Por Shirley Rodrigues
Em 24/02/2018

Com Nada 
* De acordo com a Defesa Civil de Roraima, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou no período de 1º a 22 de fevereiro quase 500 focos de incêndios na capital e interior do Estado. Foram 420 focos, mais do que o triplo do mesmo período do ano passado, que contabilizou 120, e o mês ainda nem acabou. Em novembro e dezembro de 2017, foram registradas as maiores quantidades de focos de calor dos últimos 20 anos.

Com Tudo 
* Neste sábado, 24, o Pátio Lounge, localizado no primeiro piso do shopping, recebe uma exposição de produções visuais e audiovisuais feitas por alunos e professores do Curso de Design Gráfico do Centro Universitário Estácio da Amazônia. Além disso, no local também terão oficinas educativas, que oferecem uma amostra/degustação do que pode ser vivenciado no curso de nível Superior. O evento inicia a partir das 15h e é aberto ao público.

Quem recebe quilométricas homenagens neste sábado é a diretora-geral do Grupo Folha, jornalista/administradora Paula Cruz, que fica um ano mais dinâmica e atuante. Na foto, ela divide clic com seu marido, Dr. Gelbson Braga

Magic Games
* A propósito, adivinhem quem está voltando para o Pátio Roraima Shopping? Quem pensou Magic Games, acertou!
* O Magic Games estará agora em um novo espaço, em frente à praça de alimentação (onde funcionava a antiga NEO), com novos brinquedos e muita diversão para o público infantil. A reinauguração vai acontecer no início de março.

Run Beer
* Será neste sábado a segunda edição do Run Beer Festival, corrida de rua que deverá reunir mais de 500 pessoas.
* Mais informações, endereço da entrega dos kits, participação no evento, etc., poderão ser obtidos pelo telefone 98126-3792 e no site eventbrite.

O defensor público José João Pereira, adepto da prática saudável de caminhadas na praia é também um incentivador da preservação do meio ambiente

Camelódromo
* Representantes do poder público e da sociedade civil aprovaram por unanimidade, pela segunda vez, em audiência pública, as obras de construção do Camelódromo.
* O referido centro comercial popular será instalado na Av. Silvio Botelho, no centro da capital. O encontro aconteceu na noite de quinta-feira, 22, no auditório do Palácio 9 de Julho com mais de 70 pessoas.

Importante
* Ontem, na sede do programa Abrindo Caminhos, da Assembleia Legislativa de Roraima, (Av. São Sebastião, nº 883, bairro Cambará), foi realizada a palestra ‘O impacto das Mídias Sociais na vida da criança e do adolescente’.
* A importante palestra foi ministrada pelo professor de informática Marilson Gomes e pela psicóloga Lauany Leal. A aula foi direcionada a pais e alunos do programa.

Camila Cavalcante, ficando hoje um ano mais preciosa

#Rápidas
* A página de hoje é dedicada à Leila Lima (Junior Formaturas), que hoje fica um ano mais maravilhosa.
* Também inaugurando idade nova neste sábado a querida Ana Ferst e Rafael Lindóia de Castro.
* Amanhã, quem troca de data é Marjose Israel, Marcelino Junior, Luciano Zuza Araujo e Zigomar Maia.
* Ainda de aniversário domingo, o empresário José “Carola” Queiroz (Grupo Lira) recebendo quilométricas homenagens.
* Não há como não lamentar a morte súbita da linda Karol Barreto, que se foi tão rapidamente, na flor da idade, ainda com uma vida inteira pela frente.
* Hoje o céu certamente está mais festivo, mais colorido e mais iluminado pelo seu lindo sorriso, pois é pra lá que vão os anjos como ela que durante sua meteórica passagem pela terra só espalhou ternura e beleza. #R.I.P.

