Por José Maria Neto
Em 25/05/2018

PROF. NETO

COMO DETONAR A PROVA DO CESPE/CEBRASPE

Uma das bancas mais temidas no meio dos concursos, sem dúvida alguma, é o Cespe /UNB.

Quando se depara com um edital desta organizadora, o estudante já sabe que terá que enfrentar uma banca com um perfil diferenciado. O Cespe é conhecido por aplicar questões de certo ou errado, onde uma questão em discordância com o gabarito oficial anula uma correta, o que requer maior atenção do concurseiro.

Costumo afirmar aos alunos que, em casos como esse, “chutar” é arriscado, pois, caso erre, o candidato perde ponto. Uma solução é deixar as questões em branco, pois assim nem ganha nem perde ponto.

É sabido que nas provas do Cespe, geralmente 50% das questões são certas e 50% erradas. Sendo assim, se o candidato "chutar" a prova inteira, como o gabarito só pode ser certo ou errado, ele terá 50% de chance de acertar cada questão. Mas o que acontece é que acertando metade das questões da prova, você ganha metade dos pontos e perde a mesma quantidade de pontos por causa das demais questões erradas. Ou seja, sua nota será zero. É preciso ter técnica.

A fim de ajudá-los na resolução das provas do Cespe, confira as dicas técnicas elaboradas pelo especialista em concursos Prof. Rodrigo Menezes:

1) O cartão de respostas do Cespe tem como opções: "C" e "E". Se você assinalar uma das opções e depois perceber que deveria ter marcado a outra, preencha as duas. Isso significa que você não pontuará e nem perderá ponto, pois a questão estará sendo anulada. Da mesma forma, se você não preencher nenhuma das duas opções, a questão também será anulada. Portanto, se você acertar 60 questões e deixar as outras 60 em branco, ganhará 60 pontos. Sem perder pontos.

2) Resolva primeiro as questões que você considera que sabe. Deixe as questões que tiver dúvidas, ou que você não sabe, para o final, mas já faça uma marcação na sua prova. Escreva ao lado da questão “dúvida”, e a provável resposta, ou “não sei”.

3) Deixe questões que envolvem contas por último. Elas demandam muito tempo e é perigoso fazê-las antes das questões que exigem apenas leitura. De acordo com Rodrigo Menezes, você pode acabar não conseguindo fazer várias questões simples, porque perdeu tempo em questões complicadas.

4) Ao se deparar com alguma que gere dúvida, pense se você não sabe a resposta ou apenas está em dúvida. No caso de apenas estar em dúvida, vale a pena arriscar, considerando que você se preparou bem para a prova e, portanto, há uma probabilidade grande de acertar a maioria das questões que gerem dúvida. Marque! Já no caso de realmente não saber a resposta, vale a pena deixar a questão em branco para não perder ponto.

5) Numa prova de 120 questões, tente não deixar mais do que 10 em branco. Duas são as razões para um candidato deixar muitas questões em branco: ou ele não está suficientemente preparado, ou está com muito medo de marcar. O primeiro caso não tem jeito. Você terá que estudar mais para o próximo concurso, mas o segundo caso é que preocupa. Porque ele sabe a matéria, mas “amarela” na hora da prova. Não faça isso! O único jeito de ser aprovado é fazendo muitos pontos e perdendo poucos. Você precisa fazer pontos e, se deixar muitas questões em branco, não terá pontos suficientes para passar.

6) Aceite um fato: haverá questões que você “terá certeza” de que acertou, mas errará, bem como acertará questões que estava em dúvida. Por isso, não esqueça das dicas 4 e 5.

7) Por mais que você estude, nunca conseguirá gabaritar uma prova do Cespe. Normalmente os primeiros colocados nos concursos organizados por essa banca fazem 80% dos pontos. Sendo assim, mesmo que você esteja sabendo muito bem a matéria, não se desespere ao se deparar com questões que você não sabe. Isso é normal.

8) Reserve uma hora para fazer a redação e quarenta minutos para marcar a folha de respostas. Marque na folha de respostas todas que você tiver certeza. Se der tempo, revise as questões que você teve dúvida e marque-as também.

