de 2018, completou exatos 101 anos de idade. Quanta felicidade, quantos anos de vida, quanta experiência aprendida e o muito que pode ensinar.

A dona Dica é filha de Antônio Baltazar Queiroz e Maria Dantas Queiroz. A família trabalhava na agricultura de subsistência até se mudar para a cidade de Óbidos, no Estado do Pará, onde se deu o casamento de Francisca (Dica) com Pedro Carneiro da Silva, e tiveram uma filha: Ivanilde Baltazar da Silva.

Em 1942, após ficar viúva, Dica deixou o Pará e foi para Manaus, onde passou a trabalhar no Hospital Beneficente Português do Amazonas (Hospital Beneficente Portuguesa), auxiliando as freiras católicas daquele Hospital.

Em 1949, atendendo um convite de sua irmã Jandira Queiroz Sampaio, que já morava em Boa Vista, a dona Dica veio e fixou residência na Avenida Castelo Branco, no BairroCalungá, e passou a trabalhar como servidora pública no antigo Grupo Escolar Afrânio Peixoto. Foram muitos anos de bons serviços prestados à educação em Roraima.

Em 1951, Dica casou-se com o senhor Francisco Rodrigues Lima, com quem teve cinco filhas: Marlene de Lima Guedes, Marilene Lima dos Santos, Mariene Lima Paracat, Mazirene Lima Guedes e Michele Baltazar da Silva.

Em 1985 faleceu o marido Francisco Rodrigues, e em 1989 a dona Dica foi morar em Belém do Pará, onde permaneceu até 1996, quando resolveu retornar à Boa Vista, onde está até hoje cercada de carinho dos familiares.

No ano de 2012, aos 95 anos de idade, dona Dica realizou um sonho acalentado há tempos: escrever o seu Livro de Memórias. Nele, cada página é uma história, é um conto, é um momento de vida, é um aprendizado e ao mesmo tempo um ensinamento.

Católica praticante, a dona Dica frequenta assiduamente a missa na Igreja de São Sebastião. Ela também é devota de São Judas Tadeu, a quem sempre dirige suas preces.

Quem a vê, talvez imagine que ela tenha vida sedentária, sem muitos afazeres. Pelo contrário, gosta de passear (acompanhada de um familiar) pela cidade, além de praticar hidroginástica e fisioterapia. Como eu disse antes, no início deste texto: “Que grande é este amor de criatura / Que vê envelhecer e não envelhece”.

Hoje, vive a contemplar a sua grande família. As filhas lhes deram netos, bisnetos e até tataranetos.

Ivanilde – (cinco filhos, dezesseis netos, e sete bisnetos).

Marlene – (três filhas e quatro netos).

Mariene – (dois filhos e quatro netos).

Marilene – (dois filhos).

Mazirene – (três filhos e três netos).

Recentemente, no dia 06 de janeiro deste ano de 2018, a dona Dica completou 101 anos de idade. E, ela em festa reuniu-se com amigos, amigas, familiares e até teve a grata satisfação de receber a sua única sobrinha, Lila, que veio de outro Estado para abraça-la e cantar o “Parabénsprá você”. Nós também lhe desejamos Saúde e Vida mais longa ainda.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!