Perfil

“A vocação já está dentro de nós como uma semente”

* O padre Mário Castro é natural de Barra do Corda, no Maranhão. Filho de agricultor e de professora primária. Chegou a Boa Vista em 1987 com familiares. Entrou para o Seminário em 1990 e foi ordenado sacerdote em julho de 1999. Estudou Filosofia e Teologia no seminário em Manaus e também é Mestre em Ciência da Religião. Começou sua missão de padre como vigário na Catedral Cristo Redentor e simultaneamente ajudava nas celebrações na Diaconia Missionária; foi Pároco no município de Mucajaí durante quatro anos; desenvolveu atividades na região do Cantá e na Aérea Missionária Santa Rosa de Lima na periferia de Boa Vista, também por quatro anos e foi, por seis anos, pároco da Paróquia da Consolata. Desde 2015, ele é Pároco da grande Paróquia de São Francisco das Chagas, que hoje congrega oito igrejas (comunidades) e está fazendo um excelente trabalho naquela comunidade.

* Quando se deu conta da sua vocação para o sacerdócio?
A vocação já está dentro de nós como uma semente. Desde cedo ela se manifesta em nossas aptidões, desejos, inclinações naturais, brincadeiras de criança, é algo que Deus colocou em nossa personalidade. Minha mãe, de saudosa memória, sempre me incentivou, mas, nos meados de minha adolescência, eu não dava muita confiança não. Mas, exatamente a nossa formação e nossa história de vida foram confirmando essas motivações. Por isso, a vocação precisa crescer num ambiente de liberdade e descoberta; e com a maturidade, a escolha e a resposta virão certamente.

* Com quase 20 anos de vida sacerdotal, qual o maior desafio enfrentado por um pároco nesses tempos modernos?
Acredito que nosso maior desafio é ser fiel a Jesus Cristo. Não abrir mão do essencial, que é sua mensagem. É a gente inovar no processo evangelizador sem fazer moda, sem ir na onda. O Evangelho é uma coisa séria, muito séria, a coisa mais séria, não pode se sujeitar aos modismos que são tendências passageiras.

* E o que considera mais importante na missão de um padre?
Para mim não há dúvidas que a missão do padre é uma missão dada por Jesus, que chama desde seus primeiros seguidores a nos tornarmos pescadores de homens (de pessoas) para seu reino. Por isso, o sacerdote a cada dia em função dessa missão vai buscando cada vez mais por meio da oração, pela vivência do Evangelho se configurando a pessoa de Jesus, buscando ser em tudo e apesar de tudo um homem de Deus. De outro modo, vejo também que a missão do padre é ser um animador de sua comunidade, promotor de vocações seja para a vida ministerial e religiosa seja para que os outros cristãos também assumam os outros ministérios comuns a sua comunidade; assim o padre se torna promotor de uma Igreja toda ela ministerial, toda ela evangelizadora, toda ela missionária, toda ela discípula. A Igreja não é do padre, a igreja é de todos os cristãos, mas para isso é necessário que cada um assuma sua missão.

* Que trabalhos sociais são realizados na Paróquia de São Francisco?
Nossa Paróquia tem uma demanda muito grande de pessoas que vem de todas as partes da cidade de Boa Vista, em busca de alimentos, roupas, medicamentos, passagens etc. Com a situação da imigração venezuelana, essa demanda aumentou mais ainda. Nós buscamos conforme nossas condições, com a ajuda da comunidade de modo geral que faz doações e do serviço da Pastoral da Caridade e da Conferência Vicentina dar uma assistência a tantos necessitados que nos procuram, mas reconheço que às vezes estamos muito limitados em recursos para tão grande demanda. Além disso, há outras atividades como distribuição esporádica de refeições nas praças: como sopões, café da manhã etc. Além desse trabalho de assistência, temos outros realizados por outras pastorais como: Pastoral da Criança, que age desde a gestação até a criança completar sete anos, é um trabalho preventivo contra desnutrição e orientações a respeito de direitos e cuidados higiênicos; nos mesmos moldes temos a Pastoral do Idoso e a Pastoral da Saúde.

