Por Folha Web
Em 20/12/2017

 ESPAÇO DO LEITOR 

PEDINTES I
O leitor Manuel Cordeiro Lima e Vaz comentou a reportagem ‘Pedintes não podem ser expulsos de calçadas de lojas e restaurantes’. “Nossos desocupados e desafortunados, nossos imigrantes. Isto me faz lembrar uma música que o nosso saudoso Luiz Gonzaga cantava com maestria. Era algo assim: ‘Mas doutor uma esmola, para um homem que é são ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão’. Lembro que o meu primeiro desafio de buscar emprego e ser útil à sociedade foi de minha querida mãe. No momento foi chato, mistura de preguiça, vergonha e humilhação etc. Depois quando conseguimos foi muito prazeroso e honrado. Trabalho dá dignidade e honra”, disse.

PEDINTES II
Sobre a mesma reportagem, o leitor identificado apenas por Hunter fez o seguinte comentário: “Tudo bem, não tem problema fora do estabelecimento, afinal as ruas e calçadas são instrumentos públicos, mas dentro já é demais! E dentro das agências bancárias, isso é irritante”.

RESPOSTA
Em resposta à nota “PSIQUIÁTRICO”, publicada na coluna Espaço do Leitor dessa terça-feira, 19, na qual um leitor sugere a criação de um hospital psiquiátrico, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) esclareceu que combate a ideia de isolamento da pessoa com sofrimento mental. “A gestão defende que, como todo cidadão, estas pessoas têm o direito de receber cuidado e tratamento sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos. Além do anexo em construção, a estrutura antiga do Hospital Geral de Roraima (HGR) terá quatro blocos reformados e passará por ampliação. Entre as mudanças, está projetada uma ala exclusiva para a especialidade de psiquiatria, onde serão oferecidas melhores condições de atendimento e acolhimentos aos pacientes com transtornos mentais”, informou.

Folha Web
fale@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Espaço do Leitor
+ Ler mais artigos de Espaço do Leitor