Por Shirley Rodrigues
Em 06/01/2018

Com Nada 
* Ainda estamos no comecinho do ano e o Rio Branco já tá que é só areia. Há um mês que até mesmo os barcos de pequeno porte estão tendo dificuldade de navegar no principal rio do nosso Estado. E quem se aventura por essas águas sem ser um condutor experiente, encalha mesmo. Esse quadro é deveras preocupante, porque as previsões são de que pelo menos nos próximos 90 dias não deve chover por esses lados.

Com Tudo 
* Assim como os abacaxis invadiram as estampas de várias coleções de grifes famosas mundo a fora, e agora estão se expandindo nas estampas de marcas mais populares, as borboletas e outros bichos como besouros, iguanas, etc., tomaram conta das bolsas mais fashions do mundo, como as da Gucci, Dior, Prada, entre outras. Aliás, outra novidade nas novas coleções de bolsas chiques são as caras de leões, presentes em várias delas.

Todo o charme da Miss Beleza Brasileira 2017, Karol Falcão, no clic de Tony Souza

Férias
* Antigamente, esse era o período em que a cidade era mais movimentada, pois muitos jovens estudavam fora do Estado e nessa época chegavam à Boa Vista pra passar as férias com familiares.
* Entretanto, na última década esse quadro mudou com a chegada de várias instituições de ensino superior de boa qualidade em Roraima, e a situação se inverteu. Muitos jovens de fora é quem vem estudar em Roraima e durante as férias viajam para as suas cidades.

Superior
* Na verdade, já algum tempo Boa Vista adquiriu o status de cidade universitária e tem atraído estudantes de vários estados do País. A boa notícia é que isso, de certa forma, movimenta a economia, pois eles gastam com alugueis, alimentação, etc.
* A parte ruim é que, além de fazerem concorrência com os jovens locais, quando se formam, voltam para os seus estados.

Dona Eunice Farias - com suas filhas Ednelza Paixão e Édila Cordeiro – celebra hoje seus 90 anos de tradição elegância e alto astral

Viagens
*Muito interessante o levantamento que o Procon Assembleia realizou, com a finalidade de orientar e informar os consumidores sobre preços pacotes de viagens para esse período de férias.
*O trabalho está disponível no endereço: http://www.al.rr.leg.br/2018/01/04/periodo-de-ferias-procon-assembleia-divulga-levantamento-de-precos-de-pacotes-de-viagens/

Marcinho Belota e Tauany Almeida, sempre em ótima forma física

#Rápidas
* Inaugurando idade nova hoje Marivaldo Bassal de Freire, Otilia Pinto, Julia Vieira Soares e nosso compadre Pascoal Duarte.
* Amanhã quem troca de data é Lando Santos e Frederico Luiz Costa Araujo.
*E as novidades neste início de ano não param no Pátio Roraima Shopping, como a estreia do Ramito Circo e a celebração de novos contratos.
*Ainda do Pátio, marcas como Massas e Panquecas, Genial Baby, Tênis Certo e Sky poderão ser encontradas, em breve, nesse centro de compras.

Perfil

Frase: “Aproveite o impulso da virada do ano para ir atrás do seu sonho pessoal. O tempo não se recupera”

Zoë Clara Dutka atualmente está cursado – à distância – mestrado em Escritura Criativa com ênfase em Literatura Latino-americana, pela Universidad Queens, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, onde nasceu em Manhattan, na cidade de Nova Iorque. Aos 18 anos, ela começou a cantar e daí em diante não parou mais. Ela é vocalista da banda Bolívar Blues, um grupo criado por ela e pelo marido Benjamin Mast, guitarrista venezuelano, e dos que mais fazem shows em Roraima, desde quando aportou por aqui, em agosto de 2016.