* Como é a programação de festejos e a participação da comunidade paroquial como um todo?
Todas as nossas comunidades, sejam as maiores, sejam as menores, têm seus padroeiros, e todas os comemoram com novenas, tríduos, procissões, missas, com arraiais, quermesses que são atividades muito conhecidas pela comunidade católica de Boa Vista. Mas, em nossa Paróquia, temos festas de grandes repercussões como A Festa de São Pedro – Padroeiro dos Pescadores, que acontece no final de junho, O Festejo de São Francisco, que acontece desde o final de setembro e vai até o dia 4 de outubro, e A Festa de Nossa Senhora Aparecida, que inicia-se no dia 2 de outubro e termina dia 12, com a grande Romaria Diocesana de Nossa Senhora Aparecida, que em 2017 contou com a presença de mais de trinta mil fiéis.

* Qual sua opinião sobre a atuação da Igreja Católica nesses tempos modernos?
A Igreja continua a ser mãe e mestra. Continua a ser caminho, sinal, luz, sacramento eficaz para a experiência verdadeira de Deus.

* Com relação à Renovação Carismática?
Uma bênção para a Igreja, para as comunidades. Uma alternativa para os jovens, as famílias.

*E quanto ao Papa Francisco?
Esse homem é um dos maiores sinais de Deus em nossos tempos. Homem simples, atual, prático. Papa Francisco evangeliza com seus gestos, suas atitudes, sua simplicidade. É aquele que faz de si próprio um instrumento de evangelização.

*Sobre Mário Castro artista?
Olhe, a arte é uma novidade em minha vida, uma feliz novidade. Comecei no final de 2008 a dar as primeiras pinceladas num curso de arte sagrada. Daí não parei mais. Foi uma grande descoberta de mim mesmo. Me fez muito feliz. Mas não me considero um artista não. Faço algumas coisas hoje em dia com mais segurança, mas o tempo não me é favorável. Gostaria de produzir mais. Mas, posso dizer que foi um grande presente que Deus me deu, esse dom.

* Padre Mário, um pouquinho de sua vida pessoal: O senhor gosta de música?
Hummm (risos) adoro músicas. Quando trabalho, quando rezo, quando celebro. Não há coisa mais gratificante para os ouvidos que uma boa música, uma música bem melodiada, bem cantada.

* Algum cantor preferido?
Alguns! Os de meus tempos e que permanecem para todo o tempo. Oswaldo Montenegro, Gonzaguinha, João Bosco, Milton Nascimento entre outros.

* Uma música?
Bandolins, do Oswaldo; Anima, do Milton; Jade, do João Bosco. São várias que compõe a trilha sonora de minha saga.

* Uma atividade constante...
Celebrar missas, celebrar com as pessoas.

* Padre Mário, celebrar 50 anos o que isso significa?
Uma aventura, mas também uma realização. Uma realização que ainda está por realizar, que continua a acontecer, porque continua a ser, continua a acontecer, mas ao mesmo tempo é ter a consciência de que na vida não se foi nada, não se é nada, e nada seremos se não for pela bondade e pela misericórdia de Deus.

* Padre Mário é...
Um vaso de argila na mão do oleiro.

* O que a mensagem do Padre Mário, Pároco da Paróquia de São Francisco, deixa à comunidade?
Minha comunidade paroquial é minha família próxima, é aí que vivo, que trabalho, portanto, convivo. Aos meus irmãos e irmãs, digo: tudo com Deus, tudo por Deus, nada, absolutamente nada sem ele. Vamos viver, vamos assumir nossa missão. Somos frágeis? Somos! Mas, Deus é nosso sustento, nosso alento... O importante é viver com garra, com alegria. E mesmo quando as coisas parecerem ruins é só olhar positivamente que aí veremos que a vida está nos dando grandes lições. Felicidades e realizações boas para todos nós!

Shirley Rodrigues
shirleyfolha@hotmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Social
+ Ler mais artigos de Social