9) Após preencher a folha de respostas (por exemplo: 100 itens respondidos e 20 em branco), conte a quantidade de itens que você marcou “C” e os que assinalou “E”. Por exemplo: 60 “E” e 40 “C”. Observe que há um número bem maior de alternativas "E" em relação às "C". Se a prova tem 120 itens, a tendência é que no gabarito da banca haja 60 “E” e 60 “C”. Sendo assim, você vai assinalar “C” em todas as alternativas em branco. A probabilidade é de que você acerte a maioria dessas 20. Se você acertar 11 e errar 9, já terá valido a pena, pois ganhará 2 pontos. A tendência é que você acerte bem mais do isso e ganhe muitos pontos só com essa técnica! Resumindo: após contar quantos “C” e “E” você marcou, não deixe nenhum item “em branco”. Marque todos eles com a opção que você menos marcou na sua Folha de Respostas. Essa dica vale, inclusive, para a parte de Conhecimentos Básicos e Conhecimentos Específicos. Se forem 50 itens de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, o gabarito será meio a meio, ou seja 25 itens “C” e 25 “E” na primeira parte e 35 “C” e 35 “E” na segunda.

10) Treine bastante as dicas anteriores fazendo as provas de concursos já organizados pelo Cespe. Faça provas inteiras para aplicar as técnicas de forma completa. Lembre-se: poucos pontos podem fazer a diferença entre você conseguir ou não a sua vaga.

Prof. Neto

 #HUMOR 


#FIQUE LIGADO

► POLÍCIA FEDERAL
Conforme eu já havia antecipado aqui na coluna, o Cespe (atual Cebraspe) foi confirmado como banca do futuro e aguardado concurso da Polícia Federal. A informação foi confirmada diretamente pela assessoria de comunicação da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais). De acordo com o projeto de realização do concurso, as vagas destinadas no concurso serão as seguintes:
Delegado: 150 vagas
Perito Criminal: 60 vagas
Escrivão: 80 vagas
Papiloscopista: 30 vagas
Agente: 180 vagas

► PROFESSOR DO ESTADO
O Tribunal de Contas do Estado de Roraima determinou que o Estado de Roraima realize concurso para Professor do Estado. A decisão é fruto de uma ação movida pelo Ministério Público de Contas e foi motivada, principalmente, pelo descumprimento de TACs (Termo de Ajustamento de Conduta) firmados anteriormente pelo governo com o órgão ministerial. Aguardem que já já trarei mais novidades sobre este aguardado concurso.

► EsPCEx
O Exército já está com inscrições para o concurso público destinado a preencher 445 vagas na Escola Preparatória de Cadetes (EsPCEx).
No total, o edital disponibiliza 400 postos para homens e 45 para mulheres. Podem participar jovens com ensino médio e idade entre 17 e 22 anos (completados até 31 de dezembro de 2019).
Com taxa de R$ 90, as candidaturas podem ser registradas até 8 de junho. A ficha para cadastro está disponível no site www.espcex.eb.mil.br.
Os aprovados no concurso do Exército serão matriculados no Curso de Formação e Graduação de Oficiais de Carreira da Linha de Ensino Militar Bélico, com duração de cinco anos, em regime de internato.

 #APOSTILA 

 O Meta dispõe de apostila completa para o concurso da PMRR. Garanta a sua!


#TESTE SEUS CONHECIMENTOS
(PMRR/2012/UERR) Considera-se em ____________________quem pratica o fato para salvar de perigo atual, que não provocou por sua vontade, nem podia de outro modo evitar, direito próprio ou alheio, cujo sacrifício, nas circunstâncias, não era razoável exigir-se.
A) Estado de necessidade.
B) Legítima defesa.
C) Estrito cumprimento de dever legal.
D) Exercício regular de direito.
E) Crime culposo.

(PMRR/2012/UERR) A respeito da Lei Penal no tempo e no espaço, assinale a alternativa INCORRETA:
A) Ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime, cessando em virtude dela a execução e os efeitos penais e civis da sentença condenatória.
B) A lei excepcional ou temporária, embora decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato praticado durante sua vigência.
C) Considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que outro seja o momento do resultado.
D) Aplica-se a lei brasileira, sem prejuízo de convenções, tratados e regras de direito internacional, ao crime cometido no território nacional.
E) É também aplicável a lei brasileira aos crimes praticados a bordo de aeronaves ou embarcações estrangeiras de propriedade privada, achando-se aquelas em pouso no território nacional ou em vôo no espaço aéreo correspondente, e estas em porto ou mar territorial do Brasil.

José Maria Neto
jornalista@teste.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Folha Cursos & Concursos
+ Ler mais artigos de Folha Cursos & Concursos