*De onde surgiu a ideia de ser cantora?
Surgiu quando cheguei como viajante na Venezuela, no ano 2008, e quando conheci o Benjamin, que já era músico. Descobri que eu podia cantar, que as pessoas gostavam de como eu cantava, foi uma surpresa. Sempre fui apaixonada pela música, pois meu avô foi músico de jazz em Nova Iorque, mas nunca me passou pela cabeça que eu mesma poderia cantar e ser cantora, e ainda mais vocalista de uma banda.

*Se não fosse cantora, qual seria sua outra profissão e por quê?
Leio e escrevo em cada momento livre. Ficção, ensaios, poesias, o que seja. Cantar para mim é um prazer. É um privilégio. Eu adoro estar no palco. Mas escrever é uma necessidade. Não sei viver sem isso.

*Como foi sua entrada na banda Bolívar Blues e quem são os integrantes e de que países eles são?
Bolívar Blues é uma criação minha e do meu marido Benjamin Mast, guitarrista venezuelano. Começou em 2012 na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, quando nós estávamos morando lá. Tocávamos os dois na rua e aprendemos muito sobre como chamar a atenção do público. Daí, eu e ele voltamos para Santa Elena de Uairén - Venezuela, no ano de 2013 e começamos a trabalhar com outros músicos. Neste momento somos seis integrantes: Benjamin Mast, na guitarra; Victor Grillet, no saxafone; Erick Balbás, no baixo; Hernan Medina, na percussão. Todos eles são da Venezuela. Na bateria tem Jon Nelson Silva, roraimense, e a cantora sou eu.

*Como a Bolívar Blues veio parar em Roraima?
Somos uma banda de fronteira. Começamos do lado da Venezuela e viemos parar do lado brasileiro em 2016.

*Como você analisa o mercado roraimense para shows com bandas que vivem em Roraima?
O Brasil é um país maravilhoso, onde você pode ouvir música ao vivo em quase todo lugar: barzinhos, restaurantes, até em alguns postos de combustíveis. Nunca vi isso em nenhum outro lugar. Mas Roraima fica um pouco atrás nesse sentido. Tem muitas bandas boas e poucos palcos. Quero dizer para os empresários, para a Prefeitura que não tem perdido tempo em investir na cultura local. O Estado de Roraima, pela sua localização fronteiriça e pela mistura que tem, tem potencial de ser uma referência nacional de cultura. Mas primeiro deveremos nos sentir orgulhosos dessa mistura e dos nossos artistas residentes.

*Como foi o ano de 2017 para a banda Bolívar Blues?
O ano 2017 foi de muita aprendizagem e desenvolvimento da banda. Tocamos em Buenos Aires e em Brasília, e foi maravilhoso. Também começamos o projeto menor de Zoë Clara e Trio para trabalhar mais em espaços íntimos como restaurantes e festas privadas. Eu, pessoalmente, tive que aprender a ‘mandar palco’ em português esse ano, que foi um desafio legal, e comecei a me sentir mais assimilada à cultura brasileira.

*Qual a influência da banda Bolívar Blues?
A nossa influência é muito variada. Desde o som do jazz e blues do delta do Mississippi passando pelo Caribe e da música tradicional sul-americana até as bandas contemporâneas brasileiras de Bahia e São Paulo. Como toda coisa boa, somos feitos de mistura.

*Quais os projetos da banda para 2018?
Queremos levar a banda para outras cidades do Brasil, e compor mais músicas em português.

*A banda Bolívar Blues tem CD gravado, músicas autorais?
Tem sim, pode comprar no Amazon ou iTunes Music, ouvir no Spotify o no Deezer, e assistir os clipes da nossa música autoral no YouTube.

*Deixe uma frase de ano novo para as pessoas…
Aproveite o impulso da virada do ano para ir atrás do seu sonho pessoal. Deixe o medo, deixe o celular e, principalmente, deixe de se importar com a vida dos outros e comece a viver. O tempo não se recupera.

Shirley Rodrigues
shirleyfolha@hotmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Social
+ Ler mais artigos de Social